Quer dizer que você quer parto normal?

Quando o assunto é parto, você diz “quero parto normal” ou “vou tentar normal” (e não se fala mais nisso)? Você acredita que, para ter parto normal, basta querer e torcer para que tudo dê certo? Você escolheu um médico do plano que se diz favorável ao parto normal, mas que diz “não se preocupe com isso, do parto cuido eu”?

Se você respondeu “sim” a qualquer uma dessas perguntas, você precisa ler este post. Se você conhece alguém que se encaixa nesse perfil, por favor, repasse o link para ela.

Eis os FATOS: se você vai ter seu filho na rede privada, a probabilidade de acabar numa cesárea se aproxima de 90%. Pense bem: quantas amigas suas começaram naquele quadro acima (“quero normal, meu médico diz que faz”) e terminaram numa cesárea? Não quero te desapontar (pelo contrário, quero ajudar!), mas a verdade é que parto normal não é para qualquer uma. É para quem pode – para quem pode correr atrás de informações confiáveis, pode encontrar a coragem para mudar de médico se o dela for cesarista, pode pagar um obstetra fora do plano ou optar pela rede pública se necessário, pode olhar para dentro e enfrentar seus demônios, pode peitar o marido, a mãe e o escambau. A boa notícia é que você pode ser uma mulher dessas.

Se você quer MESMO parto normal, seguem abaixo 7 dicas para aumentar as chances de ter o parto que você deseja e merece:

1. Informe-se

Parto normal no Brasil é exceção. Especialmente se você tem plano de saúde. Isso significa que você precisa estar ciente das possíveis armadilhas que fazem as mulheres caírem na cesárea, mesmo sem querer. Que armadilhas? Entre elas: os mitos sobre o parto, as falsas indicações de cesáreas, a realidade sociocultural e econômica (em que o normal é o parto cirúrgico), o sistema tecnocrático e voltado para lucros e a formação e a atitude da equipe que vai te acompanhar. Você não precisa mudar nada disso – se quiser tentar, ótimo! – mas não pode fingir que vive num mundo cor de rosa em que o médico vai deixar a natureza seguir seu curso, a equipe do hospital está lá pra te ajudar e o que quer que aconteça estava “escrito nas estrelas”. Acorde e deixe seus olhinhos bem abertos. Ou volte a acreditar em duendes (quer dizer, médicos bonzinhos) e depois não se surpreenda se acordar com uma bela de uma cicatriz na barriga.

2. Escolha um obstetra realmente favorável

A melhor forma de saber se o seu GO “faz” parto normal mesmo (quem faz é a mulher, mas já que essa é a expressão, estou adotando-a aqui, entre aspas) é através da indicação de mulheres que pariram com ele. Se isso não for possível, dê uma de detetive e procure pistas de que ele possa te induzir à cesárea. Fique atenta aos seguintes sinais: ele nunca desmarcou uma consulta (parto normal não tem hora marcada); no consultório, tem várias pacientes chegando para tirar pontos e meia dúzia de grávidas com a barriga do tamanho da sua (ou seja, não vai dar para esperar o trabalho de parto de todas elas); ele não gosta de falar sobre o parto e diz coisas como “deixa isso comigo”; ele é fã das táticas do medo (“o importante é a saúde do bebê”) e vive procurando pêlo em ovo (“temos que ficar de olho nesse líquido…”). Mesmo que ele seja muito querido, muito fofo e te conheça há anos, não se iluda: se ele faz cesárea em 90% dos casos, a sua chance de parir com ele é 1/10.

3. Procure apoio virtual e local

Quem nada contra a maré requer muito apoio e incentivo. Nada melhor que se juntar a pessoas que te entendem, já passaram por isso, e se empenham para ajudá-la a conseguir atingir o seu objetivo. Para isso, sugiro que você participe de listas virtuais como a PartoNosso do Yahoo Grupos, comunidades como a GPM – Gestação, Parto e Maternagem no Facebook e que procure também um grupo de apoio local, onde possa olhar nos olhos de outras mães, ouvir suas experiências e trocar recomendações. Aqui no Rio tem o Ishtar, grupo incrível, coordenado por gente maravilhosa e frequentado por mulheres de todos os tipos (inclusive euzinha).  Também tem Ishtar em Belém, Sorocaba e Recife, e sei que São Paulo tem o Gama, BH tem o Bem Nascer e Curitiba tem o Espaço Aobä. E não devem ser os únicos. Procure por esses grupos, vá a um encontro (são gratuitos) e saiba que você não está sozinha.

4. Prepare sua cabeça (e o corpo também)

É preciso muito preparo psicológico para se manter firme num desejo que, lastimavelmente, é tão difícil de se realizar na atual conjuntura. É preciso coragem para dizer tchau para seu médico de anos na 37a semana e procurar um novo profissional; força (e paciência) para não ceder aos protestos da família e dos amigos que não entendem porque você não marca a cesárea como todo mundo; convicção para usar suas economias para bancar uma equipe realmente alinhada com seu plano de parir; fé para se permitir parir como manda a natureza. Minhas dicas: leia livros e relatos de parto positivos (fuja de programas de TV, de maneira geral) e faça terapia. Além da força psicológica e emocional, também é legal preparar o corpo para as posições e as sensações do parto (yoga para gestantes e massagem perineal são duas opções que vêm à mente). Mas não se iluda: a cabeça é muito mais importante que o corpo nesse processo de parir.

5. Seja sujeito

É muito cômodo (e perigoso) entrar no papel da “mãezinha” ou “gravidinha” (primas-irmãs da “princesinha”) e deixar que todas as decisões sejam tomadas por você: pelo médico, por sua mãe, pelo marido… Se você tem a intenção de parir, você precisa se recusar a ocupar esse lugar. Porque uma mulher que dá a luz é protagonista, e não um objeto ou um coadjuvante do processo. Ser sujeito significa, entre outras coisas, questionar, se examinar, refletir, sentir, escolher, rebolar (em ambos os sentidos), viajar para a partolândia e dar um belo de um FODA-SE pra todas aquelas pessoas que teimam em te julgar. Ser sujeito significa viver de acordo com a sua verdade e sentir na pele as suas escolhas, e não ser vítima das decisões de terceiros.

6. Contrate uma doula

Para quem não sabe o que é uma doula e qual a importância dela no parto, prometo um post longo e detalhado em breve. Por enquanto, vou ser econômica e dizer que a doula acompanha a gestante antes, durante e após o parto; sua função é servir de apoio e conforto. A doula não é profissional de saúde e nem faz parte da equipe médica: ela acompanha a mulher, oferecendo palavras de incentivo, um toque carinhoso e um porto seguro para a parturiente (e, muitas vezes, também para seu companheiro). Em suma, a doula é uma amiga que já viu muitas mulheres parindo. Por isso, é importante  conversar muito com ela antes do parto, sentir-se bem com ela e criar um laço de afeto e confiança. Você pode achar que doula é modismo ou frescura, mas a história e as evidências mostram o contrário: doulas existem há milênios e sua presença na sala de parto diminui o índice de cesárea, analgesia e depressão pós-parto e aumenta a satisfação materna e o índice de amamentação (entre outros benefícios). Se você é carioca, visite a página do Núcleo Carioca de Doulas no Facebook para se conectar com profissionais da área.

