Sete razões para não marcar o seu parto

Compreendo a opção pela cesárea; entendo de onde vem o receio de parir um bebê, sei da falta de informação e de apoio (do médico, da família, da sociedade) ao parto normal e me conformei com a visão vigente de que a via cirúrgica é uma alternativa aceitável. O que não entendo e não vou aceitar nunca é a banalização das cirurgias agendadas sem indicação, às vezes com 36 semanas, como no caso de uma amiga virtual de Facebook, que revelou seu desespero ao saber que sua cunhada, por sugestão do obstetra, havia agendado sua cesária para antes das 37 semanas. Essa criança provavelmente nascerá prematura, precisará passar tempo na UTI neonatal, terá dificuldades iniciando a amamentação, receberá complemento… Enfim, sua vida não terá um começo fácil. O mais triste é que tudo poderia ter sido evitado se seus pais tivessem esperado sua hora de nascer.

Abaixo, ofereço sete motivos para você esperar os primeiros sinais de que o seu bebê esteja pronto para vir ao mundo ao invés de cair no conto do vigário (ou seja, do “lobo cesarista”) e marcar uma cesárea “de emergência” para daqui a uma semana (isso não é emergência – é conveniência, tá?).

1. Saúde

A saúde sempre vem em primeiro lugar, não é mesmo? Toda mãe deseja, antes de mais nada, que o filho seja saudável. Todo obstetra se orgulha em dizer que preza pela saúde do bebê (muitos até usam isso como desculpa para desencorajar o parto normal, o que é uma ignorância e uma covardia sem tamanho, mas isso é outra história). A literatura médica é categórica: cesáreas eletivas feitas antes de completar 39 ou 40 semanas aumentam significativamente (entre 300 e 500%) o risco de problemas de saúde no bebê, especialmente respiratórios (que podem persistir durante toda a infância), mas também de icterícia (que dá ao recém-nascido um aspecto amarelado e está relacionado ao acúmulo de bilirrubina no sangue) e dificuldades para amamentar. Para todo bebê que nasceu “sem sequelas” numa cesárea de 37 semanas (que não é considerado prematuro, mas que poderia ter ido até 40, 41 ou 42 semanas – ou seja, é sim pré-termo), há vários que precisaram ficar “em observação” por dificuldades respiratórias ou foram receitados complemento no berçário ou receberam fototerapia por icterícia, e achamos isso “normal” porque, infelizmente, a prematuridade tardia (entre 34 e  36 semanas +6 dias) e o a termo precoce (entre 37 e 39 semanas) se tornaram comuns na nossa sociedade. Porém as evidências demonstram algo inconveniente: os males de saúde aumentaram depois que nós começamos a adiantar o nascimento dos nossos filhos. O que me leva, necessariamente, ao próximo ponto.

2. Ética

Clamamos por um mundo com muito mais ética. Demandamos isso dos políticos e dos empresários, mas, por alguma razão, simplesmente acreditamos piamente na ética do nosso médico. De certo modo, faz sentido. Afinal, o médico é alguém que escolheu preservar e proteger a vida e, teoricamente, por uma causa nobre. Fez o milenar juramento hipocrático, onde promete “não causar dano ou mal a alguém”. A verdade, pelo menos na obstetrícia, não é bem assim. A prematuridade iatrogênica (causada pelo procedimento médico em si – ou seja, por partos agendados) está aumentando assustadoramente. É por causa dela que os índices de prematuridade são muito maiores nas regiões sul e sudeste (curiosamente, aonde tem mais cesáreas). Infelizmente, a lei do mercado se sobrepôs ao juramento de não fazer mal, e muitos médicos (não todos, mas muitos) –  para maximizarem seus rendimentos e não precisarem acordar de madrugada nem deixar de viajar no feriado – agendam partos na 37a semana, mesmo conhecendo as estatísticas acima. Há uma falta de punição para esse tipo de comportamento e, portanto, cada vez mais profissionais agem desta maneira condenável. Se você acredita na ética e no que é correto, você pode ajudar o seu médico a não desrespeitar o juramento que fez e não concordar em marcar uma cesárea antes da data. E lembre-se: mesmo que 37 semanas não seja considerado prematuro, a não ser que você tenha feito tratamento para engravidar e saiba exatamente o dia em que ovulou e/ou engravidou, a idade gestacional do seu filho é meramente uma estimativa. Uma gestação a termo é 40-42 semanas (somente depois de 42 semanas é que o bebê é considerado pós-termo).

3. Respeito

Como relatei no post O nascimento, do ponto de vista do sujeito, o bebê não é um mero produto do parto, mas um agente ativo. É ele quem envia os sinais para o cérebro da mãe, assim desencadeando trabalho de parto. O anúncio (ao lado) da ONG americana March of Dimes, instituição empenhada em melhorar a saúde materna e infantil, mostra claramente que algumas semanas fazem uma diferença enorme no desenvolvimento do cérebro fetal. Portanto, fica claro que agendar o parto é desrespeitar a fisiologia do bebê. Sem contar que, muitas vezes, na hora da cirurgia o bebê está dormindo, totalmente despreparado para “ser nascido”, e, assim, o nascimento se torna um choque e, ao meu ver, uma agressão. Você quer que o primeiro contato do seu filho amado com o mundo fora de você seja assim, um susto e possivelmente um trauma? Não é melhor respeitar o tempo dele e deixar que os abraços (contrações) do seu útero o preparem para nascer, mesmo que seja via abdominal?

4. Amor

Você já ouviu falar na ocitocina? Também conhecido como “o hormônio do amor”, a ocitocina é uma das substâncias responsáveis pela sensação de conexão, confiança e empatia. O orgasmo depende da liberação desse hormônio e a amamentação também, mas a maior concentração sanguínea do hormônio do amor na vida de uma mulher ocorre durante o trabalho de parto. Não é incrível? Estima-se que essa é a razão pela qual mulheres que parem naturalmente alegam sentir uma ligação profunda e imediata com o filho (um amor instantâneo) enquanto muitas mulheres que não tiveram esse privilégio admitem que a amor visceral pelo filho foi construído. Calma – não estou dizendo que quem tem parto normal ama mais o filho, por favor! O amor é muito mais do que simplesmente hormônios – é social, espiritual e um esforço diário – mas passar pelo trabalho de parto e sentir pelo menos uma fração dessas substâncias prazerosas e incríveis circulando pelo corpo deve ser o máximo. E pode tornar o conturbado período pós-parto um pouco mais ameno.

5. Paciência

A paciência é uma virtude que está se perdendo. Hoje em dia tudo é urgente, é “pra agora”, e a pressa é quase universal. Até quando estamos entre compromissos, no trânsito ou no metrô, sentimos uma pressão por estar “produzindo” – checando emails no smartphone, lendo jornal, resolvendo um problema no telefone… (In)Felizmente, um bebê chega para mudar tudo isso. Crianças requerem paciência. Elas têm o próprio ritmo e tempo, e testam nossa paciência constantemente, seja com suas constantes necessidades (mamadas, fraldas, choros) ou no processo natural de aprendizado (já reparou como precisam repetir tudo infinitas vezes?). Portanto, ter a paciência para esperar a hora de seu filho nascer, conforme manda a natureza e a fisiologia, pode ser uma boa forma de se acostumar com sua nova realidade como mãe – uma realidade onde a paciência será imprescindível para a sua felicidade e sanidade.

6. Espírito de aventura

Eu adoro ouvir a história de como nasci. Minha mãe acordou de madrugada toda molhada, sentindo somente “umas cólicas” e achando que tivesse feito xixi na cama. Precisou ser convencida pela sogra de que estava em trabalho de parto e que a bolsa havia rompido. Chegou no hosptial com 8 cm de dilatação e pariu algumas horas depois. Deve ter sido uma aventura e tanto! Pessoalmente, acho triste que a grande maioria das crianças sendo nascidas hoje teve essa primeira aventura “roubada” – e suas mães também! As mães não vão deixar uma plateia inteira na expectativa, com cara de “quero mais”, ao contarem como sentiram as primeiras contrações, a dúvida de estarem ou não em trabalho de parto, a saída do tampão, o frio na barriga ao perceberem que chegou a hora, os telefonemas de madrugada, o taxista/marido nervoso… Elementos de uma verdadeira história de ação! Quando a geração de hoje perguntar  como foi seu nascimento, vai ouvir que o parto foi marcado para o dia tal na hora tal e que ponto final. Pode me chamar de romântica, mas eu encaro a vida como uma grande aventura e da mesma forma que não escolhemos o dia da nossa morte, acho que ao escolherem para nós o dia do nascimento, roubamos um pouco da magia de viver. Deixe o seu filho embarcar nessa vida com o espírito de aventura que ele precisará para aproveitar ao máximo sua temporada aqui na terra.

7. Paz

Tem gente que diz que quando nasce um mãe, nasce junto a mãe culpada, sempre se perguntando se está fazendo o certo, cheia de ansiedades sobre a saúde e bem estar do filhote, com mil e uma perguntas para fazer ao pediatra, à sua mãe, às amigas (íntimas e virtuais)… Tudo isso é normal. A insegurança, as dúvidas e os questionamentos fazem parte do processo. Mas o nível pode ser tolerável ou patológico. Quando você adentra a maternidade impondo conveniências alheias ao processo, negando a seu filho o direito de determinar a hora certa para ele, você já começa “brincando com fogo”, mexendo num processo natural e aumentando o risco de ter problemas mais na frente. Você quer acrescentar mais essa culpa? Não é simplesmente mais fácil respeitar a infinita sabedora desse processo milenar e aguardar, paciente e respeitosamente, o dia e a hora que o destino lhe reservou para dar a luz?

Como você pode ver, numa gravidez normal, de um bebê saudável, o melhor mesmo é esperar a hora “P” chegar. Seu médico pode alegar várias coisas – placenta grau 3, feto macrossómico (grande), cordão enrolado, pressão alta (sem pré-eclampsia), cesárea prévia: nada disso é indicação de cesárea, muito menos de cesárea agendada. Exceto em casos de pré-eclampsia, placenta prévia, placenta abrupta e outras (poucas) ocorrências emergenciais, qualquer cesárea pode ser feita durante o trabalho de parto, com melhores resultados para a saúde do bebê.  Enfim, esperar o trabalho de parto é muito mais do que “simplesemente” mais seguro. É sinônimo das virtudes acima: saúde, ética, respeito, amor, paciência, espírito de aventura e paz.

Anúncios

166 Comentários

Arquivado em Uncategorized

166 Respostas para “Sete razões para não marcar o seu parto

  1. Cesárea agendad é uma violência. Quanto tempo vão demorar para descobrir isso??

  2. Divulguei seu texto no meu blog (historiasdemamae.blogspot.com), adorei demais! Forte abraço.

  3. Que legal! O Blog Parto no Brasil divulgou o link deste texto no Facebook, sucesso total! Parabéns Clarissa, e muita gratidão por nos linkar! Abraços, Ana Carolina.

  4. lena rubia borgo bezerra

    Precisamos fazer uma campanha!Diga sim, ao parto normal!

  5. Muito bom o texto!! Posso colocar no meu blog?
    Bjs!

    Ana Doula
    Mãe do Bê e da Fifi
    http://anadoulaenutri.blogspot.com

    • Ana, desculpe a demora em te responder! Só vi seu comentário hoje- estava na pasta de spam… claro que pode divulgar no seu blog. Muito bom te ver por aqui – já conheço o seu blog e curto bastante seus textos. Bjo!

  6. Emergência com data e hora marcada, difícil entender né?

    Gostei muito do seu post, parabéns!

  7. nossa sei bem as consequências de uma cesária marcada com antecipação.
    Faz dois anos que perdi minha filha Ana Clara quase 24hs depois de nascida por conta do médico ter marcado a cesária com 10 dias antes dela completar os 9 meses.
    Eu não sabia mesmo dos riscos se não jamais teria aceitado, pois eu curti cada minuto da minha gravidez e dez dias a mais não faria diferença embora ela tivesse que nascer de cesária mesmo pela posição que se encontrava e o cordão estava um pouco enrolado no pescoço mais não apertado como mostrou na ultima ultra.
    Pois é o pior é que o pediatra disse que ela estava bem dai o médico deu inicio a operação de laqueadura e agora não posso mais ter filhos.
    Ana clara faleceu de insuficiência respiratória e só resta a saudade e a imaginação de como seria hoje se ela estivesse aqui…

    • Daniele, me comovi com a sua história. Sinto muito pela sua perda. Espero que este blog possa contribuir, nem que seja um tiquinho de nada, para mudar esse quadro inaceitável na saúde materna e infantil do nosso país. Um abraço muito carinhoso para você, Clarissa

    • Nossa Daniele, que história! Só posso te desejar muita força para continuar e para ajudar a outras mamães a não passarem pelo que você passou! Obrigada pelo testemunho.

      É importante lembrar que circular de cordão no pescoço não é motivo suficiente para agendar cesária, e que a posição do bebê pode mudar inclusive no trabalho de parto. Infelizmente, existem médicos mal preparados para essas situações.

      • Ana Paula

        Muito bom o texto maseu ainda prefiro o parto cesária, nao acho que se eu nao sentir dor vou ser menos mãe ou menos mulher. O vinculo afetivo com o bebe nasce durante os nove meses que se carrega ele no ventre. Muito admiro as mulheres que se dispõem
        a um parto natural mas nao devemos esquecer das condições de cada mulher , eu por exemplo nao suporto muitas dores .

      • Ana Paula, você pode ter sua cesárea depois de iniciado o trabalho de parto, essa é a mensagem desse texto. É evidente que a via de nascimento não define a maternidade nem muito menos a feminilidade. Agora, quanto ao vínculo, há estudos mostrando que o vínculo mãe-bebê é prejudicado nos nascimentos cirúrgicos. O motivo é a ocitocina, hormônio que facilita o vínculo, e que é liberado em grandes quantidades durante o parto. O contato pele a pele também costuma ser atrasado ou reduzido quando o nascimento é por cesariana. Com sorte, o lado racional do cérebro é capaz de lidar com a desvantagem de não ter os hormônios para facilitar o vínculo, mas permitir que isso aconteça fisiologicamente me parece mais lógico, não? Afinal, para quê consertar o que não está quebrado?
        Abraço, Clarissa
        P.S. Quanto à dor, contratar uma doula e uma equipe humanizada ajuda muito a reduzir o sofrimento associado ao trabalho de parto. E existe sempre a anestesia! Além do mais, não esqueça que a dor da cesárea vem depois, bem durante aqueles primeiros dias mágicos com o bebê.

      • marilza

        E quando o bebê nao muda de posicao e acaba morrendo no parto?

