Arquivo do mês: abril 2012

Babywearing: o que é e por que vale a pena

A tradução literal do termo em inglês babywearing é “vestir o bebê”, mas não tem nada a ver com o ato de colocar roupas no pequerrucho; pelo contrário, é a mãe que coloca o bebê em si própria. Babywearing é o termo adotado lá fora para se referir ao uso de carregadores de tecido para levar o bebê sempre junto ao corpo, dispensando (ou minimizando) a necessidade de carrinhos, bebês confortos, cadeirinhas de balanço etc. É difícil traduzir o conceito, mas eu estou usando o termo “carregar no pano”.

O tradicional “mei tei” permite carregar o bebê na frente e nas costas.

Os carregadores de tecido vêm em muitos formatos – sendo o sling de argola e o wrap sling os mais conhecidos  – e seu uso, ao contrário do que advertem as velhinhas palpiteiras na fila do supermercado ou alguns pediatras desinformados, é super benéfico.

Este post pretende pontuar alguns desses benefícios e ilustrar o argumento com imagens de mulheres (e um homem muy especial) que adotam essa prática milenar, porém super atual. Com tantos estilos, modelos e formatos, é quase garantido encontrar um que combine com você.

Benefícios para o bebê

* Desenvolvimento postural: o recém-nascido tem a espinha dorsal naturalmente curvada e deitar com as costas retas não é fisiológico nem faz bem para ele. O bebê prefere ficar em posição de sapinho, como na imagem ao lado, pois é o natural para ele. Sem contar que bebês que ficam o tempo todo deitados numa superfície plana ficam com a cabecinha achatada, uma condição chamada plagiocefalia.

* Desenvolvimento emocional: o contato constante com a mãe melhora o vínculo, proporcionando mais relaxamento, menos estresse e crises de choro e mais autoconfiança. O contato pele a pele também diminui a percepção de dor.

* Reduz a cólica: seja pelo movimento constante, que lembra as condições uterinas, ou porque a posição mais vertical diminui a possibilidade de refluxo, bebês que são carregados sofrem menos de cólicas. Aliás, em culturas onde 100% dos bebês são carregados, não se ouve falar em cólica (um conceito exclusivamente ocidental).

Até os Jedis praticam o bem carregar ;-) [Luke Skywalker carregendo o ancião Yoda em O império contra ataca]

* Propicia um estímulo na medida e uma experiência mais ampla do mundo, visto que o bebê acompanha o adulto e não fica restrito ao berço, ao bebê conforto ou ao tapete de atividades. Ao lado da mãe, ele enxerga, escuta e sente o cheiro de uma grande variedade de coisas.

* Efeito canguru: se compreendemos que o bebê humano nasce “prematuro” mesmo estando a termo (veja o post sobre exterogestação), então o sling é o acessório mais útil para os primeiros meses. Vários estudos foram feitos mundo afora comprovando os benefícios fisiológicos do método canguru.

* Estimula o aleitamento: tão próximo da mãe (e ainda por cima do lado dos seios!), o neném mama com mais frequência, resultando em maior ganho de peso e mais saúde.

Benefícios para a mãe

A foto de Dolores García Rodriguez Dogaro dispensa palavras.

* Conveniência: sair de casa para comprar pão fresquinho, tomar um café com as amigas ou fazer uma caminhada não poderia ser mais simples do que colocar o neném no sling, pegar a bolsa e se mandar! Isso também vale para as tarefas e atividades domésticas.

* As horas passadas juntinhos permite a formação de um vínculo muito forte, o que dá à mãe muita autoconfiança, diminuindo o medo e a ansiedade, e reduzindo o estresse materno (levando, inclusive, a índices mais baixos de depressão pós-parto).

* A proximidade do bebê aumenta a ocitocina e facilita a descida do leite, contribuindo para a amamentação exclusiva. Sem contar que o pano do carregador serve como “proteção” contra olhares reprovadores de gente pudica e/ou machista que se incomoda com a amamentação em público. Ninguém nem vai perceber que você está amamentando!

* Carregar o bebê no sling ou carregador de pano distribui o peso de forma mais equilibrada, causando menos dor nos braços ou na coluna (depois de um tempo eles pesam e os braços não aguentam!).

Se esses argumentos e as fotos deslumbrantes não te converteram ainda, eis alguns motivos menos “científicos” – mas não menos convincentes – para experimentar o babywearing:

* Carregar o bebê também é uma forma de incentivar o vínculo do bebê com o pai. Já que o pai não amamenta e não desfruta de licença paternidade, carregar o recém-nascido é uma forma de fortalecer o vínculo com o filho. Se ele achar que isso não é coisa de homem, talvez essa foto o faça mudar de ideia:

Eu não prometi um homem especial?

* Carregar no pano – seja no sling de argolas, no wrap ou com carregadores ergonômicos tipo mochila (como o ErgoBaby)  – virou febre entre as celebridades – e não estou falando das “alternativas”. Você duvida? Pois olhe só:

celebrities babywearing

Channing Tatum de wrap elástico, Gisele Bundchen de mochila ergonômica e Marion Cotillard com um belo wrap de tecido rígido.

* O sling não é só para “artistas” ou “gente de vanguarda”: o exemplo que mais me inspirou foi esse da representante parlamentar italiana Licia Ronzulli. Saca só:

Poderosa como profissional e como mãe. Uau!