7. Não saia correndo para o hospital

Pensei se deveria mesmo incluir esta última dica – obviamente, não quero ser culpada depois por uma leitora que teve seu filho no táxi! -, mas como não tem como negar que um dos fatores de cesárea é a impaciência dos médicos (a famosa desculpa “não teve dilatação”) optei por colocá-la. A não ser que esteja com uma equipe de parto humanizado, a melhor maneira de se proteger da cesárea intraparto é chegar ao hospital em trabalho de parto ativo, com mais de 7 cm de dilatação e, de preferência, dilatação total. Eu sei que é difícil se imaginar fazendo isso – “correndo esse risco” – mas é mais comum chegar cedo demais e sofrer um parto cheio de intervenções desagradáveis ou até mesmo uma cesárea do que acabar parindo a caminho da maternidade (apesar desses casos saírem mais na mídia!). Se você não tem plena confiança na equipe médica e sente que o médico pode acabar fazendo uma cesárea de última hora, essa é a dica que eu deixo para você (de preferência, siga também a dica número 6).

Por hoje é só. Boa sorte e boa hora para você! E depois passe aqui e conte sua experiência.

About these ads

162 Comentários

Arquivado em Uncategorized

162 Respostas para “Quer dizer que você quer parto normal?

  1. Valeu pelo post, Clarissa! Seu blog sempre maravilhoso! O Ishtar nasceu em Recife em 2007, depois foi pra Belém e se multiplicou por várias cidades (Brasília, Divinopolis, Sorocaba,Fortaleza). No Rio existe desde maio de 2010 e desde então, só temos tido sucesso! E o mais novo ishtar é o de BH! Temos muito orgulho desse grupo!!

  2. Adorei querida! Muitas gestantes precisam dessas dicas, sem dúvida alguma!

  3. Susana

    PERFEITOOOOOOO!!

  4. Muito boas dicas! Quando estava gestante pesquisei muito sobre o assunto e resultado, tive meu tão desejado parto normal, na banqueta de parto, debaixo do chuveiro. Detalhe: num hospital público que não oferece essa opção e sem nenhum médico/enfermeira perto no momento do nascimento. Pra mim foi perfeito, sem anestesia, sem episiotomia, muito melhor do que eu esperava!

    Que muitas mães leiam este post e busquem mais informações! Cesárea é desumano quando REALMENTE não é necessária!

  5. Adriana Horta

    Concordo em genero numero e grau!!!
    Tive 5 filhos e 5 partos normais.
    Minha primeira filha nasceu na França, e lá a cultura é parto mais natural possivel, chamado parto Leboyer, sem anestesia, sem horlofotes na carinha do bebe… etc.
    Os outros 4 nasceram aqui e senti a pressão pela cezaria.
    No meu 4º filho, eu estava com 38 anos. Falei com meu medico que da minha 1ª filha eu fiquei 25 horas em trabalho de parto!!! entao nao ia aceitar desculpa de “nao ta tendo dilatação”.
    Quando fui pra maternidade, as enfermeiras entravam no meu quarto e perguntavam: “É aqui o parto normal?”…
    A dica de chegar na maternidade com trabalho de parto adiantado é valida…

    • simone

      Infelizmente se o parto normal na França é forçado e não uma opção da mãe, isso que dizer que estão na Mesopotâmia, o tipo de parto tem que ser uma escolha da mulher, pelo que fiquei sabendo de noticiários da França é que a mulher não tem outra opção além do parto normal, no Brasil também é um problema, pois a mulher tem apenas a escolha da Cesária em hospitais particulares e no publico o normal é “forçado”, a questão não e’ qual o melhor parto, mas o que deixa a paciente livre para escolher e feliz com o resultado.

      • Mara

        Concordo totalmente com você Simone, na Holanda também é assim, tive pré-eclâmpsia e mesmo assim fui submetida a um parto normal.

      • Mara, pré-eclâmpsia não é indicação de cesárea e sim de indução de parto. A indução incorre em menos riscos, pois não é invasiva como a cirurgia (cesariana) e o bebê recebe todos os benefícios de ter enfrentado o trabalho de parto e passado pelo canal vaginal (benefícios esses que vão desde seu sistema respiratório ao gastrointestinal). E, me perdõe, mas você não foi “submetida” a um parto normal. Foi você quem pariu! Isso não é submissão. Você pode ter sido submetida a uma indução, mas o parto não foi feito com você – foi o seu corpo quem fez. Infelizmente, sinto pelas suas palavras que a experiência não foi das melhores e sinto muito por isso. Espero que você um dia se sinta melhor com relação à experiência. Abraço, Clarissa

      • Mara

        Clarissa, concordo que faltou mais informação de minha parte, e sim, foi uma experiência traumática pra mim. Eu tinha planejado ter meu bebe com parto normal sim. Mas o inesperado aconteceu, minha pressao subiu, meu fígado não estava funcionando corretamente, e o diagnóstico foi, depois de um exame de sangue, síndrome de help. Generalizei para pré-eclâmpsia porque muita gente nunca nem ouviu falar dessa síndrome. Pois bem, os médicos falaram que eu corria risco de vida, e mesmo assim, fiquei 3 noites internada em um hospital sofrendo com a aplicação de um gel vaginal para induzir as contrações, pra mim foi muito pior que o parto em si. O que não consegui entender até hoje é que, se eu corria risco de vida como me disseram ao ter que ficar internada no hospital, pq ainda tive que ficar por 3 noites no hospital, sofrendo? Não sou daquelas totalmente a favor da cesárea, mas aqui no Brasil quem tem síndrome de HELP tem que ser submetido a cesárea. No final das contas, somente no quarto dia resolveram aplicar a ocitocina para acelerar o trabalho de parto, o que me leva a questionar pq não foi feito isso antes também… Só pra deixar claro mais uma vez, sou totalmente a favor do parto normal. Só acho triste no Brasil tudo ser motivo de cesárea, e na Europa, a cesárea ser quase impossível, mesmo em situações de risco de vida para a mãe. Resumindo, cesárea ou parto normal não deve ser uma regra, e sim analisado com cautela para cada indívíduo. Por último quero deixar uma dica para as mamães aqui, por medo da dor, pedi uma epidural mesmo sem ainda ter sentido muito as dores da contração, e me arrependi muito, pois não tive força suficiente para empurrar o bebê durante o parto, e o uso de forceps foi infelizmente, necessário. Graças a Deus no final deu tudo certo e meu bebe nasceu muito saudável.