      • Marilza, mais bebês morrem por serem tirados antes da hora do que quando se espera a hora de nascer; a prematuridade continua sendo uma das principais causas de morte neonatal no mundo. Bebês em posição desfavorável (pélvico, transverso) também merecem nascer quando estão prontos, mesmo que seja necessário fazer uma cesárea. Todos adoram falar dos bebês que morrem no parto, como se isso fosse tão comum, mas esquecem de falar dos bebês morrendo nas UTIs por terem sido extraídos antes de estarem prontos. A questão é promover uma boa assistência ao parto, baseado em evidências, evitando procedimentos que trazem mais danos do que benefícios – como é o caso da cesárea realizada fora do trabalho de parto. Espero ter esclarecido sua dúvida. Att, Clarissa

      • Mayara

        Eu nasci com cordão enrolado no pescoço. De parto NORMAL.

  8. Querida, demorei para conseguir ler o texto, mas estou muito muito feliz em ter lido! Mandei um e-mail pra você com minhas confissões! Seu blog vai bombar, você sabe!
    Beijão

  9. Mom

    Maravilha!! É isso aí mesmo.

  10. Stéfanie

    Olá meninas…eu moro na europa e aqui é praticamente “lei” as mulheres terem parto normal, o parto cesariana somente é realizado em casos extremos onde o bebe e/ou a mãe correm risco de vida, o que nao inclui cordão umbilical envolta do pescoço, pois isso é facilmente resolvido na hora do parto, e isso nao sou eu quem digo,sao as mulheres que eu conheço aqui que os bebes estavam nessa situaçao e o medico resolveu na hora do parto. Eu tive minha filha aqui, hj ela tem 1ano e 3 meses, fiz parto normal, nao pq aqui é comum mas sim pq eu já tinha na minha cabeça desde que soube q estava grávida. Minha família no Brasil nao me apoiou mas era isso o que eu queria.Me preparei psicologicamente, assisti vídeos na intenet e assim foi. Ela nasceu com 40 semanas e 1 dia (esperaria ate 42 se fosse necessário, que é o limite), o parto correu tudo bem, doeu?doeu sim, mas qndo ela nasceu e a peguei nos braços ja tinha esquecido de tudo que senti. Nao precisei fazer nenhum corte e a recuperaçao foi ótima. E quero dizer que acho muito triste e um absurdo no Brasil nossos médicos, que eu considero até melhores que os daqui, optarem por fazer cesaria agendada, poxa pra que isso? Eles são os principais responsáveis por orientar suas pacientes e eles são SIM conscientes de todas as consequencias de um parto assim tao como sabem exatamente os benefícios de um parto normal. Sonho com o dia que no Brasil possa ser como aqui e no restante do mundo, infelizmente estamos atrasados mais uma vez.

  11. Flávia

    Olá! Não sou mãe (ainda), mas me interesso muito pelo assunto, pois sempre tive pavor de parto normal (por causa da dor!) e há algum tempo venho mudando de ideia (até pq dor por dor, um pós operatório é bem pior!!! E a cesária é sim uma operação.) e desconstruindo esse medo que nem sei de onde vem, já que na minha família os partos todos foram normais e com relatos não traumáticos…. Enfim, parabéns pelo texto! Excelente!!! Em relação ao fato do bebê não estar na posição adequada, já li e também soube de quem já teve essa experiência de que a acupuntura “vira” o bebê.
    Bj,
    Flávia Lino

  12. kesya

    Lindo seu texto! Concordo em muito que a Mãe Natureza pode ajudar a nos tornarmos também mães naturalmente! Esperar pela hora que ela despertar o bebê para o nascimento é mesmo melhor para nossos queridinhos!

  13. kesya

    ah é, a paciência é mesmo imprescindível na hora do T.P. Não é como estar indo para o trabalho se apressando no meio do trânsito lotado! O meu durou quase 23 horas! Meu bebê nasceu cheio de saúde, tendo seu índice de Apgar 9 no primeiro minuto de vida tendo subido para 10 nos posteriores 5 minutos. Super saudável, sem nenhum problema por tanta espera paciente.

    • É isso aí, Kesya! Histórias como a sua demonstram que, com um bom acompanhamento, não há mal nenhum em esperar o trabalho de parto progredir: alguns são rápidos e outros mais lentos, cada um no seu tempo. Beijo, Clarissa

  14. Sensacional o seu post! Concordo com cada vírgula!
    Bjos

  15. Ana Lúcia

    olá, há 2 anos e meio eu tive pré-eclâmpsia e tive que realizar um parto cesárea de emergência com 29 semanas de gestação, infelizmente meu menino não resistiu, na realidade não achei um bicho de sete cabeças como todo mundo dizia que era um parto cesárea, mas desde o início sempre optei por parto normal. Hoje estou grávida de 28 semanas de outro menino e minha gestação graças a Deus está correndo tudo bem, sem sinal de alterações, e ontem eu perguntei para meu obstetra se poderia optar por parto normal de novo, ele falou com a maior tranquilidade que sim, até pq na primeira gestação, por incrível que pareça ao contrário dos médicos que querem agendar os partos ele me apoiou e muito a minha escolha, pois é raro, como ele disse, as gestantes quererem parto normal, bom não sei como, pois eu espero que dessa vez eu que coloque meu filho no mundo e não o médico e detalhe ainda ter que esperar 12 horas para poder pegar o seu filho no colo como relatou uma colega que teve q fazer cesárea. Acho engraçado as “lendas” de que quem teve cesárea não pode depois ter parto normal, gente depende muito da situação que a sua gestação se encontra, bom o melhor é se cuidar durante toda a gravidez para poder quem sabe dar tudo certo, pelo menos é o que eu estou fazendo. EU APOIO O PARTO NATURAL!!!!

    • Ana Lúcia, obrigada pelo relato comovente e parabéns por ter encontrado um obstetra tão bacana (infelizmente, muitos aproveitam a ignorância das pessoas para desencorajar o parto normal pós-cesárea). Torço para que você consiga o que deseja e, especialmente, que este bebê nasça com muita saúde. Uma boa hora para você. Beijo, Clarissa

  16. Nasci de cesárea com icterícia e tenho asma até hoje, mas não sei se poderia ter sido parto normal, pois eu estava ao contrário, nasci “de bunda” rs Mas achei o texto muito legal e quem sabe quando eu estiver grávida não faço parto normal, vai demorar ainda, mas posso mudar de opinião quanto a “dor” ( :

    Beeeijos, YasmimC.

    • Oi Yasmim, obrigada pelo comentário. A posição em que você estava, pélvica, não é muito favorável para o parto normal. Antigamente, até tinha parteiras e obstetras experientes, mas hoje a grande maioria faz cesárea mesmo. Quanto ao medo da dor, este é um assunto que será abordado aqui no blog muito em breve. Espero que você apareça mais vezes para conferir. Abraço, Clarissa

  17. Newton Neto

    Parece que sou o único aspirante a Pai por aqui… Ao menos o único que se manifestou. Credito meu interesse à uma grande amiga, mãe de três “piquininhos”…

    Estou de acordo com as 7 razões. E mais. Se me permitem, acho que perdeu-se a sensibilidade de perceber que o corpo feminino é naturalmente criado para este evento único. Até os médicos “se esqueceram” disso… Lamentável.

  18. Cla, um motivo já devia bastar, né?! Sete, então!! Parabéns! Que muitas e muitas mães possam se dar conta! Beijos, Re.

  19. Parabéns, Clarissa! Seu texto ficou demais!

  20. Monica

    Faltou cientificidade nosso texto. Concordo que não deve ser agendado cesarea com menos de 38 semanas, mas a cesarea salva muitas vidas, tanto de bebes qto de mães. Tenho 3 filhos, 1 parto normal e 2 cesareas por necessidade, cesareas agendadas com 39 semanas.

    • Oi, Monica, obrigada pelo comentário. Na verdade, eu não disse que a cesárea não deve ser feita. Claro que existem indicações de cesárea, inclusive algumas com indicação de marcar fora do trabalho de parto. A questão aqui é justamente que você pode fazer uma cesárea – mesmo que não seja necessária – mas ainda assim esperar o trabalho de parto engrenar. E quanto à cientificidade, bom, não sou mesmo cientista. O blog é para expor opiniões e não pretende ser uma tese acadêmica. Mas eu tento embasar meus argumentos em dados científicos – e estes indicam que cesáreas feitas antes da 39a semana (fora de trabalho de parto) são mais perigosas para os bebês. Abraço, Clarissa

    • Hernandez

      Monica, o texto está totalmente fundamentado em dados considerados “científicos”. Apenas lembre-se, que nós somos seres humanos, e não seres científicos, normalmente gerados em relações de amor, e não em um laboratório. Somos criados por uma mãe que nos tem amor, e não há receita científica para a criação de um filho. Há apenas vínculos afetivos que sustentam nosso desenvolvimento biológico, social e psíquico, que se mesclam a um caldo de conhecimentos e cultura. Conhecimento técnico científico não traz um sujeito subjetivado ao mundo. Quem faz isso é uma mãe, comprometida com o filho, e não com “cientificidade”. O texto deixa claro, que que há um grande risco em se agendar uma cesária, pois a idade gestacional é apenas uma estimativa “científica” de um médico em imagens de ultrassom. Essa estimativa “científica” pode estar totalmente equivocada, e colocar a vida do bebê em risco de morte. Será que vale a pena sermos mais científicos e menos humanos?

  21. Ainda não sou mãe, mas sou apaixonada pelo parto humanizado e adorei o seu texto. Parabéns!

  22. Pingback: 5 Motivos para Agendar uma Cesárea com 36 semanas | a mãe que quero ser

  23. Camila

    Sou psicologa e ainda não sou mãe, mas trabalhei bastante tempo na area acompanhando inclusive gestantes de alto risco e apoio o parto natural, acho que a maioria das pessoas acaba pensando só nos “ganhos” momentaneos e esquecem que todas as ações tem reações, muitas para o resto de nossa vida e da vida dos que amamos!
    Devemos lembrar que não é: ou parto natural ou cesaria, e sim que primeiro vem as indicações e nossa capacidade de ter o parto natural e que caso “algo” não aconteça de acordo com a natureza (o que não é tão comum quanto os pessoas pensam) aí sim temos a cesaria como recurso!
    Adorei o blog e já me inscrevi para receber os posts.

  24. Melissa Vieira

    Oi, Clarissa!
    Só hoje recebi um texto seu e achei muito pertinentes suas colocações. Pela sua pouca idade , você é realmente uma raridade… Conheci pouquíssimas mulheres que tiveram parto normal. Acho que não enche a minha mão…Sou beeem mais velha que você e tenho filhos adolescentes (recebidos com parto normal, quando ninguém fazia fé, por eu ter um probleminha no quadril). O meu mais velho nasceu como foi o seu parto…Estouro de bolsa, ligação para a médica de madrugada, receita de buscopan pra tentar controlar uma “dor de barriga”, já que para ela, ainda faltavam 15 dias e era improvável que meu filho estivesse chegando, pois estava tudo fechadinho…Mas a Natureza é a Mãe de todas as mães e ela dita tudo.Penso que o que pega mesmo na verdade é o medo da entrega, da aventura da Vida, como você citou. Continue nessa campanha! Excelente iniciativa! Parabéns!
    Grande abraço, Melissa Vieira
    Bh – MG

  25. Michelle

    Amei seu blog…queria ter parto normal…já tenho dois filhos lindos, que nasceram de cesárea porque passo das 40 semanas e não tenho nenhum sintoma de trabalho de parto. Estou grávida de gêmeos, e o médico não quer arriscar e falou que chegando as 38 semanas pretendem fazer a cesárea (passo pelo SUS mesmo) mais eu vou “chorar” pra ele me dar mais uma semana, se possível porque na minha Us com minha Dum davam erro de data de duas semanas…a qual ele deu a diferença de uma semana pra ficar no meio termo. Mas seja o que Deus quiser!!! Bjus

  26. Olá…meu filho nasceu prematuro de 36 semanas, de parto normal.
    Eu daria tudo para ele ter nascido de pelo menos 38 semanas e não precisar ficar por longos 8 dias na UTI NEO, foram dias arrasadores…o que facilitou a recuperação dele foi o parto normal, ele ter escolhido a hora de nascer, ter se esforçado para nascer. Nada contra as cesáreas necessárias, onde o PN traz riscos à mãe e o bebê.

    O trabalho de parto apesar de ser doloroso, é algo extremamente único, algo maravilhoso, e quando seu filho nasce é pura emoção!

  27. 123456

    Que lindo Clarissa!!! FIquei até emocionada! Conheci seu blog por acaso e me apaixonei! Menina, tenho 30 anos e estou grávida de 34 semanas do meu primeiro filho. Sempre quis ter parto normal e falam que sou corajosa. Sou mesmo…porque minhas irmas tiveram 3 filhos cada uma, minha mãe teve 5 e minha avó 5…e todas de parto normal. Seria muita covardia eu ter medo! rs .Vou indicar seu blog para que as pessoas entendam meu ponto de vista (que é igual ao seu) e desta forma me polpem palavras e reflitam sobre suas decisões e as possíveis consequencias! Obrigada! Amei!

  28. Pingback: Sete razões para não marcar o seu parto « Rebecca Lerina

  29. Patrícia

    Adoro seus argumentos em defesa do parto normal!
    Muito bom! Concordo com tudo!
    Considero q seja nossa primeira prova d amor, e uma pequena amostra do q somos capazes d esperar e suportar por nossos filhos!
    Sou totalmente a favor também!

  30. MARIA ANGÉLICA MATOS

    Adorei a colocação as palavras, e os seus argumentos são muito convincentes. Eu tive um parto cesárea de 32 semanas, e no segundo queria muito ter um parto normal, entretanto estava com pressão alta. Graças a Deus que meu GO era a favor de parto normal e me monitorou o parto inteiro, mesmo com a pressão alta, tive um PN, não é fácil, mas adorei as sensações e sentimentos…..faria tudo de novo

    • MARIA LAURA DE JESUS OLIVEIRA _

      Oi, você poderia indicar o nome do seu médico?
      Estou a procura de um médico que seja a favor do parto normal.

      • Maria Laura, sugiro que você procure relatos de parto online (filtre por sua cidade) e veja os nomes que aparecem. Grupos de apoio ao parto também são muito úteis para trocar experiências (e para muitas outras coisas!). Boa sorte!

  31. foi muito bom entrar nesse blog estou gravida de 36 semanas e estava pensando em marca uma cesariana , estou muito cansada e o meu segundo filho o primeiro foi normal foscpe nasceude 42 semanas não tive passagem tanto que o cordão umbilical saiu primeiro que o meu bebe o sofri muito pq tive infecção depois do parto foi horrivel , mais mesmo assim quero ter esse bebe normal .

    • Parabéns pela escolha de não marcar a cesárea, Adriana! agora que é o segundo filho, seu corpo já sabe o que fazer e provavelmente você terá um parto normal muito mais tranquilo. Poder viver isso, dar a seu bebê a chance de nascer e evitar ter de se recuperar de uma cirurgia e cuidar de um recém-nascido não tem preço! Uma boa hora e um abraço, Clarissa

  32. Daniele cristina

    nao podemos nos assustar tanto com a cesarea pq infelizmente ou felizmente ela ainda e uma opcao, colocamos muito medo nas maes por causa da tal “cesarea” mas se tiver que fazer uma cesarea pq o medico acha melhor e nao pq quer que o filho venha antes ou pq nao quer sentir dor, nao tenha medo, tive que fazer uma cesarea pq minha filha pesou 4,200kg eu nao tinha dilatacao e nem passagem, foi otimo nao senti dor nem antes e nem depois do parto,hoje apos 4 anos estou gravida de 31 semanas e gostaria muito mas muiiiiiito mesmo de ter um parto normal, mas que talvez nao terei pq os riscos de uma ruptura e grande, nao tenham medo dos partos alias temos Deus acima de tudo.

