Arquivo do mês: outubro 2012

Uma introdução às fraldas de pano modernas (Parte 2)

Na era dos descartáveis, uma das primeiras objeções ao uso das fraldas de pano é a questão da lavagem. Será que não é nojento lavar as fraldas sujas de cocô? Cuidar das fraldas dá muito trabalho? Como fica a questão do cheiro?

Este segundo post da série sobre fraldas de pano modernas tratará dessas questões. Mas, primeiro, uma pergunta: você usa roupa descartável? Seus pratos, copos e talheres são descartáveis? Imagino que não, né? Pois bem, imagine alguém que vivesse numa sociedade em que as peças de roupa e os utensílios das refeições fossem parar na lata de lixo após o uso. Certamente esse alguém acharia nojento ter que reutilizar roupas e lavar pratos sujos de comida. Porém para nós é normal; faz parte da nossa rotina.

Quem usa fralda de pano também incorpora o cuidado e lavagem das fraldas em sua rotina. E, portanto, da mesma forma que você tem uma rotina para lavar as roupas e as louças da sua casa – que pode ser bem diferente da prática adotada por sua melhor amiga, por exemplo – é justo afirmar que cada família tem o seu método e suas soluções para lavar e cuidar das fraldinhas do bebê (ou dos bebês).

Mesmo assim, tentarei assinalar algumas diretrizes básicas relacionadas ao cuidado com as fraldas de pano.

Rotina pós-troca

  • Em vez de jogar fora a fralda usada, como no caso de uma descartável, depois da troca põe-se as fraldas num balde ou numa lixeira até a hora da lavagem.
  • Se o bebê mama exclusivamente no peito, o enxague é opcional. Quando o bebê estiver comendo sólidos, é preciso jogar o cocô no vaso com a ajuda do chuveirinho ou de um raspador.
  • Como recipiente para as fraldas sujas, pode-se utilizar uma lata de lixo tradicional (com tampa) ou um balde aberto. Por incrível que pareça, o cheiro é menos forte quando as fraldas ficam em contato com ar fresco, mas é claro que há algum odor, e a opção pelo balde aberto não é para todo mundo. Se você tem uma área de serviço bem arejada e se for lavar todo dia ou dia sim dia não, o balde aberto pode funcionar bem.
  • Para diminuir o mau cheiro, uma opção é colocar um paninho com gotas de óleo essencial de lavanda ou melaleuca (tea tree) no balde ou na lixeira.

Lavagem

  • Pode-se lavar as fraldas diariamente, dia sim dia não ou de três em três dias. Vai depender da quantidade de fraldas que você tem, o tempo de secagem no seu varal, o número de trocas e a sua preferência pessoal.
  • Quem lava é a máquina de lavar. Não é necessário lavar na mão.
  • Deve-se colocar muito pouco sabão. Uma colher de chá ou uma tampinha de refrigerante é o suficiente para uma maquinada inteira.
  • Recomenda-se programar enxagues extras, tanto no início quanto no fim da lavagem.
  • É proibido usar sabão com agentes biológicos (enzimas), amaciante, alvejantes (como cloro) e ferro de passar.
  • É bom usar água quente (até 40 graus) se possível, pois remove melhor os resíduos e evita o acúmulo de amônia (substância encontrada no xixi).
  • Para remover manchas, um tiquinho de sabão de coco e contato direto com o sol funcionam como mágica. Depois é só enxaguar bastante.

Para maiores informações, recomendo ler as sugestões sobre rotina e lavagem das revendoras Ecco, Mama e Espaço Mamífera. Lá você encontrará  também muitas dicas úteis (das especialistas no assunto!) além de kits de fraldas de pano para iniciantes.

O terceiro post da série será sobre mitos e verdades das fraldas de pano. Enquanto isso, convido as experts a compartilharam na seção de comentários a sua rotina e experiêcia com as fraldinhas e as curiosas a deixarem suas perguntas e dúvidas. Agradeço desde já a participação de vocês.

34 Comentários

Arquivado em Uncategorized