    • so nao pode demorar tano tb, numa dessas cheguei no hospital com 8 de dilatacao…

  6. Ana Lucia

    Querida Clarissa, A-DO-REI! Parabéns pelo post, maravilhoso. Beijos

  7. Valnia Veloso Coelho

    Fantástico, cada vez mais artigo como este deve ser expandido para atingir um grande número de mulheres, Parabéns

  8. ótimo post clarissa, direto e didátido. bom para quem ainda nao adentrou no universo da humanização – uma vez que entramos, fica difícil ver a vida e o mundo do mesmo jeito de antes. só complementando, em vitoria tb tem um grupo de apoio ao parto humanizado – https://www.facebook.com/partoativo.es.
    deixei o link do facebook caso alguma leitora seja de vitoria e se interesse em saber mais informações. eu mesma moro em sao paulo, mas sou de vitoria e acho que vale a pena divulgar esse trabalho que me parece pioneiro por lá. (mulheres capixabas, se eu estiver errada, me corrijam).
    beijos

    • Olá, tentei acessar o grupo, mas não está mais disponível!
      Minha noiva e em breve esposa está grávida, estamos pensando na possibilidade de ter um parto natural… Infelizmente ela está sem plano e gostaria de ajuda e também de saber de valores de um parto natural e onde posso conseguir aqui em Vitória!

      Obrigado

      • Rafael, parabéns pelo bebê, pelo casório que acontecerá em breve e por buscar esse modo mais gentil de nascer. De fato, o grupo Parto Natural do Facebook mudou.. Se você quiser, tem o “Cesárea? Não, obrigada”, mas é um grupo fechado. Se você quiser participar, me fala que eu te adiciono no Facebook. Já pedi indicação de grupo de apoio e equipe em Vitória para passar para vocês. Te mando um email quando souber, ok? Até breve & abraço, Clarissa.

      • Rafael Cantarela

        Obrigado Clarissa, depois vou procurar o grupo e solicitar a participação lá!

  9. ou, também, a pessoa pode ir para o SUS….geralmente cesárea no SUS só em último caso!!!

    • Mariana, o SUS é sim uma opção estatisticamente mais garantida de ter um parto vaginal, mas também não é mais “em último caso” – o índice de cesárea pelo SUS é de aprox. 30% – o que não deixa de ser bastante alto! E, infelizmente, o tratamento do parto de maneira geral pelo SUS está muito longe de ser respeitoso e baseado em evidências de melhores práticas. As mulheres ainda têm um longo caminho a percorrer – seja na rede pública quanto na privada – para conseguirem um parto fisiológico, respeitoso e gratificante. Mas com informação, vontade e perseverância, vamos conseguir. Obrigada pela comentário!

  10. Clarissa, seu post é fantástico!
    A maneira como você abordou merece palmas.
    Aqui na minha cidade sou a única Doula (a maioria dos médicos daqui nem sabe o que e isso) e quase 99% das pacientes que me procuram e desistem da assistência acabam na “bendita” cesárea.
    Uma triste realidade que nós mulheres precisamos mudar!
    Um beijo e muito sucesso pra você!

    Meline Machado
    Psicologa
    Doula
    e agora Fã da Clarissa!

  11. Lia Bittencourt

    Do mesmo modo que a cesária (às vezes) é desnecessária, o parto normal também é (muitas vezes) bastante perigoso. Seja pela falta de preparo e falta de experiência médica, seja pela falta de condições fisiológicas da mãe de ter um bebê através do parto normal. Eu sou um exemplo de como um parto normal pode ser MUITO arriscado, tanto para a mãe como para o bebê. Minha mãe ‘decidiu’ ter parto normal.e, devido á diversas complicações na hora do parto e da falta de dilatação, eu e minha mãe quase morremos. Eu, por muito tempo na minha vida, tive problemas de refluxo e respiração, e minha mãe, passou por muitas dores desnecessárias no parto normal ‘impossível’ no caso dela, além do risco de morte, de perder o bebê, do medo, da ansiedade, da urgência e da incerteza… Então gente, essa história de que temos que reivindicar o parto normal, que temos que ser corajosas e instruídas para exigir o parto normal, que temos que ser donas do próprio destino e blá blá blá (parece coisa de novela) só vale a pena se a mãe tem condições de ter um parto normal! Simples. E outra, tenho uma irmã que trabalha na área da saúde e ela mesmo optou por cesária porque todos da área da saúde sabem das potenciais e sérias complicações de um parto normal mal sucedido. Então, vamos deixar de empolgação e acalmar os ânimos inlfamados, porque o parto normal não é essa coisa dos sonhos como parece. Pelo menos não para todas…

    • Querida Lia, obrigada por trazer o seu relato. Infelizmente, a sua conclusão de que o parto normal é “muitas vezes” perigoso simplesmente não condiz com as evidências científicas. O parto normal continua sendo mais seguro tanto para a mulher quanto para a criança. Isso não significa que 100% das mulheres conseguirão parir, mas o contrário, 90% de cesariana na rede privada, é um extremo que não tem nada a ver com necessidade e nem com o desejo das mulheres. O meu intuito com este post foi dar ferramentas (ou seja, informações confiáveis, baseadas em evidências) para as mulheres que querem ter parto normal (a maneira natural e mais segura para trazer uma criança ao mundo). Quanto a seus problemas de saúde, me parece estranho que o refluxo e os problemas respiratórios estejam relacionados ao parto – qual foi a explicação que te deram? Na verdade, estudos comprovam que bebês que nascem via cesárea tem muito mais chances de ter dificuldades respiratórias ao longo da vida do que crianças nascidas via vaginal. Quanto à sua colocação sobre as pessoas da área de saúde optarem pelo parto cirúrgico, a causa não comprova a “superioridade” da cesárea e sim uma crença cultural e tecnocêntrica de que a medicina intervencionista é superior à natureza e à fisiologia do corpo feminino. Claro que a medicina (e a cesárea) salva vidas e isso é fantástico e louvável – mas daí a argumentar que a intervenção é quase sempre necessária ou superior é uma falácia e uma falsidade (as evidências comprovam o contrário). A cesariana traz efeitos muito piores para a mãe e para a criança ao longo da vida, estando relacionada a problemas respiratórios, obesidade, alergias e doenças autoimunes. A grande maioria das mulheres é capaz de parir naturalmente (via vaginal) se forem acompanhadas da forma correta, respeitando o tempo e a fisiologia do nascimento. Claro que sempre haverá exceções, mas elas são só isso: exceções e não a regra. Da mesma forma, o parto cirúrgico, comprovadamente mais invasivo e perigoso, não pode virar regra como acontece atualmente. Abraço, Clarissa

      • ,

        A opinião da Lia esta corretíssima meu sobrinho ficou paraplegico com essa frescura, minhas filhas nasceram de cezarea nem eu e nem elas ficamos com nenhum problema.