    • Daniele, obrigada por compartilhar conosco sua opinião. No entanto, tenho que discordar de você em alguns pontos. Primeiro, é complicado saber quando o médico indica uma cesárea porque é o correto a se fazer, pesando os riscos e as vantagens de um parto normal, ou quando ele acha melhor porque é mais conveniente para ele, mais rápido ou por incompetência (tipo: ele sabe fazer a cesárea melhor que acompanhar o parto normal). Segundo, sobre seu segundo parto, o risco de um rutura é bem pequena, na verdade. Se você quer mesmo um parto normal, ainda há tempo de trocar de médico e buscar alternativas. Eu conheço muitas, mas muitas mulheres que tiveram parto normal após 1, 2 e até 3 cesáreas e se sentem realizadas pela conquista. Se eu fosse você, procuraria um grupo de apoio ao parto normal em sua cidade. Boa sorte! Abraço, Clarissa.

      • Daniele cristina

        obrigado por responder,realmente concordo com vc sobre os médicos, mas so penso que nao podemos apavorar com a cesarea por que podemos ter uma, vejo muitas maes desesperadas pq tiveram que ir para cesarea, e hj temos recursos para dar tudo certo, eu acho que o que vale a pena é esperar até o ultimo minuto, mas se mesmo assim não der para ser normal, temos que ficar tranquila e pensar que vai dar tudo certo, meu medico acha que nao terei parto normal, meu baby já esta bem grandinho. Já vi casos que o bebe morreu por q era grande e forçaram o parto normal, o bebe foi sufocado e quebrou os ossinhos do ombro, Tudo tem que ser avaliado, Que o parto normal é o melhor até o nome já diz(o parto é NORMAL)mas se realmente precisamos de uma cesarea Ela não é um bicho de 7 cabeças não.
        Ah só mais uma coisa, parabéns pela iniciativa, adoro sites que falem sobre a gravidez, sou muito anciosa e é um passa tempo muito bom para nós gestantes. ter alguem para dar a nós opinioes que se não divulgadas seriamos como analfabetos da gestação.

    • Ok, Samia! Fico feliz que tenha gostado do post e espero que ele contribua para que muitas mulheres tenham seus filhos de forma mais saudável e respeitosa. Vamos torcer, né? Abraço, Clarissa

  33. deborah

    adorei teus textos, clarissa.
    tanto o primeiro (você me enganou direitinho!) como o segundo.
    mas ainda acho que cada caso é um caso e não se pode generalizar.
    lógico que entendo teu ponto de vista (quanto ao fato do médico querer a comodidade de um parto com data e hora marcados em detrimento de ter que levantar num susto de madrugada pra acompanhar um parto normal, por exemplo).
    mas como a daniele cristina disse aqui em cima, tem bebês que nascem enormes e que – por favor! – merecem uma cesárea.
    minha mãe me disse que eu nasci com 5kg, e que na maternidade todo mundo se assustava quando diziam que eu tinha nascido naquele mesmo dia (depois ela brincava que eu “encruei”…).
    convenhamos, ela era uma mulher sem quadril nenhum, super estreitinha, não tinha como eu passar por ela!
    cada caso é um caso…
    mas gostei da tua iniciativa e militância por qualidade de vida.
    vou voltar.

  34. ola meu nome e juliana estou gravida de 36 semanas mas nao tenho passagem para parir normal tenho 20 anos o terceiro filho vai ser cesario tambem morro de medo do normal mas queria ter

    • Jully, obrigada pela visita. Mas como assim você não tem passagem? Quem te disse? Não existe isso de diagnosticar a “falta de passagem” (o termo técnico é “desproporção cefalopélvica”) sem que você esteja em trabalho de parto ativo. Isso é papo de médico que não quer perder o tempo acompanhando um parto normal. Outra coisa: mesmo se não tiver outro jeito e você precisar de outra cesárea, você pode se recusar a agendar a cirurgia e esperar o tempo do seu filho. Estou torcendo para que seu bebê venha no tempo dele! Boa hora e abraço, Clarissa

  35. Mari

    O duro é conhecer historias como a de uma linda menina que atendi na escola que trabalho, com paralisia cerebral por demora de poucas horas para o parto. Algo perto de 10 dedos de dilatação, poucas horas de contração mas um bebe já em sofrimento e com uma seqüela grave para o resto da vida. Me pergunto se a vontade da mãe de esperar o parto normal até o limite não foi um pouco de egoísmo.

    • Mari, antes de tudo, obrigada pelo comentário e por abrir espaço para a discussão do assunto “paralisia cerebral e parto normal”. Na nossa cultura, há um mito de que o parto normal é perigoso para o bebê e que forçar a saída do bebê “por baixo” é a principal causa da paralisia cerebral. Mas não é verdade. Para citar a obstetra e doutora Melania Amorim: “Devemos destacar que apenas 10% dos casos de paralisia cerebral se associam com asfixia perinatal e, ao contrário do que julga o senso comum, não é o parto vaginal o principal vilão da paralisia cerebral, uma vez que na maior parte dos casos causas antenatais (sobretudo prematuridade e intercorrências obstétricas) podem ser identificadas” (link para o resto do texto: http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/prolapso-de-cordao-por-amniotomia.html). Não posso opinar sobre esse caso específico que você citou, mas vale a pergunta: como foi conduzido o parto? Quais intervenções foram feitas e por quê?
      A outra reflexão que vale a pena fazer é essa questão de “egoísmo”. Você realmente acha que alguém desejava mais o bem dessa criança que a própria mãe? Quem é capaz de julgar o que é egoísta ou não? E as mulheres que marcam suas cesáreas no dia em que completam 37 semanas porque “em tese” o bebê estaria pronto e elas não aguentam mais a ansiedade, o peso da barriga, a dificuldade em encontrar posição à noite – essas são menos egoístas? São perguntas difíceis, porém pertinentes, que cada pessoa vai responder de acordo com suas crenças e convicções. Mas a ciência é bem clara: o parto normal é estatisticamente mais seguro para mães e também para bebês. Um abraço, Clarissa

      • Kellen

        Adorei o texto, pois me senti menos culpada ao lê-lo. No entanto decidi comentar neste comentário pois aconteceu comigo algo parecido ao caso que a Mari relatou. Tive uma gravidez perfeita em todos os aspectos (tanto eu quanto minha bb) Sempre disse que teria um parto normal, fiz um pré-natal com um médico humanizado e muito conceituado no Brasil todo, frequentei grupo de apoio ao parto normal, contratei uma dola e decidi pari em uma casa de parto anexa a uma maternidade pública (referência em Humanização no atendimento à gestante e BB) onde meu médico era plantonista. Esperei pacientemente até 40 semanas e 1 dia, quando entrei em trabalho de parto pela manhã. Minhas contrações estavam tímidas e eu me perguntava se realmente estaria em TP. Como fui orientada comecei a anotar o tempo do intervalo das contrações. Por volta de 15:30 falei pro marido para irmos no hospital pois as contrações já estavam ritmadas e de 4 em 4 minutos. Chegando lá fiz o toque e já estava com 7 cm de dilatação e o coraçãozinho dela perfeito, fui para o chuveiro por volta de 17:00 e de 30 em 30 minutos iam auscutar o coraçãozinho dela que estava tudo ok. Porém por volta das 20:30 os batimentos começaram a cair, fui colocada no cardiotoco e constataram que estavam muito irregulares, fui levada a uma cesárea de emergência (esqueci de dizer que neste dia meu médico estava de plantão) onde tive que tomar além da anestesia comum a geral, pois a outra não pegava direito. Ao acordar recebi a noticia que nenhuma mãe merece ouvir, fizemos de tudo mas não conseguimos salvar sua filha. Desde este momento eu venho me perguntando: e se eu tivesse agendado uma cesárea para minha DPP um dia antes, ou mesmo para o dia mas pela manhã ela não estaria comigo agora? Tudo que fiz foi justamente esperar o momento dela querer nascer, mas foi tudo tão rápido que não teve nada que pudesse ser feito. Meu médico muito humano que é chorou e disse que minha filha foi o primeiro bb que ele perdera de paciente de consultório e que não havia explicação para o que acontecera. Provavelmente se ela tivesse resistido teria que ir para a UTI e teria uma paralisia cerebral. Agora veja que ironia: eu que sempre defendi o PN e decidi parir em uma maternidade pública mesmo sendo criticada por todos, saio de lá sem minha filha nos braços uma cicatriz na barriga e ainda tenho que ouvi: mas tb com plano de saúde inventa de ir ter filho de parto normal e ainda no SUS”. Desculpe o desabafo, mas que a culpa as vezes me consome. Mesmo tendo quase certeza de que o que eu fiz foi para o bem incondicional da minha filha.

      • Kellen, eu sinto muitíssimo pela sua perda e pela sua dor. Não precisa se desculpar pelo desabafo, imagina! Não sei se você encontrará um dia as respostas que busca, mas imagino que fazê-las seja uma necessidade e também uma tortura. O que eu posso dizer é que nenhuma escolha que fazemos está isenta de risco – nada é garantia de nada: só podemos estudar e usar as estatísticas a nosso favor. Você olhou as evidências, ouviu o seu coração e fez o seu melhor – e o que qualquer profissional baseado em evidências lhe orientaria a fazer. É muito triste, muito injusto, ter tido um final assim. É lamentável e revoltante que você tenha que ouvir coisas tão insensíveis e maldosas nesse momento de luto. Querida, desejo do fundo do coração que o seu luto e a sua cura sejam transformadores e belos, na medida do possível, é claro. Conte com esse espaço para todos os desabafos que quiser fazer. Um beijo, Clarissa.

  36. Josy oliveira

    Adorei todas as indicacoes tive minha filha normal e vou ter o meu filho normal tambem e com o poder de jesus cristo

  37. Renata

    Muito bonito o texto. Parto normal sempre foi minha opção, mas o difícil é conseguir algum médico ou hospital que faça parto normal pelo plano de saúde empresarial que eu tenho. Na minha condição de que não posso pagar 10 mil reais para fazer um parto normal, ou aceito a cirurgia ou vou para um hospital público na hora que a bolsa estourar.
    No momento estou optando pela cirurgia pois o mais importante é minha filha nascer !

    • Querida Renata, obrigada pelo comentário. Que bom que gostou do texto e que você esteja optando pela maneira mais natural de dar à luz a sua bebê. Eu sei que é difícil conseguir, mas espero que você continue lutando pelo seu parto normal, pois só assim é que o sistema mudará. Em que cidade você está? Aí tem algum grupo de apoio ao parto normal? Nas capitais, há excelentes hospitais ou centros de parto normal públicos, que nada deixam a desejar comparados aos hospitais particulares. Também não é impossível parir com médico do plano, embora seja sim mais difícil. Para aumentar suas chances, recomendo que você dê uma olhada no seguinte post:https://amaequequeroser.wordpress.com/2012/03/29/quer-dizer-que-voce-quer-parto-normal/
      Torço muito para você conseguir! Abraço, Clarissa.

  38. Katy

    Parabéns! Palavras sábias, ponderadas, caucadas em pesquisas, sem apologia ao parto normal, mas com a compreensão de que vivemos em outro momento… Que pode sim como vc falou manter a magia, a aventura e o respeito a natureza, ao momento certo para o corpo reagir e liberar todas as substancias essenciais ao nascimento. Com suas palavras, decidi-me de vez em enfrentar os constantes apelos medicos para marcarem uma data. Obrigada. Era o que meh coraçao me dizia. Um abraço,
    Katy

    • Oi Katy, fico feliz que esse texto tenha te ajudado a seguir o seu coração. É muito bom ouvir isso, de verdade. Espero que você o compartilhe, para que outras gestantes (e seus filhos) tenham a mesma chance. Eu só queria deixar claro que as evidências científicas comprovam que o parto normal continua sendo a melhor opção para o nascimento de um bebê. Podendo correr atrás de uma equipe que trate o parto com o respeito que merece, permitindo que a mulher seja a protagonista desse evento, seria uma pena não viver isso. Porém, sei que muitas mulheres não têm esses recursos nem o sonho de viver o parto como a experiência intensa e magnífica que ela é. Preferem a via cirúrgica. E dou a elas todo o direito, contanto que saibam os riscos adicionas a que estão se sujeitando. Mas o mínimo seria entrar em trabalho de parto, respeitando esse bebê e vivenciando, pelo menos um pouquinho, o que a natureza tinha em mente para esse momento tão transformador. Desejo a você uma boa hora! Passe aqui depois para contar a experiência. Abraço, Clarissa

  39. eu fiquei gravida e logo no começo comecei a sofrer muito quase perdi meu bebe estava feliz querendo o normal com 38 semanas fui parar no hospital com dores fortes fiquei um dia e meio esperando o normal quando foi na parte da manha meu médico me disse vamos para a cesaria ou voce e o bebe vai morrer dilatei 4 dedos nao passava disso sangrei a noite toda o doutor que estorou a bolsa meu bebe nasceu com 51 centimetros e com 3 kg e 435 nasceu saudavel lindo nao em problema nenhum meu anjinhu que esta com 2 meses o amor da minha vida e do papai…

  40. elian

    ola mamaes eu concordo que a cesareana nao pode ser encarada como tem sido no Brasil,eu tive meus 2 filhos na alemanha,e eles preferem pn com certeza,mas gracas a cesariana,eu pude ser mae e ver meus filhos lindos e saudaveis,hj com 4 e 2 anos e meio..
    meu filho nasceu com 37 pra 38 semanas com 4200 e 59cm….enromeeeeeee e tinha quase mais 3 semanas pela frente…o que houve,q quando fui na consulta de pre natal,a medica me avaliando,disse com olhar desesperador,q no dia seguinte eu teria q fazer cesarea,e pra eles decidirem isso,e por q tem q ser….mas mesmo assim no hospital eles tentaram o pn com inducao,com medicamento,mas nao tive abertura,e nao podia correr mais riscos,o nene tava mto grande e nao estava chegando bem a nutricao…ou seja se fosse aguaradar meu sonhado pn,eu poderia ter morrido e meu bebe tbem,e quem nsabe nunca mais podido engravidar
    na segunda gravidez da minha filhota,eu esperei ate 40 semanas,e nada de contarcao e nem abertura do utero,e a 40 semanas minha filha ja tava grande, ea diferenca de tempo do meu filho pra ela era de 1 ano 3 meses,e eles de novo decidiram cesareana…eu pedi pn e eles disseram q nao d’a mais
    agora estou gravida de 6 meses,tao diferente essa gravidez,td mais dificil,e vai ter q ser cesarea pq eles disseram q depois de 2 cesareas,o resto sempre serao cesarea…eu queria tanto tentar pn
    hj minha filha tem 2 anos e5 meses e meu filho quase 4,ou seja a diferenca e maior,sera q nao ha chance de eu ganhar pn,pq essa gravidez nao ta grande q nem os outros…
    alias e uma menininha,q q vcs acham do nome anna….quero q seja nome internacional,onde for q seja mesmo nome…meu filho simon,filha sophie, e essa sera anna
    bom espero ter ajudado…nmao d’a pra planejar tanto nossos desejos,com q de fato acontece….o medico tem q avaliar as possibilidades sem riscospra mae ou pro bebe…eu sempre deixo q as coisas acontecam ce melhor pra nos….entao devemos esperar pro momento mais proximo,e nao esperar tanto tbem por q qdo passa do tempo,o oxigenio pode falatar e ate perder bebe…beijos
    aguardo resposta de alguem q tem 3 gravidez* com 2 cesareas anteriores

    • Sabrina

      http://oquehadeerrado.blogspot.com.br/2013/04/parto-normal-apos-3-cesareas-vba3c-da.html

      http://relatosdeparto.blogspot.com.br/2010/09/relato-de-outro-vba2c-leiliane-luduvico.html

      alguns relatos, mas se você procurar, acha mais =)
      procure vba2c (parto normal após 2 cesáreas, sigla em inglês) e vba3c (após 3 cesáreas, só pra você ter certeza que é possível após 2 rs)
      boa sorte

      • Gislene Santos

        Ola…meu bb esta completando 30 semanas hoje.E eu já havia ligado pra minha amiga pra ir comigo marcar o parto,por curiosidade resolvi ler algo sobre o assunto.Sempre tive medo de pn mas vou respeitar o meu filho e esperar mais um pouco.Tenho uma amiga que antecipou o parto do bb dela e percebo que ele vive doentinho tadinho com problemas respiratórios. Tenho muitas duvidas e infelizmente os médicos não nos orientam sobre os riscos.

