Arquivo da tag: compras no exterior

Como escolher um carrinho?

Como disse em outro post, tenho verdadeira obsessão por carrinhos de bebê. Cheguei até a parar estranhos na rua para saber se estavam gostando do modelo escolhido (uma marca que nunca tinha visto por essas bandas). Não sei se essa paixão está relacionada a minha temporada na Dinamarca (onde o carrinho é crucial!), mas acho que de todas as decisões referentes ao enxoval do bebê – com a possível exceção dos móveis e decoração do quarto – a escolha do carrinho é a mais importante. Afinal, o carrinho será uma peça chave na sua vida a partir da chegada do bebê (a não ser que você pretenda usar o sling exclusivamente, o que eu acho o máximo, mas que não é o desejo da maioria).

O Quinny Zapp Xtra é compacto, versátil e descolado, mas a suspensão e cesta diminuta podem não agradar a todos.

Não existe carrinho perfeito – muito menos “o melhor” carrinho do mundo – pois cada família tem suas necessidades, preferências e especificidades. Infelizmente, no Brasil, as opções são restritas e a relação custo-benefício baixíssima. Recomendo para quem tem o luxo de poder comprar um carrinho no exterior que o faça, pois os carrinhos lá fora são melhores, mais baratos e as opções quase infinitas. Qualquer que seja sua condição financeira e oportunidades de viagem, vale a pena pensar muito bem sobre qual carrinho comprar, porque além de ser um dos principais “acessórios” na primeira fase da maternidade, ele ficará com você por no mínimo 2 anos (podendo inclusive ser aproveitado por outros filhos no futuro).

Ao invés de recomendar as marcas X, Y ou Z (mas no final incluirei alguns nomes para vocês pesquisarem), vou colocar aqui uma série de perguntas para ajudar você a decidir qual perfil de carrinho seria o mais adequado para você. Sugiro que você leve em conta quatro fatores fundamentais e um último que não é essencial, mas que pode ser levado em consideração. São eles: função, conforto, medidas, orçamento e visual.

Função: o carrinho é para quem e para quê?

Essa resposta pode parecer óbvia: “Pra transportar meu bebê, oras!” Mas não é tão simples. Porque um carrinho para transportar um bebê recém-nascido é diferente de um carrinho  melhor para levar um bebê de 18 meses, ou de gêmeos, por exemplo. Também é preciso levar em consideração questões importantes relacionadas ao estilo de vida da família – como os programas que fazem nos finais de semana, a condição das ruas das redondezas, a duração dos passeios etc. Procure responder as perguntas abaixo:

O UppaBaby Vista foi projetado originalmente para um bebê só (single stroller), mas, com os acessórios, cabem até 3 crianças!

1. Para quem é o carrinho – para um recém-nascido, um bebê maior, gêmeos, dois bebês próximos em idade (ex. um recém-nascido e um bebê de 1 ano) etc.? Um recém-nascido precisa de um carrinho que tenha um assento reclinável em no mínimo 145 graus (quase deitado reto) e deverá ter a opção de encaixar o bebê conforto (cadeirinha do carro). Também considero bem importante a opção de ter o bebê virado para quem empurra (assento reversível). Um bebê mais velho também poderá tirar eventuais sonecas no carrinho, mas o assento reclinável passa a ser opcional e muitos pais de crianças mais velhas optam por um carrinho mais leve (mais fácil de transportar) já que o filho não passará tanto tempo dentro dele. O de gêmeos precisa caber dois, obviamente. E, para quem têm dois filhos em idades differentes, existem opções de carrinho que podem ser transformados em verdadeiros veículos de transportar pimpolhos (até três de uma vez!). Existem até carrinhos próprios para pais atletas – os famosos “jogging strollers” com três rodas enormes!

2. Ele será usado mais em pisos lisos (como shoppings, calçadas bem asfaltadas, interiores) ou mais na rua esburacada e falha da cidade? Para pisos lisos, a suspensão não precisa ser nenhuma Brastemp, mas para usar nas ruas esburacadas e desniveladas (como as do Rio, por exemplo), uma suspensão boa é um “must”.

3. Quanto tempo, mais ou menos, o bebê ficará fora de casa com o carrinho? Quanto mais tempo, mais importante é investir num carrinho confortável, com assentos acolchoados e, igualmente importante, com uma cesta decente que caiba tudo que ele precisará nos passeios mais longos (fraldas, brinquedos, troca de roupa, comida, água etc).

4. Onde o carrinho será usado, primordialmente? Se você pretende usar o carrinho muito em shoppings e lugares com corredores estreitos, vale e pena prestar atenção na largura. Alguns podem ser verdadeiros trambolhos, que dificultam muito a vida de quem transita em lugares estreitos. Se ele vai viver entrando e saindo do carro, também convém levar em consideração o peso e a facilidade em fechar e abrir.

Conforto: esse carrinho é confortável para meu filho? E para mim?