      • Maria, embora eu não concorde com a sua conclusão, acho importante você saber que eu respeito a sua experiência de vida e sua visão sobre o assunto. Eu sinto muitíssimo por seu sobrinho e por sua irmã/cunhada, que deve sofrer diariamente, mas desconfio da conclusão de que a condição do seu sobrinha seja resultado do nascimento… A não ser que tenha sido um parto muito traumático, com intervenções consideráveis, é difícil que a paralisia seja um efeito do parto (só 10% dos casos de paralisia estão relacionados ao nascimento). No mais, intervenções que geram sequelas dessa proporção são sinais de um parto vaginal anormal e violento, e não configuram um parto normal, natural e fisiológico. Também não posso deixar de fazer algumas observações sobre o seu comentário. Primeiro: uma opinião, como a da Lia, não é errada ou correta; é simplesmente uma opinião. Segundo, parto não é “frescura”; é um momento significativo tanto para a mulher quanto para a criança, que pode ter implicações sérias na vida futura de ambos, e, talvez ainda mais importante, um parto respeitoso e fisiológico é um direito da mulher, algo que ela merece viver se assim desejar. Terceiro, cesárea se escreve com ‘s’ e não ‘z’ e tem um acento no ‘a’. E, por fim, o fato de você e suas filhas não terem sofrido adversidades por conta da via de nascimento não significa NADA em termos da experiência de outras crianças e outras mulheres. O que vale são as estatísticas e essas são muito claras: parto normal é melhor para a mulher e para o bebê. Obrigada por visitar o blog!

      • Rafaela

        Embora eu compreenda perfeitamente que o parto normal tem sido apontado como o melhor para mãe e bebê cientificamente falando, o que faz minha experiência de vida não significar nada no todo, achei necessário também deixar minha opinião baseada em todos os casos que conheço sobre o assunto. Sim, conheço muito mais mulheres que fizeram cesárea do que normal e dentre todo esse universo, não conheço nenhum, NENHUM parto cesáreo que trouxe problemas para mãe ou bebê. Já o normal, são poucos casos em que as mães me disseram que não houve complicações e diga-se, muitas delas graves com sequelas irreversíveis.
        Isso significa que na minha realidade, eu não confio no parto normal e nem me sentiria segura, mesmo com todas as pesquisas apontando o contrário. Pode ser que o problema seja falta de preparo dos profissionais, mas quem for para um hospital público para ter um parto normal achando que vai fazer um grande negócio, pode terminar sofrendo de dor durante pelo menos 2 dias com uma enfermeira sentando na sua barriga para o bebê “sair mais rápido”.
        Números são importantes, mas será que analisar melhor, talvez qualitativamente, em vez de quantitativamente, investigar cada caso não seria importante também? Porque quando eu vejo esses indicativos atuais sobre isso parece que eu moro em um universo paralelo! Abraço.

      • Oi Rafaela e obrigada pelo depoimento. Acho que as suas palavras refletem a experiência e a opinião de uma grande parcela da população. Justamente por isso, merecem muito mais que uma resposta e sim um post inteiro! Assim que eu tiver um tempinho para respirar depois de um fim de mês muito louco (Bienal do Livro etc.), vou escrever o post e espero que você leia. Até lá, fica com o meu abraço!

    • Laís F

      Olha, eu faço faculdade de Nutrição, sendo assim, sou da área da saúde. Já estou no último ano de estágios, então apesar de não ser formada, possuo alguma experiência na área. Somo a isso, o fato de querer trabalhar com gestantes e crianças. Desde os primeiros semestres da faculdade, aprendi a procurar evidências científicas e, coincidência ou não, todas as evidências que eu tive acesso apontam para o parto normal como melhor opção. Li um estudo interessante, que dizia que bebês que nasciam de parto normal tinham menos alergias, pois eram expostos ao canal vaginal materno (e portanto, imunizados). A Clarissa disse tudo, em resposta ao seu comentário, mas como (quase) profissional da área da saúde, eu me senti no dever de comentar. Até porque, tem tanta coisa errada na área da saúde, que em muitos casos está sendo melhor procurar informações por si só.

      • luciabraga

        Clap, clap, clap.. vc merece palmas, Clarrisa! Não só pelo post fantástico (que já foi devidamente compartilhado no meu facebook e nas listas das quais eu participo!) qto pela resposta ao comentário acima.
        :)
        Um grande beijo!

    • Concordo plenamente com a Clarissa. As pessoas que resolvem discutir sobre o parto normal precisam se informar antes. Hoje em dia as discussões não são mais baseadas em “eu acho” ou “eu conheço uma pessoa que…” Por favor, né gente!! Discussão que se leve a sério deve ser fundamentada em evidência científica, e ponto final.

    • Rita Queiroz

      Lia, adorei teu texto!!E concordo plenamente!!!Vivem dizendo que parto normal que é bom….e etc…Mas, por sorte ou azar não conheci ninguém que tenha morrido de cesárea, entretanto tive uma amiga que faleceu durante o parto normal de sua filha (pq queria de qq forma o normal e foi realizá-lo num local que só realizavam partos naturais) e uma vizinha que faleceu um dia depois do parto normal de seus gêmeos por conta de um aneurisma provocado pelo excesso de força que fez para ter os bebês(pelo menos essa foi a explicação do médico ao marido!).Agora, imagina essas crianças que vão crescer sem a presença da mãe e com a sensação que a culpa da morte da mãe, foi deles.Sou adepta à cesárea, e não acredito que o parto normal seja mais benéfico, acho que cada caso é um caso.Se a mãe quer ter normal ok!Desde que não tenha risco algum para ela e para o bebê.E se quer ter através da cesárea tbm ok, cada um faz o que acha melhor.Só não acho que deve haver uma “caça às bruxas” para quem decide pela cesárea.

      • francyborges

        Dados científicos comprovam a maior incidência de mortes e complicações pós-parto para cesarea. Isso não é “fofoca” é informação científica realizada no mundo todo e é esse tipo de informação que deve ser levado em consideração e não “a vizinha da minha amiga conhece alguém que…” (isso é fofoca sem fundamento algum). Graças a Deus não conheço ng que tenha morrido de parto. Acho super válido a troca de experiência com conhecidos para saber o que pode ou não acontecer e diversos pontos de vista, mas para fundamentar minha decisão procuro ler artigos científicos de revistas acadêmicas, teses e disertações com informação mais segura e até agora não vi muita coisa favorável ao parto cesáreo.

      • Bravo, Francy! Sua resposta está bem melhor que a minha :) Valeu!