      • Olá Gislene, obrigada pela visita e pelo comentário tão sincero. Considerando que você é uma mulher brasileira e vive nessa cultura tão pró-cesárea, é super normal ter medo do parto normal. Infelizmente, as novelas, as amigas, as revistas e os médicos contribuem para disseminar mitos de que a cesárea seria mais segura e menos dolorosa que o parto normal. Mas se você se cercar de pessoas que entendem e confiam na capacidade de parir, é possível superar esse medo e conseguir trazer seu filho ao mundo da maneira mais segura e benéfica e ainda mostrar a si mesmo que é capaz! Se você estiver aberta a essa possibilidade, procure um grupo de apoio ao parto normal em sua cidade. Eu frequento um no Rio e as histórias das mulheres são inspiradoras. A sensação de orgulho, felicidade e conquista de quem conseguiu um parto normal respeitoso (numa sociedade em que isso é tão difícil!)… bem, não há palavras para descrevê-la. É emocionante! E pode ser justamente o “empurrãozinho” que você precisa para buscar outra via de nascimento pro seu filho. No entanto, se você não se sente pronta/capaz ou se não deseja vivenciar esse momento, acho que o mínimo que você pode fazer pelo seu filho (e por você!) é esperar o tempo do seu bebê e entrar em trabalho de parto. Os benefícios para ambos são imensos! Uma boa hora para você e volte sempre. Abraço, Clarissa

  41. Valentina guimarães

    Olha não gostei do texto, por que pra mim, tudo o que é imposto não é legal. meu bebê morreu na minha barriga com 8 meses e os médicos tentaram me induzir ao parto normal.
    Enfiaram 7 comprimidos de Citotec para eu abortar a criança morta, o que foi impossível e desnecessário.
    Este procedimento só me trouxe sequélas e muita dor, também me deixaram com o bebê morto em minha barriga por 4 dias, pois estavam tentando o normal, me disseram que tem mulheres que ficam 7 dias.
    Absurdo, uma vez que vc já esta fragilizada pelo óbito, vc deve ter á escolha de saber o que é melhor pra vc.
    Sem falar que a médica qdo viu que eu não abortava com Citotec , falou em fazer uma sucção do bebê e esta poderia tirá lo de dentro de mim aos pedaços.
    Nem com bicho deve ser feito isso , que dirá com uma criança, não importa se ela esta morta.
    Sem falar o risco de infecção que fui exposta, podendo ocasionar a perda do meu utero
    Toda mulher deve ter a escolha de resolver se é melhor cesarea ou parto normal, e , isso não é respeitado, pq se a mulher não tem dinheiro, fica nas mãos dos médicos, dependo da sua boa vontade….

    • Daniela Nacaratto

      Valentina,

      entendo sua angustia pela perda de seu filho, mas o grande ponto e que se temos menos riscos em um parto vaginal comparado com uma cesariana com um bebe vivo, quando falamos em bebes mortos entao a diferenca de riscos e maior ainda!!!!

      Nesse momento temos que pensar em presevar o maximo a mae para uma proxima gestacao, e uma cicatriz pode trazer um aumento de riscos nao so no momento (anestesia, infeccao, sangramento) como tambem para a proxima gestacao ( acretismo placentario, placenta baixa ).

      Quanto ao citotec, e o recomendado sim. Em algumas mulheres o corpo demora mais a reconhecer a morte do bebe e iniciar o trabalho de parto. Nesse momento as psicologas tem tecnicas bem legais que podem ser usadas para acelerar o inicio das contracoes.

      em relacao aos seu riscos enquanto internada, vamos combinar que independente da vocacao vaginalista ou cesarista de qualquer medico, a pessoa que mais quer que nada de errado aconteca e o proprio medico! Afinal, porque ele faria uma conduta que da muito mais trabalho para ele se fosse arriscada e nao tivesse uma solida base cientifica? Cesarea ‘e sempre mais facil e rapido, nao e mesmo ;)

      Torco imensamente por uma gestacao tranquila para voce no futuro!

      PS: desculpem a falta de acentuacao, ainda nao conegui configurar meu teclado novo…

  42. Jacyanne Faria

    Colega deixa de ser boba…as vz e necessario fazer cesaria…antes das 42 semanas…pela mãe ou pelo feto…ambos…isso sim…vc deveria escrever….nem tudo é maravilhas.

    • Jacyanne, obrigada pelo comentário. Mesmo que eu não tenha gostado de ser chamado de “boba”, adorei o comentário porque ele me dá a oportunidade de passar aos leitores uma informação importante que é este aqui: a única indicação de cesárea agendada (ou seja, fora de trabalho de parto) é placenta prévia (quando a placenta se encontra sobre o colo do útero). Outras cesáreas necessárias podem e devem aguardar o trabalho de parto. Portanto, não é necessário agendar uma cesárea por outros motivos. Claro que você tem o direito de fazê-lo, mas agendar uma cesárea antes do trabalho de parto raramente representa melhores desfechos para a saúde do bebê (e muito menos para a mãe, que terá sofrido uma cirurgia abdominal). Se a preocupação é a gravidez “prolongada” (passando de 40 semanas), pode-se considerar outras opções, como um monitoramento mais cauteloso ou um descolamento de membranas ou até mesmo uma indução medicamentosa de parto. Não é necessário agendar uma cesárea – a não ser, é claro, que seja uma escolha ter o filho por meio de uma cirurgia. É claro que nem tudo é maravilhas, como você diz. Problemas podem acontecer. Agora numa cultura cesarista como a nossa, com bebês sendo nascidos com 37, 38 semanas, fora de trabalho de parto, os problemas são praticamente garantidos. Por isso a necessidade de informação baseada em evidências, como as que você encontrará aqui no blog. Abraço, Clarissa

  43. Daniela Brandão

    Oi Clarissa. Estou visitando seu blog pela primeira vez, e adorei o texto.
    Tenho uma dúvida. Se esperar pelo trabalho de parto para fazer a cesárea, será não há o risco do bebê estar muito encaixado e não dar mais para fazer a cesárea?
    Um grande beijo!

    • Se não esperar o trabalho de parto, será que não há o risco do seu bebê nascer prematuro e ter complicações pro resto da vida?
      Sim, pode ser mais difícil um bebê encaixado nascer de cesárea, como poder ser mais difícil ainda um bebê que não está pronto nascer por uma antes de estar pronto.
      Mas ainda vale a pena pensar o motivo: Por que fazer uma cesárea sem necessidade?
      Será que vale a pena fazer ela de qualquer forma se estiverem bem?
      O momento é único, vai ser a unica chance de você e este bebê passarem por um momento tão intenso e lindo.
      Vale a pena ler mais aqui no blog e em outros blogs também e se informar.
      Parir pode ser prazeroso, experiencia própria!
      Descubra seus medos, encontre uma equipe humanizada e se informe =)
      Beijos carinhosos!

    • Mariana guimaraes

      Daniela

      se o bebê estiver encaixado, o médico puxa o bebê até ele sair.
      Agora, te proponho uma reflexão:

      Se vai entrar em trabalho de parto, por que nao esperar o bebê nascer ao invés de se submeter a um procedimento cirurgico que vai te dar 4,9 vezes mais riscos de correr?

      acredite: não é tao impossível assim, toda mulher consegue se for tratada com respeito, e além de o seu bebê ser muito beneficiado por passar pelo canal de parto e receber a massagem nos pulmões e entrar em contato com as suas bactérias, preparando-o mais para a vida extra-uterina, vc tb vai se poupar de riscos de infecção hospitalar, de complicações e infecçoes nos 85 pontos internos que vc vai levar no útero e nas suas camadas de pele além de ter uma recuperação muito mais rápida para estar 100% para cuidar do seu bebe.

      bjs

    • Joana Adnet

      Oi Daniela!
      Olha, segundo minha GO, é até mais fácil realizar cesárea se estiver encaixado, pois se for muito cedo pra nascer, o bebê fica muito alto e dá uma trabalheira puxar. É SEMPRE melhor deixar o trabalho de parto começar naturalmente pq é uma forma de o bebê avisar que ele está prontinho pra nascer.
      Mas o fato é: se ele está lá encaixadinho, é pq a natureza agiu da melhor maneira e pq ele e você têm perfeitas condições para um parto normal. E olha que quando falo em natureza, falo em milhares de anos de evolução!
      É melhor tanto para você quanto para o bebê.
      A cesareana é uma cirurgia espetacular, que salva muitas vidas, mas, como qualquer cirurgia, deve ser realizada quando há real necessidade. Fazer uma cirurgia à toa não é muito legal.
      Entendo que o parto normal possa assustar, mas te garanto que, se vc assistir a alguns videos de cesareanas na internet, assustam muito mais. É uma cirurgia de grande porte, com grande risco de hemorragia e infecções. Fora que não é mole cuidar de um recém nascido se recuperando, num pós-operatório.
      Pense com carinho :)

  44. Clarissa PARABÉNS, vc escreve MUITO bem, arrasou!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Virei sua fã total!!!!!

  45. belo texto, estou com 6 semanas e sou adepta do parto natural. eu minha mae e irmã somos favoráveis. É muito difícil explicar para as pessoas inclusive meu marido que não concordo com o parto cirúrgico, salvo nas situações de risco real. Seus argumentos e embasamento cientifico so corroboram o que o coração já escolheu: que a natureza siga seu curso,

    • Já levou o marido pra ver o filme O Renascimento do Parto? Dá uma olhada no site pra ver se está passando na sua cidade: http://www.orenascimentodoparto.com.br
      Li vários relatos de homens que se sensibilizaram após ver como é a cesárea, o tratamento ao recém-nascido, o parto natural humanizado.. Tudo embasado na ciência e em depoimentos de médicos e estudiosos do assunto. Boa sorte nessa caminhada! Abraço, Clarissa

  46. Bruna Melo

    Nossa me emocionei!!! Texto extraordinário!!! Peço sua permissão para trabalha-lo com as gestantes de meu município, pois também sou uma defensora do parto normal!!! Parabéns pelo inspiração!!!

    • Obrigada, Bruna! Claro que pode compartilhar o texto – peço somente que coloque o meu nome, Clarissa Oliveira, e o endereço do blog. Sucesso com “suas” gestantes! Vamos mudar o nascimento no Brasil :) abraço, Clarissa.

  47. joana

    Adorei o seu texto…mas depois de lê-lo fiquei preocupada, pois desde que soube q estava grávida sempre quis um parto normal…sempre achei q o meu filho teria q nascer na hora dele, no momento certo, no entanto, tive algumas intercorrências na minha gestação…tive desde os 4 meses, mtas dores no rim e na vesícula, descobri q estava com hidrofenose e cálculo biliar…inclusive teria q fazer uma cirurgia para tirar minha vesícula mas nenhum cirurgião q eu fui nao indicava…pq estava grávida e eu dei graças a Deus, pq seria um aborto…então tive q me afastar do trabalho e com toda minha força resolvi aguentar firme as dores pelo meu filho, pq nenhum remédio q eu podia tomar adiantava. Diante desses problemas… não sei se poderei ter parto normal…na verdade a minha GO disse q não indica pq com a força do PN pode arrebentar a vesícula e arriscar a minha vida e a do meu filho…e ela achou melhor marcar a cesárea para o plantão dela qd estarei com 39 semanas! Eu n sei se é isso mesmo…o q achas?Pois depois de ler o seu texto e os comentários fiquei receosa, não sei se devo aceitar, pq eu quero esperar a hora que meu filho quiser nascer…hj com 37 semanas já tenho sentido contrações e cólicas desde as 34 semanas, mas os médicos dizem q n tem nenhuma abertura e meu colo está bem fechado…tb n sei se vou ter abertura para PN( a minha mãe n teve abertura em nenhum e todos foram cesáreas)…Na verdade o q eu mais queria…era q a bolsa estourasse antes do dia da cesárea marcada!

    • Joana, sinto muito por essas intercorrências todas. Deve estar sendo uma barra… Agora, eu (EU) não desistiria tão rápido do meu desejo de parto normal não. E essa história de marcar a cesárea para o plantão dela me parece muito conveniente (para ela), não? Acho que você poderia buscar uma segunda opinião, de preferência de um médico comprovadamente baseado em evidências. Onde você mora? Abraço, Clarissa.