Um carrinho pode ser confortável para o bebê, mas desconfortável para quem empurra; um exemplo seria um carrinho com suspensão decente e assento acolchoado, mas que é duro de manobrar e precisa ser empurrado com duas mãos (como o Peg Perego Pliko P3 – o mais comum na Zona Sul do Rio, por razões que me espantam, pois acho um carrinho que deixa muito a desejar em termos de manuseio e visual). Por outro lado, pode ser o contrário: tranquilo de empurrar e leve, proporcionando conforto para você, mas sem nenhuma suspensão ou acolchoamento no assento, resultando num passeio incômodo para o pequeno passageiro (como no caso de muitos carrinhos “guarda-chuva” por aí). Outra coisa importante para se levar em consideração é a proteção contra o sol: é grande o suficiente para proteger do sol, tem a opção de descer mais, é arejado? Eu também incluiria no quesito “conforto” a possível frustração diária que você pode ter se optar por um carrinho de má qualidade, cujo mecanismo trava, que seja duro de abrir e fechar e que não caiba direito nos seus espaços. O que me leva ao terceiro ponto…

Medidas: esse carrinho cabe na minha vida?

Qual o tamanho da sua casa? Do porta malas do carro? Do elevador? Dos corredores dos lugares que frequenta? Das calçadas do seu bairro? Não deixe de pensar nessas questões antes de comprar um carrinho gigante, com a melhor suspensão do mundo e lugar para por seu iPod, e depois perceber que o bicho não entra no seu elevador.  Mas lembre-se: carrinhos menores costumam ser menos confortáveis (em termos de suspensão e posições para o bebê). Às vezes, um carrinho que parece grande fecha num tamanho razoável. Quando estiver pesquisando as opções, procure anotar as medidas (“dimensions”) tanto do carrinho aberto quanto fechado.

Orçamento: quanto estou disposta a gastar?

Uma das razões pela qual vale a pena viajar para o exterior na gravidez é que, além de fazer uma viagem gostosa com o maridão (a última sozinhos em um bom tempo!), você poderá comprar itens do enxoval com um custo-benefício muito melhor. Um carrinho de luxo lá fora custa mil dólares – ou R$1.800, o preço de um Peg Perego aqui. E você pode comprar um carrinho maravilhoso, perfeito para você, do seu gosto e ideal para o seu estilo de vida, por muito menos que isso. Como em tudo na vida, as opções mais caras costumam ser também as de melhor qualidade, com suspensão e manuseio superior, além de virem com itens de luxo, como capa de chuva, mosquiteiro, e um visual bem mais interessante, além de terem acessórios como adaptador para a cadeirinha do carro, porta-bebida, guarda-sol, entre outros. No entanto, é importante levar em consideração que nem sempre o mais caro é o melhor: muitas vezes, você estará pagando pela marca e pelo visual.

Visual: que tipo de carrinho quero desfilar pelas ruas da minha cidade?

A já chiquérrima Bugaboo se uniu à marca Missoni para uma edição especial de seu modelo compacto, o Bee.

Como qualquer acessório, o carrinho também acaba refletindo o nosso gosto pessoal e não deixa de ser uma espécie de “statement” sobre nossos valores. Você pode até achar fútil, mas não tem como negar: roupa, sapato, bolsa, joias, corte de cabelo etc. são signos de quem somos, a nossa tribo, nossos valores. Claro que é perigoso estereotipar. Só porque uma mulher anda com salto agulha e bolsa da Louis Vuitton, não significa que ela tenha o QI de uma lesma – ela pode ser uma pesquisadora reconhecida mundialmente! Da mesma forma, uma mulher que veste havaianas e shorts rasgado e sai de casa de cara lavada pode ser uma empresária famosa, dona de uma fortuna considerável. Mas, exceções à parte, nossos acessórios costumam comunicar algo para os outros. O carrrinho também não deixa de ter essa função. Há carrinhos modernos e chiques, descolados e differentes, com design escandinavo ou europeu, com aparência esportista ou mais tradicionais. Eu só acho importante embrar que o visual, necessariamente, vem em último lugar: antes de tudo, o carrinho é um acessório funcional. Portanto, não faça questão de comprar o carrinho das estrelas (para sua informação, é o Bugaboo Chameleon ou o Stokke Xplory) só para perceber que ele te dá a maior dor de cabeça no dia a dia!

Agora que compliquei um pouco a sua vida, lançando essas milhares de perguntas, vou descomplicar. Abaixo está uma lista de itens para você fazer uma tabela comparativa dos carrinhos que te interessam e que pode facilitar a sua decisão. Mais abaixo, dou dicas de recursos para ajudar na sua pesquisa e de marcas que eu acho legais, se você tiver o privilégio de poder comprar um carrinho no exterior.

Medidas (aberto e fechado)/ Peso / Preço / Assento reclina? / Assento reversível? / Nível de conforto/ Suspensão (repare nas rodas) /Bom de manobrar? /  Tipo de cobertura contra o sol/ Tamanho da cesta / Acessórios (adaptador para cadeirinha, capa de chuva, porta-bebida) /Visual

Dicas:

  • Entre em sites de grande tráfego, como a Amazon, para ler as resenhas dos carrinhos ou ver sua pontuação.
  • Assista a vídeos do carrinho em ação no YouTube ou em sites especializados, como a BabyGizmo.
  • Procure nas ruas da sua cidade os modelos que te agradam e, se tiver coragem, puxe papo com a dona e pergunta sobre os pontos fortes e fracos do modelo escolhido.

Marcas legais que talvez você não conheça: Baby Jogger, Bugaboo, Bumbleride, Phil & Teds, Quinny, UppaBaby & Valco.

Qualquer dúvida, entre em contato comigo. Como disse, ADORO falar sobre carrinhos de bebê e terei o maior prazer em te orientar, caso você ache necessário!

[Você poderá gostar também do post Como escolher uma cadeirinha para o carro/ bebê conforto?]

Anúncios

104 Comentários

Arquivado em Uncategorized