      • Rita, você diz que não acredita que o parto normal seja mais benéfico. Claro que você tem direito às suas opiniões, mas a verdade não é uma questão de opinião: é fato, cientificamente comprovado, que o parto normal é mais benéfico sim. Claro que “cada caso é um caso” e a cesariana pode ser uma opção mais segura em casos de alto risco, dependendo das condições individuais da parturiente, dos profissionais etc. No entanto, estamos falando aqui de mulheres de baixo risco que desejam parir seus filhos e que, por incompetência e ignorância da cultura como um todo, não conseguem fazê-lo. Você tem o direito de fazer sua cesárea – aliás, ninguém nunca vai tirar esse seu direito (ou seja, não se trata de uma caça às bruxas)- mas, por isso mesmo, é maid do que coerente você permitir que haja condições justas para quem pensa diferente. É inaceitável que vivemos num país em que a mulher que deseja ter o filho como manda a natureza é enganada, ludibriada e negada pelo sistema. E é isso que eu acho importante ressaltar. Abraço, Clarissa

      • Val

        Ola Rita – escrevo em resposta a seu comentario e os acima. Concordo que a decisao de Cesaria ou parto natural e de cada individuo, mas com as estatisticas que tenho lido a respeito deste assunto no Brasil (80 a 90% dos partos sao cesarianas), voce confia que as equipes medicas sao realmente experientes em ‘fazerem’ partos normais? Ha de haver alguma explicacao da insistencia de varios medicos no Brasil em dizerem que ‘nao tem dilatacao suficiente’ em quanto muitos em outros paises esperam a dilatacao completa, as vezes por muitas e muitas horas… Sei que ha casos em que quando o parto e longo, a unica opcao e partir para a cesaria, mas por isso e monitorado as batdas cardiacas do bebe, em caso baixe dramaticamente, sendo sinal de estresse para o bebe. Tenho uma amiga que teve parto normal de gemeos e sem qualquer intervencao ou complicacoes pos -parto. Sinto muito pela perda da sua amiga e sua vizinha. Como vc disse, cada caso e individual.

      • ana

        Concordo plenamente com a opinião da Rita. Tenho muitos parentes que tiveram problema com o parto normal…..essa coisa de natural é melhor é conversa piada para deixara mulher presa aos castigo do “pecado capital” há natureza não é tão boazinha como se parece e cheia de imprevistos. Enquanto a Cesária, sou a favor sim….e acho mas segura concordo que a mulher é que tem o direito de escolher…e não algum órgão governamental….. como acontece com a mulheres que não tem de pagar por uma assistência melhor, afinal de contas é ela que vai passar.

      • Ana, sinto muito que seus parentes tiveram problemas com o parto normal. Mas que “normal” foi esse? A quais intervenções essas mulheres foram submetidas? A questão do parto normal vs cesárea é complexa, porque tem a evidência científica, confiável e baseada em grandes números (e, portanto, dificilmente enviesada), e aí temos as anedotas (causos de amigos, parentes etc), que contribuem para criarmos a nossa crença pessoal. E por falar em crença, eu não sou católica, sou feminista e nunca defenderia a ideia do parto normal baseado num conceito arcaico e machista de que a mulher precisa sofrer as dores do parto por causa do pecado capital. Aliás, acho que esse argumento não entra na equação há meio século (na boa). Quanto ao direito de escolher, concordo em gênero número e grau. Toda mulher deveria escolher como, com que, onde e se quer parir. Obrigada por visitar o blog!

    • Amanda

      Lia, creio que esteja no local errado, porque aqui é para mamães que são a favor do parto normal, creio eu que você esteja com o ânimo inflamado, o que faltou para sua mãe foi uma equipe humanizada e preparada e não um bisturi. Procure um grupo a favor de cesáreas, porque aqui não é o seu lugar.

      • Na verdade, lendo os cometários até aqui, fiquei impressionada com a falta de informação e conformismo de algumas mulheres em relação ao parto normal. Até dizer que o artigo é uma caça as bruxas àquelas que querem cesariana. O artigo é para quem quer ter parto normal, e dá dicas para fugir de armadilhas para uma cesariana desnecessária.
        Quanto as histórias trágicas sobre parto normal, ha de se entender que com certeza essas mulheres tiveram um parto traumático e com pessoas totalmente despreparadas, afinal hoje em dia nos deparamos com muitos absurdos sim, pessoas e crianças que são violentadas durante o parto, mas isso está longe de ser um parto natural e/ou humanizado. Lendo os comentários ficou mais latente o que a autora colocou no artigo: a preparação psicológica, é de extrema importância pra quem sonha em parir. Estou gravida de 37 semanas, e sonho com o meu parto, (cesariana pra mim é cirurgia) o nascimento da minha filha e o meu renascimento. Graças a Deus tenho uma equipe excelente que me acompanha desde o primeiro momento da gestação, e meu médico novamente graças a Deus é o coordenador do parto normal humanizado da minha cidade. E mais, minha vida toda escutei horrores sobre parto normal, forceps, morte, cordão, blablabla… Hoje eu me informei, da maneira correta, e não em “disse que me disse” e quanto mais ouço esses absurdos sobre parto, mas tenho vontade de parir!! Caça as bruxas existe ao parto normal, e é isso que temos que acabar. E o mais estranho, se o artigo é para quem quer parto normal, não entendi o que as cesaristas estão fazendo por aqui?

    • Carla

      Concordo plenamente com você.
      Cesária também é parto normal. anormal é você ficar 25hs tentando o parto vaginal só pra satisfazer a própria vontade.
      Não tenho nada contra parto normal ou cesária. Apenas acho que se a mulher é apta a ter normal, não tem porque fazer cesária, mas caso contrário não forçar o próprio corpo e muitas vezes o bebê por um desejo que no final das contas não dá em nada.
      O importante é que nosso filhos venham ao mundo saudáveis independente da maneira.

      • Amanda Ortega

        Carla, me desculpe, mas vou dizer exatamente o que vejo: mulheres sadias e jovens, sem nenhum tipo de complicação serem “coagidas” a terem um parto cesariana, e isso , me desculpe, é um crime.

      • Desculpa postar isso hoje, alimentar coisa de anos atrás, mas não consigo enxergar um processo fisiológico como “anormal”. Mulheres vem entrando em TP e demorando o tempo que precisa demorar há MILHARES de anos, não por “vontade” ou “luxo”. Pelo contrário: “vontade” e “luxo” pra mim é escolher cirurgia invasiva e que majora os riscos por não querer seguir um processo natural.