      • joana

        Obrigada pelo retorno Clarissa, na verdade ela marcou a cesárea para o plantão dela, para não nos cobrar o famoso “chamado”( que é qd o médico fica disponível para ser chamado a qlqr momento e eles cobram um valor por fora) aqui em Floripa-SC, esse valor varia de médico para médico, mas fica em torno de R$2600,00…Mas como nós temos o plano da Unimed, a médica oferece o plantão dela para fazer e daí tudo é pago pelo plano, mas assim só dá para fazer qd é cesárea marcada ou se dermos sorte e o TP cair no plantão dela…
        Mas agradeço pelo seu conselho… vou ver se me consulto com uma outra médica para ver outra opinião… o problema é q como já estou de 37 para 38 semanas, não sei se conseguirei encontrar um médico e/ou um médico que aceite meu pré- natal…

      • Joana, estou te mandando um email com alguns contatos na sua área que podem te ajudar. Vou torcer muito para que você consiga o melhor parto possível para a sua situação e que os seus desejos e necessidades sejam respeitados nesse momento tão singular e precioso. Abraço, Clarissa

  48. jaqueline

    olá, minha tia teve pn, mas o cordão umbilical veio primeiro e o bebê que era uma linda menina e que nasceu com 3600 e 51cm morreu. Será que era pra ter feito cesariana nela? Não consigo tira da minha cabeça que se tivesse feito cesaria o bebê teria sobrevivido

    • Querida Jaqueline, sinto muito pelo o que a sua tia passou. Prolapso de cordão (quando o cordão vem primeiro) é uma ocorrência rara que requer intervenção obstétrica imediata, podendo sim terminar numa cesárea intraparto – ou seja, entra-se em trabalho de parto e, caso houver prolapso, pode haver indicação de cesárea de emergência. Realmente não sei por que não operaram a sua tia nem o que tentaram fazer. É importante dizer que a probabilidade de prolapso de cordão é baixíssima (em torno de 0,2%) e morte neonatal nesses casos é raro (um estudo sugere que menos de 10% dos casos de prolapso resultam em morte ou morbidade) – muito menor do que a probabilidade de um bebê ficar em UTI pós-cesárea por “pulmão molhado” ou prematuridade iatrogênica (por ter sido tirado antes da hora). Vale dizer também que, às vezes, intervenções obstétricas datadas e desnecessárias (como romper a bolsa artificialmente) contribuem para aumentar a probabilidade de haver um prolapso. Tudo isso para dizer que o problema pode não ter sido o parto normal e sim a assistência inadequada. Mas pode ser também uma fatalidade. Bebês morrem, tanto de parto normal quanto de cesárea (embora morram mais de cesáreas). Espero que a sua tia tenha se recuperado dessa perda tão dolorida. Abraço, Clarissa

  49. Aline Rozani

    Acho que temos que ficar preparadas pra tudo……mas temos que ter cuidado com a escolha de cada um…….Cesaria ou normal…..nao indica mais amor ou menos amor……O mesmo fato ocorre com a amamentaçao….tive problemas em amamentar e me machucava muito ler e ouvir as pessoas dizendoo que quem nao amamenta esta com frescura…..desenvolvi uma depressao por parto nao pelo parto mas pela amamentaçao……..Cada um é cada um…cada mulher sabe seu limite….

    • Aline, alguém aqui falou em mais ou menos amor? Se você sofre com essas questões ou sente que a sua maternidade está sendo julgada, é possível que você precise exercer a autocompaixão. A opção pelo parto normal ou pela cesárea não é medida de amor materno e sim de uma série de fatores: desejos, medos, acesso a informação, acesso a uma assistência respeitosa e baseada em evidências, além de entrar na equação mitos, grana, coragem e perseverança – e, claro, o imponderável (que você pode chamar de sorte/azar ou destino). Quanto à amamentação, acho que vale mais ou menos o mesmo. Espero que você tenha superado essa depressão e esteja recebendo apoio e carinho. E quanto aos limites, não posso deixar de lembrar que, muitas vezes, não sabemos o nosso limite nem a nossa força. Não estou dizendo que não existem limites; mas sim que é possível superá-los, caso exista esse desejo. um abraço carinhoso, Clarissa.

  50. Magda

    Acho que faltou um pouco de informação, mãe soropositivo também deve realizar parto com data agendada, e nesse caso nem amamentar a mãe pode. E acredito que essas mulheres sofram bastante lendo algumas matérias, não especificamente a sua, mas existem matérias terríveis por ai, algumas ate julgando se a mulher deveria ou não ficar gravida. Com certeza o parto normal é excelente e realmente cesária sem necessidade não é o melhor, mas acho que algumas defensoras do PN deveriam ser menos radicais e pararem de julgar tanto as outras mulheres, que muitas vezes já estão passando por uma situação complicada. Não acho que seja seu caso, mas existem muitas mulheres terríveis nesse meio que julgam sem dó.

    • Oi Magda, obrigada pelo comentário. Sobre as indicações reais e fictícias de cesariana, sugiro o post da obstetra e pesquisadora Melania Amorim, Ph.D: http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html. Lá diz que a cesárea eletiva (fora de TP) só é indicada em casos específicos e dependem da carga viral. Sobre o excesso de julgamentos,na minha experiência, existem pessoas insensíveis nos dois lados do espectro materno. Você não faz ideia de quantas baboseiras as pessoas que querem parto normal escutam, desde ignorâncias como “você vai ficar com a periquita larga” a “cuidado, você pode matar o seu filho se esperar muito tempo”. Esse tipo de terrorismo e desrespeito é corrente e vem de familiares, colegas de trabalhos e perfeitos estranhos. Na nossa cultura, toda tentativa de minar o parto normal é vista como aceitável, enquanto que falar dos benefícios do parto normal e malefícios da cesárea é interpretado como ‘radicalismo’. Mas eu acredito que o respeito é necessário e cada vez mais urgente. Obrigada por me lembrar da importância desse valor. Um abraço, Clarissa

      • Magda

        Realmente existem pessoa ignorantes dos dois lados, Bem interessante a matéria que você me mandou.
        Realmente tem a questão da carga viral, mas acompanho de perto um SAE especializado nisso e o recomendado é a cesária para mães que já fazem acompanhamento, Acho que esse é um daqueles casos de melhor escolha, ate porque ele diminui muito o risco da criança contrair o hiv, e com certeza a saúde da criança é o que a mãe mais deseja. Tenho lido bastante sobre parto e como você disse tem pessoas que falam horrores sobre parto normal e horrores sobre cesária, as vezes ate trazendo sofrimento para aquela mãe que não poderá ter parto da forma que sempre sonhou. Realmente é uma questão complicado e falta em algumas pessoas certa humanidade, preferindo julgar o outro, muitas vezes para mascarar seus próprios medos e problemas. Sua pagina é ótima vou continuar acompanhando. Um abraço

  51. herica

    A pelo amor de deus fala serio tenho dois filhos e estou estou esperando o terceirio. Nao posso ter filho de parto normal ai vou fazer oque deixar morrer porque cesariana e isso ou akilo ah evolui mundo…… Tem po das cavernas ja ta no inferno

    • Se vc está tão convicta da necessidade da terceira cesariana, por que entrou no post e se deu ao trabalho de comentar? Outra coisa: esse post não fala sobre cesárea vs parto normal, e sim sobre os benefícios se deixar o trabalho de parto começar e de esperar o tempo do bebê. Reflita sobre isso. E pare de falar que cesárea é evolução, porque isso é pura ignoráncia, visto que anos de estudos comprovam a superioridade do nascimento via vaginal. Boa sorte na cirurgia; que seu filho nasça com saúde!

  52. ana paula

    Adorei os assnts citados acima…estou de 37 semanas anciosissima pra ve o rostinho do meu filhoti…mais vo espera ate hr q ele quiser vim ao mundo…eh melhor pra ele e pra mim tambem quero parto normal…tomara q na hr q chega a hr eu tenha dilatacao e td certim…alem de se errado esse negocio de agenda a cesaria escolhe dia e hr faz mal pra seu filho e ainda vc faz com uma cicatriz horrivel e ainda fica uns 15 dias dependendo de familiares…em ves d vc curti os primeiros banhos dle e td d mais…..qro parto normal…tomara que seja da vontade de Deus

  53. Valmira rodrigues de souza

    Ai tem dicas q sao infaliveik

  54. josy

    Concordo plenamente,estou gravida de 39semanas e o meu maior desejo era ter normal. Acontece que o meu bb ta em posiçao pelvica e ainda ta emborcado,entao os medicos hj em dia nao oferecem opçoes,seja um exercicio,fisioterapia…enfim que possibilite o bb encaixar,falam logo em cesaria. Em contrapartida fora do país os medico ate viram o bb deixando-o em posiçao correta p parto nnatural. Agora vou fazer uma cesaria,confesso q fiquei bem triste mas a Saude do meu bb em primeiro lugar. Josy

    • Josy, obrigada pelo comentário e parabéns pela gravidez! Lamento muito que você esteja sendo acompanhada por profissionais que não te ofereceram opções de virar o bebê – nem exercícios nem a manobra “Versão cefálica externa” (uma manobra feita para virar o bebê manuseando o útero, sempre com monitoramento cuidados dos batimentos cardíacos fetais). Recomendo que você leia o seguinte texto: http://parirenascer.blogspot.com.br/2012/05/bebe-pelvico-e-agora.html.
      Se você acredita ser tarde demais para tentar mudar a posição do bebê agora, recomendo fortemente que você aguarde o início do trabalho de parto para ir à maternidade. Chegando lá, também acho que você deveria pedir uma ultrassonografia antes de concordar com a cirurgia, pois pode ser que o seu bebê tenha virado por livre e espontânea vontade. Se você quiser muito, muito mesmo, fugir da cirurgia, é possível correr atrás de alguém que concorde em acompanhar um parto pélvico. Se você quiser, responda a essa mensagem que eu te passo alguns contatos em mensagem fechada. Um abraço, Clarissa.

  55. Cristiane

    é tão difícil achar um médico que concorde com tudo isso!!! Hoje minha filha tem quase quatro anos. Quando eu engravidei, eu queria parto normal e só mudaria de ideia se não tivesse mesmo outro jeito! Iniciei meu acompanhamento com um médico e acabei mudando pra outra lá pelo terceiro mês. A médica que seguiu me acompanhando disse que eu tinha varizes grandes na região genital e provavelmente não poderia ter parto normal. Disse também que eu deveria estar preparada pra ter minha filha próximo ao Natal ou Ano novo. Como eu disse que por mim estava tudo bem, esperei minha filha querer vir. Dia 26 de dezembro de 2009 minha bolsa rompeu e minha médica sumiu! Isso mesmo: nunca mais consegui falar com ela! Liguei, deixei recado na caixa postal, sms e nada! Fui para o HCE, hospital do Exército que tem plantonista, e tive minha filha lá. Infelizmente não tive dilatação e após 12h de bolsa rota acabei fazendo cesárea. Como seria bom se tivesse alguma lista, algum site ou qualquer outra forma de nos indicar médicos que PREFEREM parto normal!!! Hoje já conheço quem conseguiu, mas é muito difícil! No meu caso, achei que havia convencido minha médica, mas ela embolsou o dinheiro das consultas e sumiu quando foi conveniente!

  56. camila

    ola eu tambem gostei do seu post de certo tem comentarios que acham que vc esta hostilizando a cesarea, e eu não vi assim seu post serve como orientação e aconselhamento, baseado em estudos que vc mesmo fez questão de pequisar, eu tenho 24 anos e estou de 25/26 semanas, quero PN porem as minhas semanas tem essa pquena diferença toda vez que faço ultra quero aguardar a minha filhinha decidir nascer e acredito que tudo acontece conforme e vontade de DEUS se não de pra ser normal tudo bem, mas espero ter tp para assim poder realizar o procdimento caso não seja possivel realizar a normal.

    camila

  57. Giselly

    Então, estou com 37 semanas e 2 dias, meu médico quer agendar a cesária para 38 semanas e 5 dias, desde o início ressalto minha vontade de fazer parto normal, mas ele alega ser um bebe grande, de acordo com a US está com aproximadamente 3300 Kg, com 40 semanas deve estar com aproximadamente 4 Kg, considerando o ganho de peso conforme as últimas semanas.
    Eu leio bastante, mas sinceramente, a informação não foi um fator decisivo para ter vontade de ter PN, porque essa vontade vem de deeentro, forte de um jeito que não consigo explicar.. Vai doer, eu sei, mas não estou nem aí para a dor, eu sei que é uma dor do bem, é uma dor que traz minha anjinha, é de fato um trabalho em equipe, não é uma dor sem explicação que mata a gente de medo, que desconhecemos o motivo, a duração, e principalmente como acabar com ela, a dor do PN acaba com um presente. Eu já tinha me conformado com a dor, esquematizado entre corpo e mente, que a contração era ela mais perto, e que quando eu não estivesse mais plenamente consciente só iria pensar nela e deixar o instinto me levar.
    E mesmo sabendo da minha vontade de passar por tudo junto com a minha baby, ele jamais mencionou fazer a cesária após inicio do TP.. Isso faz a gente perder a confiança e se sentir desamparada.
    Isso que fizemos um super acompanhamento desde o início, om US a cada consulta, acompanhamento semanal desde as 36 semanas, uma gestação sem nenhum problema, durmo bem, como bem, pressão sensacional, ganho de peso dentro do recomendado, bebe lindo encaixado.
    Me sinto constrangida de chegar na consulta amanhã, e ter que falar sobre a cesária durante o TP, se for realmente necessária devido ao peso, é uma ´possibilidade que ele deveria estar levantando, não eu..

    O que acha sobre essa situação do peso do baby?

    Desculpe o desabafo, é que estou realmente frustrada e chateada com isso, até meu marido que não é um posso de sensibilidade, está torcendo horrores para nossa Maria Alice nascer por livre e espontânea vontade antes da cesária.

    • Giselly, obrigada pelo comentário. Não peça desculpa! Criei o blog para isso – para ajudar as pessoas. E você tem o principal – o desejo de parir! Como você disse, é algo que está dentro de você. Por favor, não desista do seu desejo! Sinto te dizer que a primeira coisa que você precisa fazer é encontrar outro profissional. Esse médico está determinado a te levar para a faca. O peso do seu bebê, além de ser um número aproximado (e aposto que o médico “chutou para cima”, procurando um motivo para te conduzir para a cesárea!), está ÓTIMO para essa idade gestacional. Eu DUVIDO que esse bebê nasça com mais de 4kg. E, se nascer, tudo bem também, porque conheço várias mulheres que tiveram partos normais lindos e sem laceração com bebês até maiores (uma grande amiga minha pariu um bebê de 4kg200 e não levou um ponto sequer!). Infelizmente, parece que o médico que está contigo está desesperado atrás de um motivo para fazer a cesárea da forma mais conveniente para ele. E você não deve aceitar isso nem muito menos recompensá-lo por isso (afinal, ele vai ganhar dinheiro seu- mesmo que seja do plano – para fazer algo que você não quer).
      Onde você mora? Posso te colocar em contato com pessoas da sua cidade que poderão te ajudar a conseguir o tão desejado parto que você e a sua filha merecem.
      Um abraço solidário!