Espero ter mostrado aqui que babywearing não é coisa de “bicho grilo” e que adotá-lo poderá ser muito gostoso, prático e super “fashion”. Temos no Brasil uma variedade enorme de opções e a qualidade não deixa nada a desejar com os produtos estrangeiros. Você terá suas mãos livres e o seu bebê desfrutará e se beneficiará dos momentos de aconchego e também da experiência de estar aprendendo sobre o mundo do seu lado. O que pode ser melhor do que isso?

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

5 Motivos para Agendar uma Cesárea com 36 semanas

Ai, gente, não aguento mais essa ladainha de parto normal, natural, na banheira, humanizado. Que gente mais doida! Bom mesmo é marcar tudo certinho, fazer uma cesárea limpinha, vapt vupt, super segura e sem riscos de dar problema, de preferência no fim do oitavo mês. eu estou com o melhor médico da cidade – ele atende várias globais, socialites e mulheres das melhores famílias do Rio – e ele me garantiu que não tinha o menooooooor problema em fazer desse jeito. eu vou explicar por que decidi marcar minha cesárea assim que completar 36 semanas.

1. Meu corpitcho

querida, fala sério que vou ficar uma baleia esperando mais 4 ou 5 semanas (há, tá doida!) quando a criança vai só “engordar” lá dentro no último mês. Deixa ele engordar aqui fora, com muito leite Nan, graças ao bom Deus Nestlé. o pulmão dele tá ó-te-mo, eu tomei aquelas injeções todas, não vai ter problema!! Eu é que não vou correr o risco de ficar com estrias e aumentar a flacidez da minha barriga esperando ele ganhar mais 500g. Pra quê, quando, se der algum problema, tem incubadora e a mais alta tecnologia do mundo esperando por ele na UTI neonatal da melhor maternidade da cidade?

2. Os astros
poxa, astrologia é tudo, né? não faço nada sem antes consultar minha astróloga – uma gênia! como quero o melhor para meu filho, quero que ele nasça com o melhor signo e ascendente possível e a única forma de garantir isso é marcando o dia e a hora certinho, depois de consultar a gênia da astróloga (foi mal, baby, mas não falo o nome dela pra ninguém, tá doida?!). voltando, amiga… imagina se eu der o azar de ter um filho Escorpião (desculpe aí aos escorpianos, mas não dá, né gente?) com ascendente em, sei lá, Câncer? pra ter um filho chorão e sensível, difícil pra caramba? melhor garantir tudo pra que nasça com os planetas todos no melhor lugar possível para ele ser muito bem sucedido e ter tudo que a vida tem de melhor a oferecer.
3. Super preparada
gente, o dia mais feliz da minha vida e eu vou correr o risco de chegar lá descabelada e com esmalte descascando? hahahah, até parece. Eu vou me preparar como manda a ocasião: vou fazer depilação, cortar o cabelo, fazer escova, pintar as unhas com o esmalte da Chanel que comprei em NY só pra esse dia (combina com a saída de maternidade que comprei pra ele, óbvio!). Ai, quero estar toda lindona pra conhecer meu príncipe! E também preciso me programar para ter todas as lembrancinhas da maternidade – imagina se eu encomendar os brigadeiros de chocolate belga e depois passar da data de validade? que vexame! sem contar na babá enfermeira que contratei. não quero correr o risco de perdê-la se meu bebê resolver atrasar e ela depois encontrar outra patroa – meu deus, seria o fim! ela já vai começar no dia que eu chegar em casa, já tá tudo programado e combinado com ela.
4. Pra quê sofrer?
essa coisa de sentir dor é coisa de masoquista, vamo’ combinar! e eu só quero coisas boas na minha vida, só prazer, só delícia! por isso, decidi fazer com 36 semanas pra não correr risco de sentir uma contração sequer (ai, gente, isso é coisa de índio, é primitivo!). e quem fala que a cesárea dói depois é porque não conhece os remédios poderosíssimos que meu médico das estrelas conhece – uma delícia!!. eu quero aquelas drogas milagrosas todas injetadas na veia, pra eu dormir como uma princesa por dois antes antes de ir pra casa. ainda bem que as enfermeiras da maternidade estão preparadas para cuidar do meu herdeiro 24 por dia no berçário para eu ficar só relaxando e curtindo cada visita.
5. Meu príncipe
poxa, um dia vi um bebê que nasceu de parto “normal” que tava com a cabeça toda deformada e achei aquilo muito cruel – que horror, gente! meu príncipe não vai passar por isso nem por cima do meu cadáver!! mesmo que ele venha pequenino (ai, duvido porque o médico da ultra disse que ele já tava com 2 quilos e 500), ele logo vai engordar com o leite que vou dar pra ele – o melhor que o dinheiro pode comprar, claro. aquela cabeça de cone não combina com a roupinha da Baby Dior que está lavada, passada e perfumada, só esperando ele chegar. ai, que delícia! tão bom saber que ele vai vir no dia certo, com tudo pronto, todos esperando por ele, com o enxoval todo montado com as melhores peças, das melhores marcas, todas de Nova York e Paris! E claro que vou tirar muitas fotos da cabecinha perfeitamente redonda dele pra guardar como recordação para seeeeempre.
Ai, mal posso esperar o grande dia!! Bjuuuuus para todas as maezinhas e para seus lindos bonequinhos!!!!!!!!!!
p.s. para quem não entendeu ainda: olha só a data de hoje! ;-)
**ATUALIZANDO (15/04)** Este post foi uma brincadeira do dia primeiro de abril. Para quem quiser saber o que eu realmente penso sobre cesáreas agendadas e fora do trabalho de parto, leia por favor esse post antigo: Sete razões para não marcar o seu parto.

133 Comentários

Arquivado em Uncategorized