  12. Luciana Fernandes

    Muito bom Clarissa, :D

  13. Juliana

    Querida Clarissa,
    Estou grávida de 3 meses e desde já a dúvida sobre qual parto escolher me atormeta. Sempre fui a favor do parto normal e disse que no dia em que ficasse grávida, não haveria dúvida. Contudo, comecei a pesquisar bastante sobre o assunto e apareceu um fato até então desconhecido para mim: a episiotomia. Vi diversos relatos de mulheres que acham isso normal e não tiveram nenhum problema, mas vi comunidades na internet de protesto a episiotomia, dizendo que isso é uma agressão a mulher, é de difícil recuperação, causa dores e até danos irreversíveis, prejudicando inclusive as relações sexuais. Você possou por isso? É possível parto normal sem o corte? Obrigada desde já pela ajuda.

    • Oi, Juliana: parabéns pela gravidez! A episiotomia é um procedimento que não tem embasamento científico: ou seja, seu uso não deveria ser feito de rotina e faz mais mal do que bem. Infelizmente, muitos obstetras ainda o praticam porque foram como aprenderam na faculdade e não se atualizaram a respeito das novas recomendações (inclusive da OMS). No entanto, existem profissionais que não fazem episiotomia de rotina e o ideal seria que você procurasse um médico que pratica a medicina baseada em evidências. Converse com o seu médico, pergunte o que você pode esperar e veja sua reação. Boa sorte e depois apareça aqui de novo, pois pretendo falar sobre os diferentes “tipos” de parto normal, as intervenções etc. Bjo!

      • Juliana

        Muito obrigada pelo esclarecimento. Tenho uma consulta com meu médico na próxima semana e vou conversar com ele. Pode deixar que eu volto aqui, sim. Bjs

      • Tatiana MN

        Juliana, estou tomando a liberdade de me intrometer no seu comentario e da Clarissa. É possível sim um parto normal sem episio. Essa foi uma questão muito importante pra mim também e por isso mudei de médico com 37 semanas, pq o anterior fazia episio de rotina – caso fizesse o parto normal, lógico… Até onde sei, a episio só é necessária em cerca de 10% -15% dos partos normais e mesmo assim ainda questionável. A posicão de parir ajuda a evitar esse corte e somente uma equipe humanizada `permite` que vc escolha a sua. Espero que vc tenha coragem e se informe bem para ter o melhor parto que vc e seu filho podem ter!

      • Amqqs Parabéns pelo blog, pelos artigos e principalmente pela paciência em responder tao bem explicado e tão educadamente certos comentários acima, fiquei sua fã, pelo blog e pela postura.
        Juliana fiquei curiosa pra saber como foi seu parto.
        Beijos!

    • Amanda

      Oi Juliana, é possivel um parto normal sem episio sim! O que nao tem garantia é que o seu perineo vai permanecer intacto depois que o bebe sair. Mas veja, se romper, o tamanho do corte sera extatamente o tamanho necessario para o seu bebe passar, ao contrario da episio, que corta antecipadamente,sem dar ao tecido a chance de esticar. Tive duas filhas, sem episio e sem rompimento do perineo. Boa sorte!

      • Juliana,
        Tem um aparelhinho chamado Epi-no (de episiotomia não), fabricado na Alemanha, mas já vendido no Brasil, que é usado para “treinar” o assoalho pélvico. Eele é feito para ser usado após a 32a semana de gestação. Eu usei, com orientação de meu médico e fisioterapeuta. Tive um parto natural maravilhoso e sem laceração. Meu bebê nasceu com 54cm, pesou 4150g e tinha 37cm de perímetro cefálico. É só se informar, procurar, que vc acha! Muistos médicos teriam me feito uma episio quiçã uma cesárea! Um beijo, Luciana

      • Juliana

        OLá Clarissa,Tatiana e Amanda! Só pude ver o post de vocês agora. Muito obrigada pelos comentários e esclarecimentos! Um forte abraço.

    • francyborges

      Oi Juliana, depois do seu comentário fui me informar melhor sobre a episiotomia e como evitar a mesma e também as lacerações. Li alguns artigos (como esse da USP:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342006000300011) que mostram que a incidência de lacerações se dá princpalmente pela posição da mãe (horizontal) e pela força fora do período expulsivo de forma intensa (eles chamam de puxo dirigido, que é fazer força longa fora do tempo). As melhores opções são posições inclinadas ou verticais e fazer força curta apenas qdo seu corpo mandar ( o periodo expulsivo faz a mulher sentir uma vontade louca de fazer força instintivamente – esse é o ideal). Também vi que a massagem perineal tem evitado lacerações e que as estatisticas são menores que 4% para aquelas que fazem massagem perineal e exercícios de fortalecimento pélvico (procura no Google sobre massagem perineal – é fácil de fazer, mas apenas após 34 semanas). Tem tbm um aparelho chamado EPI-NO que é um “treino” de PN e reduz consideravelmente as lacerações do PN além de treinar a mãe para o momento do parto (eu achei meio caro – R$580, mas muitas fisio e obstetra tem esse aparelho).
      Espero ter ajudado. Beijos.

      • Juliana

        Francy, muito obrigada pela ajuda! Vou em busca de informações sobre o aparelho e exercícios. Um abração!

      • Juliana

        Oi Luciana! Vou atrás de mais informações sobre esse aparelho. Muito obrigada pela ajuda!

  14. Nat

    Clarissa,
    que texto excelente! Uma amiga muuuito querida está grávida e já “ganhou” esse texto de presente :)
    Eu, infelizmente, como já relatei algumas vezes lá no blog(¹), não consegui ter normal por medo. Medo de trocar de GO (a minha era francamente cesarista), medo de ter complicações pois eu estava com colestase, medo da pressão alta (tive pré-eclâmpsia, pressão chegando a 22 x 18 qdo entrei em TP). Enfim, medo. Me arrependo horrores, mas também reconheço que era o que eu tinha para o momento. Como diz a Mari, do Viciados em Colo(²), me responsabilizo (até para recompensar meu filho), mas não me culpo mais (culpa não gera nada de bom).
    Seu texto deveria ser distribuído às mães e GOs por aí. Como moça que defendia PN durante a gravidez, também recebia zilhares de olhares tortos. Me chamaram de louca incontáveis vezes….