  58. Giselly

    Obrigada pelo apoio, me sinto até mais confiante, porque é todo mundo ao redor falando, faz cesária, é rapidinho, já tira e pronto, e eu não sei dizer delicadamente que eu não quero tirar e pronto.. Vai entender!
    Minha DPP é 30/12/13, a maternidade é em Balneário Camboriú/SC, a clínica onde estou fazendo o pré-natal fecha dia 19/12, data também da minha última consulta, por isso a intenção de marcar a cesária para dia 20/12. Após essa data acredito que posso recorrer somente a maternidade, foi levantada a questão do final de ano, litoral, trânsito…
    Mas depois do desabafo, decidi que, se após essa data meu médico não estiver disponível, vou recorrer a emergência da maternidade, semanalmente, até as 41 semanas, se continuar tudo bem com o bebe, vou aguardar e ver o que acontece, não é irresponsabilidade né? Vou continuar com acompanhamento, e os médicos de lá são super conceituados, só não sei o que vão achar disso..

    • Gselly, minha filha nasceu com 41 semanas e 5 dias, parto normal no Marieta, em Itajaí (moro em Penha).
      Não, irresponsabilidade seria tirar seu bebê antes do tempo só pq é final de ano (sinceramente, acho que é por isso que seu médico quer fazer a cesárea, mais nada!!)

    • Querida Giselly, te mandei um email com um contato que pode te ajudar ainda mais. Não é irresponsabilidade! Irresponsável são esses médicos que querem tirar sua filha antes da hora, contrariando o bom senso e as boas evidências. Uma vergonha. Estou torcendo por você. Abraço, Clarissa

  59. Giselly

    Obrigada!! Quando a Maria Alice nascer aviso vocês! :) Tive uma consulta hoje, e quando o Dr. falou do parto só enrolei, falei que podemos ver na próxima semana.. Que será minha última consulta de pré-natal. Bjus não sei como agradecer o apoio;

  60. Fernanda

    Meu primeiro filho tive de parto normal, foi maravilhoso. Doeu? Claro que sim, mas é impossível descrever a emoção que senti. Minha segunda gestação foi mais complicada, estava grávida de trigêmeos, tive um aborto espontâneo com 8 semanas e perdi 2 bebês, minha menininha estava sentada e tinha diabetes gestacional, ela nasceu com 36 semanas, minha bolsa rompeu e a cesárea foi de emergência. Nasceu saudável graças a Deus. Sempre me perguntam que parto prefiro e respondo sem hesitar, optaria pelo PN novamente, mas minha GO que é super a favor do normal não quis arriscar. O natural é ter normal.

  61. Eula

    Sempre quis PN mas por ser epilética os médicos indicaram a cesárea alegando que a dor induz a convulsão, que poderia ser fatal para o bebê. Na 1ª gravidez, o médico agendou e meu filho nasceu com 38 semanas e 6 dias, para evitar que eu sentisse dor. Na 2ª gravidez, meu filho nasceu 2 dias antes do agendado pelo médico porque o tampão se rompeu e o líquido estava vazando. Apesar do 2º bebê ter dado um sinal de que queria nascer, ele teve problemas respiratórios e depois de alguns tempo, foi diagnosticado como TEA. Me pergunto: isso aconteceu por eu ser epilética ou por “conveniência” do médico?

  62. Vera

    Seu texto me trouxe de volta as lembranças dos meus dois partos…
    Os dois normais….o primeiro de sete meses, nasceu com 1,700kg, sem esforço nenhum e o segundo normal também só que induzido, pois minha filha já estava fazendo hora extra na minha barriga….. Um diferente do outro, porém com intensidade igual….
    A recuperação dos dois foi excelente…. 2 semanas depois já dirigia, saia com os bebês, e tentava me acostumar coma nova rotina.
    Minha médica não aceitava fazer cesariana, acreditava que o parto normal seria melhor pra mamãe e bebê…. Confiei nela, quando me indicou o parto normal, e mesmo quando me disse que preferia induzir o parto da minha filha, pois passava da data prevista, do que fazer cesariana.
    Isso foi a 21 anos atrás…. Minha médica era das antigas….. Não era adepta de marcar parto por conveniência.
    Que pena que não pude ter mais filhos….. Teria adorado ser mamãe de novo!

  63. Rafaela

    Olá, adorei o texto.
    Queria parto normal, porém com 5 messes descobri que não poderia ter.
    Sempre pensei que a cesaria tinha que ser marcada, em um curso de gestante que eu fiz no hospital, acabei descobrindo que não é necessário marcar a cesaria, e eles até aconselharam a nao marcar.
    Logo depois com 7 meses conversei com a medica disse que não queria marcar o parto, ela disse que eu ia ficar sentindo dores, enquanto preparava a sala de cirurgia e tudo mais.. Mas que pra ela, não tinha problema ser dessa forma. Quando fiz 8 meses, ela começou a dizer que não via porque não marcar a cesaria, que eu ia ficar sentindo dores, que tem coisas que tem que ser prática, ela disse então para pensar melhor. Mas eu não quero marcar, quero muito poder entrar em trabalho de
    Parto.

  64. Marina

    Vítima da Cesariana Agendada
    Se pudesse, aconselharia todas as mulheres a optar pelo parto normal, ou pelo menos a passar pelo trabalho de parto antes de uma eventual cesária.
    Sou uma vítima da cesária agendada, aquela sem trabalho de parto e sem a menor consideração para com o bebê. Hoje, com 20 anos e depois de alguma leitura em artigos científicos a respeito, concluo que teria sido mais benéfico, e até mais ético, se minha mãe tivesse me abortado.
    Nasci com 38 semanas por conveniência de um médico insensível e pelo medo que minha mãe sentia da dor. Um paradoxo, pois ela relata que a dor do pós-operatório que sentiu, após a cesariana, foi muito mais cruel que a dor que sentiu em seu primeiro parto, que foi normal.
    Além de ter nascido com icterícia (o menor dos problemas) e dificuldades respiratórias, tive problemas de aprendizado no colégio e, principalmente, de socialização. Fui uma criança incompreendida, já que meus próprios pais me condenavam duramente por minhas limitações, e sofri de grave depressão, da qual só consegui me libertar há alguns meses com auxílio de acupuntura.
    “Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas (…) a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas.

    Ela nunca foi capaz de voar.” (A lição da borboleta, autor desconhecido)

  65. Amanda

    Clarissa, parabéns pelo seu texto, um primor! Comento o meu caso, pode ser de utilidade para alguma mãezinha. Tenho uma filha de 2 anos, de parto normal no Uruguai (diferentemente do Brasil, aqui os médicos trabalham basicamente com PN). Foi uma experiência ótima, doeu, mas valeu a pena. Eu tive uma hemorragia danada pós-parto, com direito a 9 transfusões, cirurgias, etc. Graças a deus o parto foi natural, porque possibilitou que os médicos fizessem as intervenções necessárias sem se preocuparem com uma cirurgia abdominal anterior. Agora estou grávida de 35 semanas, e, quando estava de 32 semanas, foi-me detectado restrição de crescimento do bebê, com quase nada de líquido aminiótico, Entramos no dilema: tira, não tira…. Que agonia. Meu médico decidiu pedir ecos e dopplers toda a semana, observando bastante o bebê, para ver se o próprio corpo reagia. Somente se fosse extremamente necessário, faríamos uma cesária. Então, depois de uma semana de repouso absoluto, com direito a injeções de clexane (indicadas pelo médico mesmo sem resultados conclusivos nas análises de sangue), estamos aqui, com um aumento incrível na curva do crescimento, que já entrou novamente no percentil 25. Claro que cada caso é um caso, mas contei essa missa toda somente para dizer que, em certas situações, com acompanhamento médico adequado e atento, o melhor é esperar, dar uma chance à natureza e ao corpo e observar o andar da carruagem.

    • Amanda, obrigada pelo comentário e por compartilhar a sua história. Fico feliz que o seu médico tenha optado por essa conduta. Não sou médica, mas me parece bastante responsável. Uma boa hora para você. Que esse bebê nasça bem esbanjando saúde! Abraço, Clarissa

  66. Olá, achei bem bacana esse post sobre a espera do parto normal.

    Estou grávida da minha segunda filha. A primeira tive a 13 anos atrás, na epoca eu tinha 21 anos. Ela nasceu de parto normal, 38 semanas , porém o parto foi induzido.

    Nessa minha segunda gestaçao eu queria que fosse tudo normal, sem intercorrencias.

    Sendo assim, eu me preparei durante os 9 meses. Fiz caminhadas todos os dias, hidroginástica, curso de pré parto com doula, exercicios com epi-no para o períneo…. Comecei a ter as contraçoes de treinamento com 7 meses e achei que entraria em trabalho de parto facilmente.

    Agora estou com 39 semanas e 4 dias e até agora nada. Minha bebê está enorme pesando 4,300kg. Eu estou no meu limite, meu corpo inteiro dói, bao consigo mais dormir, minha ansiedade está gigante e estou ficando meio deprê!!!! Sem paciencia nenhuma! Fui na médica ontem e evolui muito pouco…. Não sei o que faço!!! Não estou mais aguentando esperar… Cheguei no meu limite e me sinto frustrada por isso!

    • Amanda, imagino que seu bebê já deva ter nascido (mas lembrando que uma gestação saudável pode ir até 42 semanas!). Estou curiosa para saber o que você definiu e qual foi o peso real do bebê. Essas estimativas costumam errar… (e geralmente superestimam o peso, inclusive como tática para antecipar o “parto”). Espero que você volte aqui para contar, e desculpa a demora em responder (eu estava de férias – inclusive férias do blog!). Abraço, Clarissa

      • Olá Clarissa Tudo bem?
        Minha bebê nasceu no dia 14-03-14 as 19:46hs. Exatamente no dia em que eu completava 40 semanas.
        Abaixo meu relato.
        Tive muitas contrações no dia anterior mas consegui dormir, acordei na sexta feira dia 14 as 10hs da manhã meu tampão saiu e ficou saindo aos poucos durante a manhã. Comecei a ter contrações ritmadas de 5 em 5 minutos e minha médica mandou eu ir para hospital. Cheguei no hospital as 14:30hs. La fiz exame de toque e estava sem dilatação nenhuma. Decidiram fazer um US e meu bebê que já era grande estava com 4,5kg e 52cm o que dificultava e muito um parto normal. Minha médica chegou e disse que teríamos que fazer cesária pois o bebê era muito grande ….. eu fiquei muito triste pois queria muito um parto normal . Nos preparamos e esperamos a equipe toda chegar ( anestesista, auxiliar….) Fui encaminhada para o centro cirurgico as 19hs. Quando fui trocar a roupa pela roupa do centro cirúrgico, minha bolsa estourou espontaneamente. Ai fiquei tão feliz, porque ainda tinha esperanças para um parto normal.Minha médica me colocou na mesa e fez o toque novamente e eu estava com 4 dedos de dilatação . Porém, no liquido que saia de mim, tinha um pouco de mecônio ( quando o bebê faz cocô) e eles falaram que tinha que tirar o bebê rápido pois é perigoso ele engolir o líquido e ter uma infecção. E assim foi, em menos de 10 min a Olívia estava em meus braços, nasceu com 4,2kg e 51 cm. Realmente ela é um bebê muito grande.
        Ela é linda ! Estamos muito Felizes.
        De verdade, não sei se a cesária era indicada no meu caso e se realmente eu conseguia ter um parto normal…. foi tudo muito rápido e fiquei com muito medo de esperar e algo acontecer. Eu não gostei da cirurgia, achei uma agressão para meu corpo, senti muitas dores no pós operatório e a recuperação é muito mais demorada do que o parto normal.
        Fiquei feliz de saber que minha filha escolheu o dia para nascer pois entrei realmente em trabalho de parto e minha bolsa ter rompido espontaneamente foi um presente pra mim!
        Outra coisa que percebi, é a importancia de esperar as 40 semanas, ela nasceu grande e muito saudável, tirou nota 10 em todos os exames do hospital. Minha outra filha que veio de parto normal , tinha 38 semanas e teve ictirícia, teve que ficar 1 dia a mais no hospital, nasceu bem menor e bem mais frágil.
        Acho um absurdo partos marcados, se a cesária for inevitável ok, mas deixem seus bebês escolherem o dia que querem nascer pois eles mais que ninguém sabem o dia que estão prontos e isso terá consequencias para o resto da vida deles.

        beijos.

  67. Gracias por esto, la verdad que es bueno conseguir paginas como esta, ahora mismo trataré de comenzar un trabajo muy relacionado.

  68. Eu amo a minha mulher , mais o meu mundo anda pertubado desde que tivemos a nosso primeiro filho e isto 9 dias antes de completar os nove meses, isto é normal?

    • Miguel, acho que anormal seria se não estivesse perturbado! Um novo bebê muda quase todo, as rotinas, as relações, o sono… Mas a sua esposa está bem? Vocês têm com quem conversar sobre o assunto, alguém que poderá ouvi-los com compaixão e sem julgamentos? Uma doula pós-parto pode ser de grande valia! Pode contar comigo, viu? Abraço, Clarissa

  69. nagila silva

    Eu esperei a hora certa e foi magico mas foi uma verdadeiraa aventura de ultima hra e agora a mery tem uma saude de princesa

  70. Josilma

    Estou com 36 semanas, no meu plano o medico so faz cesariana, caso eu queira ter normal tenho quer ir p a rede pública, que está uma negação aki na cidade que moro… Então naum tenho opção, mas o bom é q ele so faz o parto depois de 38 semanas.

    • Josilma, sinto muito que os médicos que aceitam o seu plano sejam tão medíocres e antiéticos a ponto de só concordarem e exercer suas profissões submetendo você a uma cirurgia e a todos os riscos que isso envolve. Sinceramente, acho que esses médicos e o plano de saúde merecem um processo, porque não é aceitável. Se você estiver insatisfeita com essa situação, você pode conversar com o médico sobre o seu desejo de aguardar o trabalho de parto e de tentar o parto normal (as chances são baixas de você conseguir, mas mesmo entrar em trabalho de parto seria benéfico). Alguns médicos topam acompanhar um parto liso (tranquilo, rápido) e ao entrar em trabalho de parto, você ao menos aumenta a chance disso ocorrer. Boa sorte e boa hora. Abraço, Clarissa
      Obs: eu sugiro que você tire as palavras “não tenho opção” do seu vocabulário. Salvo casos de prisão e extrema pobreza ou enfermidade, a gente sempre tem opção. Talvez não sejam boas ou talvez sejam escolhas muito difíceis, mas dizer que não existem é aceitar uma posição de vítima, o que não faz bem nem para você nem para a sociedade. É só uma dica, mas espero que você reflita.

  71. Olá, queridas mamães!
    Li muito sobre parto normal/ natural e quando engravidei não quis fazer convênio médico, optei por um hospital público bem conceituado. Fiz o meu pré-natal direitinho. Minha saúde e da minha bebê estavam excelentes! No ultrassom de 35 semanas constou uma placenta grau 3, fui informada pelos médicos (tanto o que fez o USG quanto o meu médico) que não era motivo de preocupação, pois meu líquido amniótico estava normal. Com 36 semanas pedi para fazer USG com doppler, estava normal, os nutrientes e oxigênio estavam passando normalmente pela placenta. Falaram-me novamente que a placenta grau 3 era normal na minha idade gestacional. O médico que me acompanhava me orientou a fazer cardiotoco semanal até o parto. Fiz isso. No dia 19 de fevereiro fui à maternidade fazer cardiotoco, estava tudo bem. Fiz também ultrassom, o líquido amniótico estava normal. Nesta data, já estava com 40 semanas e 3 dias de gestação e nem sinal de parto. O médico que me acompanhava havia me orientado a induzir o parto apenas no dia 24 de fevereiro, quando completassem as 41 semanas. Como eu havia lido muito sobre parto normal, gostaria de entrar em trabalho de parto normalmente. Resumindo, no dia 19 na maternidade, o médico me falou que iria me internar para eu não ter que voltar no dia seguinte para induzir o parto, pedi para ir à minha casa buscar as minhas malas e avisar o meu marido. Ele me falou então para retornar no dia seguinte cedo para induzir o parto. Quando retornei à maternidade no dia 20 de fevereiro, a minha bebê já não tinha mais batimentos cardíacos. Estou acabada! A dor é imensa! Acreditava tanto no parto normal e em esperar o tempo da minha bebê. Ninguém me orientou sobre os riscos. Perdi a minha bebê com 40 semanas e 3 dias de gestação. Uma gravidez linda e perfeita! Não entrei em trabalho de parto. Causa da morte: anóxia intra uterina, eliminação de mecônio. Induziram o meu parto por quase 30 horas e me falaram que o mecônio foi eliminado durante a indução. Detalhe: após 30 horas de indução, tive que fazer cesárea, pois não passei dos 6 cm de dilatação. Tenho sérias dúvidas disso. Acredito que tenha sido eliminado quando a bebê entrou em sofrimento. Pergunto-me o tempo todo o porquê disso. Hoje tenho um trauma imenso. Caso consiga engravidar novamente, terei profundo medo de aguardar, provavelmente agendarei cesárea. Sinto-me profundamente culpada pelo que aconteceu com a minha bebê.

  72. Daniela

    Olá meninas!!! Tenho uma experiência ótima com a minha cesária, tive uma excelente gestação fiz tudo bem direitinho, alimentação, agua, tudo que todo mundo deveria fazer pensando somente no bebe. Queria ter parto normal, pois sou da área de saúde e sei dos inúmeros benefícios para mãe e bebe. Mas não consegui e tive uma ótima cesária. A minha filha nasceu de 39 semanas e 2 dias com apgar 9 no nascimento e10 5 minutos depois. Quase que ela eliminou o mecônio e se esperasse um pouco de tempo ela entraria em sofrimento. Resumindo, tem que sempre existir bom senso do medico e paciente na escolha do parto para a saúde de mãe e do bebe.

    • Daniela, obrigada por deixar aqui o seu relato. Só gostaria de saber como é que os médicos podem afirmar que sua bebê “quase eliminou mecônio” ou que “se esperasse um pouco ela entraria em sofrimento”. Impossível eles preverem isso! Me parece que é o típico argumento usado para deixar a família com aquele sensação de alívio, tipo, “ufa, que bom que foi cesárea.” Acho que o melhor argumento pela falta de bom senso dos médicos são os números: 90% de cesariana no sistema privado de saúde deixa muito claro que não existe esse tal bom senso. Existe conveniência, impunidade, falta de prática em acompanhar partos normais e ignorância sobre a medicina baseada em evidências. Enfim, uma lástima. Mas que bom que sua cirurgia correu bem. Abraço, Clarissa.

      • Daniela

        Olá Clarissa, tudo bem? A minha neném eliminou o mecônio assim que nasceu, deixando a médica toda suja… Lembrando que meu parto não foi agendado. Tinha a previsão de nascimento para o dia 18 ou dia 19 de março e ela quis vir dia 15 de madrugada. Abraço!!!

  73. Gabriela

    concordo plenamente , meu medico nem opção de parto normal cogitou, já foi pegando o calendário e dizendo que tal dia seria um dia perfeito para a cesariana… detalhe bebê com 38 semanas, mas não aceitei se eu sei exatamente o dia da ultima menstruação e ate concepção então quero chegar a no minimo 39 ou melhor ate 40 semanas.
    Sempre a conveniência da agenda do medico vem na frente ele chegou a comentar que já tem outra paciente para a data sugerida e que poderia operar nós duas.. uma pena realmente.

  74. muito boa essa materia.e bom alertar as futuras maes,sobre os perigos de uma cesaria antes do tempo.e o parto normal e uma experiencia e tambem um ato de amor.A mae que ama seu filho so concorda com a cesaria em ultimo caso.quando todos os outros recursos estao esgotados.

    • Mirian, acho que o amor não tem nada a ver com isso, sabe? Nossa cultura entende a cesárea como segura e moderna, e os médicos apoiam essa crença infundada, pois eles também estão imersos na cultura pró-tecnologia e misógena. Quando uma mulher escolhe a cesárea, é muito mais por medo e ignorância. Minha meta aqui é oferecer informação e inspiração para que elas possam vencer esse medo! Beijo, Clarissa

  75. iris

    bom eu quero fazer parto cesario tenho um pouco de medo da dor ….eu estou na minha segunda gravidez ..a primeira foi tralmatico pra mim rezo todo dia pra da tudo certo dessa vez..quando fui ter o meu primeira filha as medicas men ligarao pra mim não podia fica ninguém comigo eu não sabia se era pra fazer força so vinha manda eu fazerna hora de da o toque depois se sentavao de novo sorte minha que mae experiente me diziam oquer fazer ffiquei em pé e fiz muita força acocorada e fazendo força só quando vinha a dor ficava com medo de grita para não judiarem comigo mudarão eu toma banho sosinha no banheiro quasi cai chorei muito nessa hora depois de muito tempo quando estava fazendo força em pé sentir o bebê e chamei a medica ela deu o toquer e eu estava com 8 sentrimetro me mandou pra sala fui andando com as pernas abertas só pensar em meu bebe rezava pra que ela nascer bem levei anestesia e cortes uma emfermeira fez força em cima de mim na barriga quando fiz força também gritei a medica disce um palavrão comigo ai fiz força sem grita e ela nasceu deu certo pra mim por ela meu bebe fica ao meu lado chorei ao ver minha filha bem….so de escrever isso eu choro muito……

    • querida, eu sinto muitíssimo pela violência que você sofreu no seu primeiro parto. É um absurdo que vivemos num país em que 25% das mulheres sofrem maus tratos no que deveria ser o momento mais lindo de suas vidas. Receba meu abraço virtual e minha solidariedade. Você tem com quem conversar sobre esse trauma – um terapeuta ou talvez um grupo de apoio ao parto em sua cidade? Onde você mora? Espero poder te ajudar… Abraço, Clarissa

  76. Rosely

    Adorei todas as informações, fico com medo de realizar uma cesariana antes do tempo pois tive duas gestações de parto cesárea, a primeira filha Rhaissa nasceu com mais de 42 semanas como não coroava resolveram por cesárea após 9 de dilatação, nasceu com 2.700 kg e 47 cm hoje com 11 anos nunca teve problemas de saúde principalmente respiratório.

    A segunda filha Beatriz, agendei o parto com 38 semanas a gestação foi tranquila tive apenas um pouco de tensão por conta do trabalho a empresa estava falindo e passei por um clima não muito favorável, tive complicação com a cesárea (hemorragia pós parto, que foi controlada rapidamente) nasceu com 3.950 kg e 49 cm, porém teve manchas na pele, teve dermatite atópica e problemas respiratório, utilizou todos os métodos possíveis para tratamento, mesmo com todos os cuidados passou por 2 pneumonias e com 1 ano iniciou tratamento com Bombinha seguindo até cinco anos quando teve alta e hoje com 8 anos não teve mais nenhuma crise respiratória. relatei tudo isso pois fico super preocupada minha terceira gestação é um menino chamará Leonardo e estou com 37 s e 2 dias,o parto esta marcado para 39 semanas em 15/12/2014. pois optei por realizar laqueadura, fiz ultrassom em 03/12/2014 e o bebe, esta com 4kg queria tentar na maternidade antecipar o parto, pois já não aguento mais esse barrigão, pressão normal todos os exames normal.

    me responda por favor, quero uma opinião devo aguardar pelo tamanho do nenem?

    • Rosely, as ultras no final da gestação têm margem de erro de até 20%. Ou seja, o ultrassonografista pode ter errado o peso e o seu bebê pode estar com 3,200kg! É um tamanho saudável, mas o que determina a maturidade do bebê – isto é, se ele está pronto para nascer – não é o tamanho, são vários fatores impossíveis de mensurar. No mais, cesarianas antes da 39a semana são muito mais arriscadas para o bebê. Eu, Clarissa, sempre sou favorável a aguardar o trabalho de parto, porque isso sim é o que o bebê quer e espera. Ele não espera ser tirado de lá sem preparo e as contrações e os hormônios do trabalho de parto preparam ele para a vida aqui fora. Mas, se isso está fora de cogitação, sugiro que você espere, ao menos, até a 39a semana, porque essa é a recomendação de órgãos médicos para a cesariana eletiva. De qualquer maneira, desejo a vocês uma boa hora e uma linda lua de leite! Que Leonardo venha com muita saúde e receba todo o carinho e acolhimento que ele merece. Abraço, Clarissa

  77. Alexandra Britos

    Primeiro parabéns, acho importante e esclarecedor tudo q leio sobre os tipos d parto mas com as minhas experiências, Tenho 3 filhas e estou grávida de gemeos, um casal, minha primeira filha nasceu de 42 semanas, onde esperei o trabalho d parto e o mesmo não aconteceu… então quando completei 42 semanas meu médico agendou a cesarea pra 3 dias após… E os outros filhos vieram d 40 e 38 semanas….
    porém hj estou com 37 semanas, após 3 cesarianas, E minha medica quer esperar ate 39 pra fazer a cesarea…. porém encontro me exausta… não consigo se quer cuidar das filhas q tenho…. estamos todos desgastados… Tenho 1, 50 o q está tornando ainda mais difícil esta gestação…. o q me deixa bem chateada e a questa d temos q esperar se levar em consideração a condição da mãe…. como está o emocional desta mãe….. como ela irá pra maternidade… na minha opinião humanizado mesmo e entender o q está mãe quer… como está seu estado emocional e físico…. ou vai me dizer que ficando jogada em cima de uma cama pois n consigo se quer andar mais… meus bbs estão super bem… eu não acredito!
    Sou apaixonada pelos meus filhos desde o momento q me descobri grávida, n acredito q se tivesse tido um parto normal seria diferente…. veja bem não estou aqui politizando q este ou aquele e o melhor parto, so acho q a mãe tem o direito a informação e a escolha de como prefere ter seu bebe!

    • Alexandra, será que você teve direito a informação? Na sua primeira cesárea, o médico te ofereceu uma indução de parto? Uma mulher que pretende ter vários filhos, como você, nunca deveria ter sofrido uma primeira cirurgia necessária. A cada cirurgia, maiores os riscos para você. Seu médico te falou isso? claro que você tem todo o direito de escolher esse caminho mais arriscado – o corpo é seu! – mas, me desculpe, esse seu médico é um irresponsável, especialmente se você já sabia que queria ter vários filhos.
      Tenho certeza absoluta que se você tivesse tido um parto normal você seria igualmente apaixonada pelos seus filhos. Via de parto não influencia a maternagem. Por fim, uma pergunta: se você está tão feliz com a sua decisão, o que está fazendo lendo e respondendo a um post claramente voltado para quem não quer marcar o parto? Espero que não me leve a mal.. Não quero polemizar, só entender o que estava por trás da sua intenção. Desejo a você toda a sorte do mundo na sua cesárea e que os seus gêmeos venham com muita saúde! Abraço, Clarissa

      • Alexandra britos

        Sim… antes da cesarea no dia agendado para o parto… meu médico rompeu minha bolsa e fiquei por 8 horas esperando q o trabalho d parto se iniciasse… tomei os medicamentos para o qual é nem assim ocorreu…. e após esse período sem sequer uma contração… eu juntamente com meu médico optamos pela cesariana! Respondendo a sua pergunta cai nesta postagem podes estava procurando algo no Google sobre parto gemelar 39 semanas… e cliquei em uma das opções q me apareceram…. e sim estou mto satisfeita com as decisoes q tomei! A minha intenção assim como as de outros comentários q li e simplesmente deixar claro q todos somos pessoas diferentes o q e bom pra mim nem sempre e pra vc é vice versa… e q sim mães q optam por cesarianas amam seus filhos assim como as d parto normal…. Ate pq está cheio d casos d mães q parem seus filhos em banheiros d parto normal e os deixam por lá… Então eh algo muito maior do q o tipo d parto q vc escolheu para q seus filhos venham ao mundo…
        e como disse a Deusiana… tbm n fiquei 15 dias dependendo d familiares e nem com uma cicatriz horrorosa…. Mto pelo contrário desde o primeiro momento fui eu quem cuidou dos meus bbs… td isso vai mto além do q o tipo d parto!

  78. Deusiana

    Li muitas coisas interessantes,mas também muita besteira tipo: cicatriz horrível na cesariana?
    Isso já era , era assim há muito tempo atrás, agora só um corte pequeno colado….também não ficamos mais15 dias dependendo dos parentes tive minha filha de cesariana e vida normal dentro de três dias, vai ver sou muito forte, todos que me visitavam achavam que eu tinha tido um parto normal. Também tenho certeza que o fato o de o parto ser agendado ou não, não muda em nada o vínculo que teremos com a criança, esse vínculo se forma durante os nove meses que a esperamos. Semana que vem terei a Mariana, minha segunda filha, meu médico é amante do parto natural, mas estou entrando na 39ª semana e agora ele disse que não esperaremos mais, se não evolui para um parto normal, faremos a cesariana, não esperaremos ( graças a Deus) esse trabalho de parto, porque tenho horror de sentir dor……devemos lembrar que nem todas as mulheres suportam sentir dor, a epidural quando aplicada em partos normais já sofremos um tanto com as contrações… acho que cabe a cada um decidir junto com o médico o que é melhor, e que ninguém julgue a nós que prefirimos a cesariana como seres piores……..