    (1): http://maederna.wordpress.com/2012/03/09/teste-de-violencia-obstetrica-dia-internacional-da-mulher-blogagem-coletiva/

    http://maederna.wordpress.com/2012/03/14/mais-uma-sobre-partos/

    (2): http://www.viciadosemcolo.blogspot.com

    bjos

  15. francyborges

    Parabéns pelo post! Aliás, adorei o blog e já li vários posts… :) Sou gestante, estou de 5 meses e sempre fui a favor do parto normal, por todos os benefícios e ainda por ser o natural (a natureza é sábia minha gente, o homem que costuma desdenhar de uma das suas funções mais básicas: o nascimento!). Moro em Maringá – PR e a escolha do obstetra foi feita levando o parto como principal consideração. Liguei para duas primas que são enfermeiras e me informei se “existia algum médico que não é cesarista”, ambas me informaram o mesmo médico, o qual até descobri dias atrás que dá cursos incentivando o parto normal (adoro ele!).
    Acho muito importante nos informarmos, e principalmente: parto normal não é um “conto de fadas” assim como a cesária não é. Há dor nos 2 casos, pode haver complicações em ambos os casos, e há casos favoráveis a uma ou outra intervenção. Por isso minha dica é essa: Se informem! Saibam tudo o que pode acontecer para não ser pega desprevenida e acharem que fizeram a opção errada.
    Juliana, a episiotomia às vezes é necessária, mas assim como a cesaria, não deve ser banalisada e seu uso deve ser feito apenas quando realmente necessário. Quando é realmente necessário? Quando a pele mostra sinais de ruptura. Nesses casos é melhor que o médico faça o corte em uma região onde não há nervos e não possa prejudicar suas funções mais tarde do que deixar a pele se romper prejudicando algum nervo ou região. Mas também não é nada demais, um corte pequeno com ponto absorvível que “sara” em 1 semana. Boa hora a todas, e a mim também! Como diz meu obstetra: “Parto normal é mais uma questão de coração do que de fisiologia. Toda mulher nasce preparada para dar a luz a seu filho de forma natural, basta que seu coração queira”.

    Beijos!

    • Teka

      Oi Francy!
      Estava lendo interessadíssima o post e os comentários, até que li o seu.
      Estou gravida de 3 meses e morando em Mga há 2 anos. Pelo desconhecimento da reputação dos médicos e hospitais na cidade e por não conhecer muitas mães (nem ter muitas amigas) por aqui, sinto-me totalmente perdida e me faltam referencias.
      Fiquei muito curiosa para saber qual seu médico e trocar algumas figurinhas com vc, pois gostei muito do que escreveu.
      Caso seja possível, deixo aqui meu mail: mtsela@gmail.com
      Teka

    • Juliana

      Oi Francy! Concordo com você que não se pode ser radical e banalizar nenhum dos dois partos. Estou no quinto mês de gravidez e sei que até lá, muitos fatores poderão ser decisivos na escolha do parto que terei. De qualquer forma é bom saber que existem formas de se ter um parto natural, e evitar traumas posteriores. Obrigada pelos esclarecimentos. Abraços!

    • Angela

      Ola. Gostaria de saber o nome desse medico, por favor

    • Ligia

      É o Dr. Weber?

  16. Tatiana MN

    Para somar à lista da Clarissa, um lugar 100% confiável para as gestantes de SP: Casa Moara, no Brooklin. Tive meu primeiro filho com a equipe deles e estou partindo para o segundo. Parto respeitoso, humanizado, caloroso…
    http://www.casamoara.com.br

    • Laís F

      Muito legal o espaço, também conheci um pouco do trabalho deles. Infelizmente não atendem convênio e o valor pode ser considerado alto para a maioria das mulheres. Mas vale a pena conhecer e ajustar pra caber no bolso. ;)

  17. Clarissa, Excelente post! É triste ver como a cesária é tão predominante na cultra brasileira que as pessoas a tomam por verdade inconteste. As mulheres brasileiras estão perdendo a capacidade de achar que são SIM capazes de dar a luz por via vaginal. É pena que muitas mulheres se escondem atrás da ‘verdade cultural’, acreditando em mitos e dogmas. A cada oportunidade que tenho relato minha experiência com o parto natural humanizado como sendo a experiência mais transformadora na minha vida e na de meu marido. Vale mencionar: no parto humanizado (em geral), há muito mais espaço para o marido. Se apenas os homens soubessem disso!! Fica a dica para um próximo posto! um beijo e parabéns pelo trabalho! Luciana

  18. Pingback: Porque não acredito quando me dizem: Vou “tentar” normal…: Mamadi - Mulher Mamãe

  19. Rafela Costa

    Perfeito!Tive uma cesárea desnecessária que me frustrou demais,meu sonho era passar por todo o trabalho de parto e dar a luz naturalmente,minha médica me deixou na mão na última hora,me faltou coragem e informação pra seguir em frente ,tive medo de ser submetida a mil intervenções e acabar na cesárea do mesmo jeito quando minha médica falou que era impossível parir um bebê de 4 kg,um absurdo!A decepção da cesárea me fez buscar muito mais informação pra me preparar para meu sonhado parto humanizado…
    Rafaela mãe do Matheus de 2 anos

    • Oi Rafaela Costa, Não é comum as mulheres reconhecerem que caíram em uma cesárea desnecessária, portanto, parabéns para você!! Esse passo já é ENORME, acredite! Infelizmente, muitos médicos dizem qualquer coisa para operar. Pois, como disse um amigo meu obstetra, aprender a fazer cesárea na faculdade é fácil, pois com 2 cirurgias vc já dá conta de fazer. É fácil, rápido e vc não perde as consultas do dia. Por isso é tão importante perguntar ao seu médico o índice de parto normal dele entre outras coisas também, como intervenções, indução etc. Na minha primeira gravidez, mudei de médico, pois ele não me convencia com as respostas. Tive então um ‘parto normal’ com um obstetra humanizado. Na segunda gravidez, com o mesmo profissional, tive um bebê de mais de 4kg por parto natural sem nenhuma intervenção. É, sim, possível e uma experiência incrível! Mas,lembrando, é preciso que o parto antes de ser vaginal ou por cesárea que seja HUMANIZADO, isto é, que respeite ao máximo a mãe e o bebê. um beijo e tudo de bom! Luciana

  20. Gênesis

    Sniff, acho q fui vítima do sistema, tive três cesáreas.

  21. Teka

    Adorei o post e o blog!!
    Estou gravida de 3 meses e tenho muitas, muitas duvidas em relação ao parto.
    Eu estou plenamente consciente de que a cesárea não deveria ser a primeira opção, também sei que não é tão fácil quanto pregam. A recuperação para a mulher é lenta, a facilidade é só para o obstetra.
    Por outro lado eu não tenho intenção de um parto 100% natural, confesso um pavor imenso das dores terríveis por horas a fio, não consigo entender por que uma mulher precisa passar por tanto sofrimento em pleno século XXI.
    Eu penso sim em parto normal, aquele com anestesia. Sei que é o melhor para a mãe e para o bebe, mas ainda faltam-me informações, referencias e principalmente convicção.
    Ler o post e os comentários de mulheres que já passaram por isto e defendem a tecnica foi muito importante pra mim.
    Eu nunca fui muito intima do universo da maternidade, só agora aos 35 anos decidi ter filhos… Sinto que preciso aprender tantas coisas pelas quais nunca me interessei…
    Ainda bem que a gestacao tem 9 meses, certo?
    Passarei sempre por aqui!!
    Teka

  22. Desculpe, não consegui ler todos os comentários dos leitores….mas PARABÉNS!!!!!!!
    Lúcida, direta e realista!
    Excelente texto, já compartilhei.
    Abraços
    Carla Andreucci Polido, obstetra.