    • Concordo, Deusiana! Só quem pode decidir sobre o seu corpo é você e se você não quer entrar em trabalho de parto, beleza! Mas saiba que entrar em trabalho de parto tem um valor imenso, especialmente para o bebê. Você diz que o parto não influi no vínculo, mas um dos hormônios responsáveis pelo vínculo, a ocitocina, é liberada em grandes quantidades no parto e não na cesariana (especialmente agendada, fora de trabalho de parto). O que não significa, óbvio, que mãe e filho não terão vínculo ou terão um vínculo ruim porque o nascimento foi agendado. Somos seres complexos, e não dependemos só de hormônios para nos vincularmos. Mas que esse hormônio tem uma função, isso é inegável. Escrevi esse post justamente para fortalecer quem não se decidiu e quer fortalecer o desejo de ter um parto normal ou, no mínimo, entrar em trabalho de parto. Agora, que fique claro que a via de nascimento não tem nada a ver com ser uma pessoa pior ou melhor; quem pensa assim deveria se tratar. Quanto a seu caso, desejo a você uma ótima experiência no nascimento da Mariana e que ela venha com muita saúde para inaugurar uma nova etapa na vida da família. Abraço, Clarissa

  79. PEDRO ALMEIDA

    Realmente é um absurdo, minha esposa está com 38 semanas e nosso obstetra (são 2) a todo o momento incentivaram a cesariana, mesmo sabendo da nossa vontade de ter o parto normal. Estávamos decididos pelo parto normal, até a ultima quarta-feira dessa semana, onde nossos obstetras olharam o ultimo exame do doppler e nesse exame, consta que a placenta está em grau III, ou seja, para eles a gestação é de alto risco, pois a placenta está madura demais e não pode mais nutrir o bebê com oxigênio e nutrientes e pediu para marcarmos a cesariana, o que nos deixou muito preocupados… gostaria da opnião de vocês sobre essa história da placenta grau 3.
    OBRIGADO,
    PEDRO ALMEIDA

    • Pedro, toda placenta no final da gestação está grau 3. Ou seja, marcar a cesárea alegando isso não faz o menor sentido, visto que TODAS as placentas estão em grau 3 nesse estágio. Se vocês continuam firmes na opção pelo parto normal, busquem uma outra opinião. E não adianta procurar no plano: é preciso achar um médico que realmente acredita no parto e que vai praticar a medicina baseada em evidências. Para indicações, procure um grupo de apoio ao parto normal (GAPP) em sua cidade. Esse link pode ser um bom começo: http://partodoprincipio.blogspot.com.br/2011/09/lista-de-gapps.html
      Também recomendo vocês entrarem no grupo de Facebook Cesárea? Não, obrigada!.
      Boa sorte! Contem comigo! Abraço, Clarissa

      • PEDRO ALMEIDA

        Olá Clarissa,
        Muito obrigado pela resposta, vamos sim procurar outras opniões e já estou no link que você me enviou!
        Tudo de bom e sucesso!
        PEDRO ALMEIDA

  80. Pingback: Mulher, empodere-se. - Começando Errado

  81. Flavia

    Oi Clarissa! Tudo bem? Não estou grávida mas meu marido e eu já decidimos suspender o anticoncepcional e começar as tentativas.
    Tenho muito interesse pelo assunto e venho lendo muito a respeito. A partir do seu blog tenho encontrado muita informação de qualidade. Já estou ciente das dificuldades em encontrar médicos que se disponham de fato a fazer um parto normal. Já sei também que terei que lutar contra o sistema, família, amigos…pois optarei pelo parto domiciliar com auxílio de enfermeira obstétrica e doula. Mas hoje me ocorreu uma dúvida. Quando escolher o GO que me acompanhará durante o pré-natal devo deixar claro que o parto não será feito por ele? Gostaria de saber como outras mulheres ou casais na mesma situação procederam.
    Obrigada!

    • oi Flavia, em geral o indicado é que você procure um obstetra que aceite ser o seu backup caso o parto não possa ser em casa (se você ou o bebê tiverem algo que contraindique o parto domiciliar, como hipertensão, diabetes gestacional etc.). Nesse caso, o pré-natal é feito com a enfermeira obstétrica e você pode deixar para ir ao GO somente três ou quatro vezes – uma consulta por trimestre. Boa sorte! Abraço, Clarissa

  82. Ana Carolina

    Muito bom o comentário da Alexandra!!!
    Acho super legal o parto normal quando ele de fato acontece Normalmente. E antes de tudo vem a mãe. É o corpo dela ee ela pode, junto com o seu médico de confiança, decidir a melhor opção.
    Antigamente muitas mulheres e crianças morriam no parto justamente por não se ter a opção da cesariana. É legal o post pro incentivo ao parto normal sim mas isso não deve ser maior que o bem estar da criança e da mãe que podem, também, ser comprometidos por se forçar um parto normal, como, por exemplo, o uso de fórcepes.
    Talvez também vale a pena um post sobre sete razões para não se fazer um parto normal ou para não se forçar um parto normal. Este post mostrou muito um lado romântico e bonito do parto normal, o que é super válido. Mas tem um lado que não é tão lindo assim…

    • Ana Carolina, esse post defende a ideia de não agendar o nascimento e não é uma defesa do parto normal, embora eu seja defensora e ativista do parto normal sim. A internet está cheia de páginas fazendo apologia a cesáreas e disseminando mitos sobre o parto normal, inclusive de que uma cesárea é melhor do que um parto instrumental. A cesárea é uma cirurgia salvadora de vidas sim, mas ela também é parcialmente responsável pelo alto número de morte materna e prematuridade iatrogênica – ou seja, ela salva vidas, mas também põe vidas em risco quando feita de forma arbitrária e sem indicação clínica. Isso sim é que precisa ser falado e repetido, para que não seja banalizada, como o que está acontecendo aqui. E, antes que alguém venha com mimimi de “menos mãe”: respeito o direito das mulheres de optar por uma cesárea e não acho que a via de nascimento seja uma medida da qualidade de maternagem. Abraço

  83. perto do meu bebê fazer 3 meses eu engravidei, estou com 35 semanas de gravidez e será outra cesariana e é assustador é minha terceira gestação todas cesarianas. mais sempre espero depois de 40 semanas pra ter a certeza q não da pra ter normal amei esse blogue

  84. jeehmaster

    Estou gravida de 38 semanas e quero fazer parto normal! Não nego que estou muito ansiosa pra segurar minha florzinha nos braços, mas eu quero o que é melhor pra ela, se eu passar dor, fazer o que? Penso que Deus tem planos pra tudo e sempre que penso em ter naturalmente sinto uma energia tão boa e um amor tão imenso.
    Se for preciso eh claro que me sujeitaria a uma cesaria, SE NECESSÁRIO. Pena que meu obstetra não concorda muito… ele disse que minha bacia é muito pequena pro tamanho da bebê. Com 35 semanas ela estava com 48 cm e 2,900 kg. Ele disse que talvez n seja possível e que acreditava q existiria complicações se eu optasse por normal. Fez até um comentário meio grosso “um monte de bebê nasce com retardo mental pq falta oxigênio na hora dele sair”.
    Chorei muito quando cheguei em casa… tenho ido sozinha no pré natal e na rua eu chorei muito. Essa semana eh a última consulta antes dela nascer e tô firme na decisão. Ele disse q vai examinar pra saber se eu consigo fazer o parto normal. Tive problema na coluna a gravidez inteira e tenho dificuldade pra andar e ficar em pé.
    Espero que consiga ter normal. . Mas se for preciso terei cesaria, só queria dar a luz naturalmente. :( enfim. . Oq for melhor pra minha florzinha eu faço sem pensar em mim, somente nela.

  85. Elande Vicente da Silva

    Amei o texto! Meus três filhos nasceram de cesária, e eu não marquei (principalmente pq o meu primeiro filho demorou 1 semana pra querer nascer!)!
    Uma amiga minha marcou a cesária antes, e o bebê dela nasceu com um grave problema no cérebro! Parto cesária antes da hora pode acabar trazendo muito sofrimento tanto pros pais como pro próprio bebê!

  86. Paloma

    amei seu texto, muito bom msmo, tenho um filho de um ano e meio quase, e infelizmente(ou felizmente já q ele estava sofrendo no parto) foi de cesária, ele nasceu com 39 semanas e seis dias, foi tão incrível (e doloroso) quando comecei a sentir as contrações eu tinha certeza q ia ser parto normal mas não teve outro jeito a não ser cesária, mas vou falar uma coisa pode ser que esse tal estudo ai que o vínculo mãe-bebê é prejudicado nos nascimentos cirúrgicos, sério isso?! não pra mim, quando ouvi o chorinho do meu filho chorei demais foi uma sensação que nunca tive na minha vida não tenho palavras pra explicar isso só queria poder sentir o rostinho dele e quando ele veio aos meus braços horas depois do parto foi incrivel ele pegou o peito na hora e só dormiu com o ouvidinho dele no meu peito ouvindo as batidas do meu coração, essa ai de ocitocina, hormônio que facilita o vínculo, “meu” pra mim é td besteira, acredito que o vinculo de mãe e filho tanto de parto normal ou de cesária já começa na barriga durante a gestação… mas é isso gostei mt do seu texto só acho esse tal estudo ai sobre hormonio ocitocina uma bobagem , mas sou a favor do parto normal e cesária apenas em casos de emergência.

    • Luciana

      Olá Paloma! Se bem entendi o texto, mesmo que o bebê não tenha nascido através do parto normal, o fato de você ter esperado o momento das contrações já ajudou na liberação do tal hormônio do amor, então mesmo que o bebê tenha nascido por cesárea, você teve este privilégio sim. Ao que entendi, a intenção da Clarissa ao escrever o texto não foi estabelecer se o parto deve ser normal ou por cirurgia, mas sim tentar evitar a antecipação do parto como muito tem ocorrido. Acredito que o que você fez foi o melhor para o seu bebê, eu também pretendo agir assim, você aguardou o momento em que ele se sentiu preparado e pronto, e então como o parto normal não foi possível, foi efetuada a cesariana, mas como você já sentia as contrações certamente o bebê já estava preparado, ao que entendi é justamente esta a intenção. Parabéns e muitíssima saúde ao seu filho.

  87. Deborah

    Estou com 29 semanas de gestaçao e minha placeta ja estar ultrapassando o o.c.i. ja seria um caso de placeta previa?

    • Deborah, não sou médica e não posso opinar sobre a sua placenta, mas sei que ela pode migrar ao longo da gestação, então talvez seja o caso de acompanhar com um profissional de confiança. Se você está com a pulga atrás da orelha com relação à veracidade do laudo ou da interpretação do médico, procure outro obstetra, de preferência um que seja favorável ao parto normal e pratique a medicina baseada em evidências. Boa sorte!

  88. Luciana

    Muitas pessoas apresentam pavor do parto normal, eu até tinha certo receio em função das dores, afinal a mídia (novelas e filmes) sempre passa a impressão de que o parto normal é algo extremamente sofrido e, mostram mulheres em situação desesperadora (parecem estar morrendo), mas temos de lembrar que estas cenas são realizadas justamente com a intenção de chamar a atenção daquele que assiste, estas situações não são regras, a mídia esquece de mostrar que muitas vezes o parto normal é tranquilo, tendo apenas períodos dolorosos (contrações) e o período do nascimento. Agora que estou grávida, sinto-me muito mais corajosa, quando começamos a ter a ligação com o bebê no nosso ventre passamos a ser leoas protetoras de nossas crias e nos submetemos ao que for necessário pelo bem estar e saúde de nossos bebês, então agora, estou pouco me preocupando com dores (e afinal, existe anestesia para o parto normal no caso de estas dores se tornarem insuportáveis), pra mim, o que importa agora é a saúde do meu bebê. Mães são pessoas com superpoderes, capazes de ignorar e vencer qualquer situação pelo bem de seu bebê, caso você ainda não seja mãe, perceberá isto quando tiver a oportunidade de sentir aquela criaturinha se mexendo na sua barriga ou quando a ver na tela do ultrassom.

  89. Jane

    A eu entrei em trabalho de parto tanto da minha filha como do meu filho, mas mao tive condições de ganhar naturalmente porque nao tenho passagem ou seja o osso da bacia nao abre, e isso e da genética da minha família, eu fui a primeira a ter filhos e o medico que fez minha cesariana disse que se eu tivesse irmã nenhima delas ganhariam bebês normais e realmente nehima das minhas 3 irmãs tiveram passagem para os bebês assim como eu, queria muito que meus filhos tivesse nascido de parto normal a gente sofre menos, bobas sao as mães que acha que a cesariana nao deixa sofrer, vc nao sofre na hora mas o pós-parto ainda mais que vc tem q cuidar do bebê e mil vezes mais doloridos, minha amiga que teve de parto normal o bebê dela saiu do hospital no 2 dia e no 3 ja tava na rua andando como se nada tivesse acontecido boazinha, enquanto eu levei 10 dias para conseguir descer a escada da minha casa. Mamães optem pelo parto normal em bem melhor, deixem a Cesarea para ultimo caso se a sua vida e a do bebê estiver em risco isso o medico vai avaliar na hora que vc chegar em trabalho de parto e que vc ficar internada e nao conseguir parir ai sim 3les farão uma cesariana.

  90. Michele de Al.eida Abdo

    Dr, ja sou mãe de 3 e até vó de 2, tenho 37 anos e á uns 3 anos sofri um acidente de moto onde tive fratura dupla do femur sendo uma exposta na coxa femural e outra na cabeça do femur, passei por 2 cifurgias e na ultima me foram introduzidas uma haste de titânio intra medular, 4 pinos para mantê-la presa sendo 2 na altura do joelho e 2 na coxa e uma TFN (um parafuso gigante) que segura a parte fraturada da cabeça do femur e por td isso e, inclusive pelo peso extra e constantes inchaços e dores nessa perna, mas principalmente por temer problemas de ñ abrir meu quadril ou mesmo deslocar qualquer um dos aparelhos, minha médica achou mais seguro me indicar uma cesárea, porem, cm meu parto será pelo SUS, ñ será agendado, mas ja tenho a carta de indicação pra q possa-se avaliar na hr e realizar a cesarea, vc acha q ñ deveria fazer e correr o risco que comentei, tanto de que meu quadril ñ se abra perfeitamente por ter um parafuso la qt de requebra do osso? Prefiro um parto normal á pesar de dois dos meus filhos terem nascido de parto normal e meu trabalho durar aprocimadamente 6 a 8 hrs, mas temo pela minha perna e pela minha filha tb, no caso de vc concordar com minha cesaria, qd julga melhor pra que eu me interne? (estou de 36,4)

    • Michele, espero que você esteja bem. Não tenho nem como opinar, pois não sou médica. Sinto muito te frustrar. Eu desejo a você tudo de bom no nascimento desse bebê. Abraço, Clarissa

  91. Pingback: 8 Motivos Para Esperar a Hora do Seu Bebê Nascer - Mamãe Tagarela

  92. Alba

    E mas o meu primeiro filho fiquei esperando no hospital durante 5 dias e e não delatou nem 2 cm ele tem a cabeça com coroa do parto passando da hora se não lutasse pela cesaria ia nacer só depois de 13 dias pela conta da ultra e aí ?

    • Alba, claro que você está livre para marcar uma cesariana se quiser. A ideia do post não é proibir nada e só incentivar as pessoas a esperarem o sinal de que o bebê está pronto para nascer. A conta da ultra não diz quando o bebê vai nascer – só estima o tempo de gestação. Boa hora!

  93. Eu nasci de cesariana em 1983, minha mãe tem uma deformidade na coluna e no quadril que impede a dilatação, portanto seus 3 filhos nasceram via cirurgia.
    Mas naquela época não existia essa banalização que existe hoje, ela me conta que já estava em trabalho de parto quando eu nasci e a bolsa já havia se rompido, o médico teve que fazer a cesariana de emergência e quando ele me tirou da barriga dela, eu já estava chorando mesmo antes de nascer completamente! Uma grande aventura!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s