  23. Magali

    ola meninas, apesar de nao ter nada contra uma cesarea bem indicada ou mesmo por escolha da MÃE, tive minha filha de parto normal novembro passado. Pedi epidural e nao me arrependo, o PN sem dor foi uma experiencia maravilhosa!! Nao fiz episio, mas tive laceração, nada de mais. Foi tranquilo, fiquei c um pouco de incontinencia urinaria, mas c os exercicios já melhorou 90%. A recuperação pos-parto foi maravilhosa, 2h depois do parto eu ja estava de pé tomando banho (isso pq tomei anestesia…. );

    bjinhus e bom parto p vcs!!

  24. Juliana Rosa

    Realmente é isso msm! Sempre quis parto normal e durante a gestação, fazendo aquele curso de gestantes me deparei com uma equipe médica que me deixou bem assustada. Falavam de anestesia, mãe em segundo plano e os cambau…hospital privado (convenio). Fugi disso, com ajuda de uma prima enfermeira obstetricia fui ter minha bb no Caism da Unicamp e a experiência foi inesquecível!!! A minha melhor escolha.

  25. DANIELLE LIMA

    AMEI. ISSO ACONTECEU COM MINHA IRMÃ. ELA MUDOU DE GINECOLOGISTA DE ANOS, PORQUE NÃO FAZIA PARTO NORMAL, E FOI PARA UMA QUE DEU CERTEZA DE ELA TER PARTO NORMAL, NO FINAL DA GESTAÇÃO, JÁ MUDOU DE CONVERSA DIZENDO QUE O BEBÊ ERA MUITO GRANDE E TAL. NO DIA DO PARTO CHEGOU LÁ AS PRESSAS DIZENDO QUE TERIA QUE SER CESÁRIA, POIS QUE SE FOSSE ESPERAR O BEBÊ IRIA SOFRER, E A FILHA DELA LIGANDO DE 5 EM 5 MINUTOS PRA ELA, ISSO ME IRRITOU
    ENFIM, MUITOS VÃO ATRÁS DE DINHEIRO E NÃO DO QUE A MULHER REALMENTE QUER. GRAÇAS À DEUS MINHA GINECOLOGISTA, FEZ O PARTO NORMAL EM MIM E INDICO PARA TODAS. PARTO NORMAL.

  26. Carol Helena

    Só não usaria o termo “médico humanizado” na última dica. Muitos médicos e hospitais se dizem humanizados, colocam uma Enia pra tocar e fazem a cesárea a meia luz! rs
    Parece piada mas as globais estão aí pra contar de suas cesáreas humanizadas por falta de dilatação com “médico humanizado”.

  27. Áurea

    eu pequei em ir muito cedo pro hospital… e ganhei uma desnecesárea…

  28. Beexaaaa! A ultima dica pra mim foi a mais importante… eu quase acabei na faca…. e penso… talvez se eu tivesse ficado mais um bucadim em casa num teria tomando nem a mardita epidural. ;)

  29. Oba! Que post legal, Clarissa…acabo de indicá-lo em um desabafo que fiz pq complementa bastante minha experiência de uma cesárea desnecessária e da busca pelo parto normal, segue o link: http://blogdodesabafodemae.blogspot.com.br/2012/03/voce-deseja-ter-um-parto-normal-entao.html

  30. Macarena Escalante

    Oiiii Clarissa, adorei.
    Desculpe a ignorância, na dica 7, como faço para saber que estou com 7 cm de dilatação? Obrigada, Macarena.

    • Olá, Macarena. Olha, não peça descuplas! Realmente, não tem como saber que você está com 7 cm de dilatação… É difícil saber quando o trabalho de parto “engrenou” e está na fase ativa, e é por isso que digo que essa dica é bom seguir junto com a sugestão de contratar uma doula. Mas tem gente que diz que a mulher entrou em trabalho de parto ativo quando estiver tendo dificuldades em falar durante uma contração – sinal de que elas estão intensas. Obrigada pelo comentário! Bjo, Clarissa

  31. ebo

    que lindo! amei os comentários a favor do parto normal.
    parabens p todas as mamães corajosas.

  32. Roberta

    Amei o post, q vi no face de uma amiga enfermeira, só acho interessante ressaltar q às vezes mesmo todos (gestante + médico) querendo acaba-se numa cesárea de urgência, q foi o meu caso! Cheguei em trabalho de parto ativo no hospital 6,5cm de dilatação já e tudo corria bem, a dor era bem suportável e tudo se encaminhava p o q queria: parto normal sem medicação qndo eu já com quase 9cm de dilatação o bebe teve braquicardia, seus batimentos foram p menos de 70 por minuto e não subiram mais…. Se monitorou p uns minutos, achando q tinha saído do lugar o medidor, mas não. Acabei numa cesárea de urgência, aquele corre corre e o meu filho nasceu bem roxinho, mas tudo certo! Já na recuperação mamando feito terneiro… To esperando o segundo e espero q esse não me pregue a mesma peça!!! Parto normal aqui vou eu de novo!!!

  33. Oh Clarissa, sua dicas foram de muitaaaa ajuda!
    Estou lutando pelo meu PN, confesso que esta difícil!
    Não tenho apoio de quase ninguem, ainda bem que marido dá mô apoio!
    O médico fez um PN em uma amiga, mas ele meio que não fala mt no assunto!
    Aqui em Teresina Piauí não conheço quase ninguem e ate hoje não achei uma Doula ou um grupo que eu possa obter ajuda, orientação e apoio!

    Espero em Deus que dê tudo certo e que minha Ana Julia venha com a PAz do Senhor!

    Se puder compartilhar sempre essas otimas informações ajudaria muito!

  34. Val

    Ola pessoal. Fiquei completamente chocada com este post e outras estatisticas que tenho lido a respeito do tema. Tenho uma filha de 2anos e meio e estou agora na minha 14a semana de gravidez. Moro na Inglaterra e vivi fora do Brasil quase toda minha vida. Em 2009, minha mae veio me visitar e ficar comigo para me ‘ajudar’ quando tive minha filha. So agora comecei a entender a atitude dela e as perguntas que todos meus amigos e familiares no Brasil me fizeram na epoca – se o meu parto foi cesaria (em primeiro lugar) ou natural.(!) Na minha experiencia de adulta, com minhas amigas que tiveram filhos e amigas de amigas, cesariana e feita so em casos de emergencia. A mentalidade e atitude aqui na Inglaterra em torno da gravidez e do parto, e que a mae tem todo controle sob seu corpo e e encorajada a ser ativa durante a gravidez e nos primeiros momentos do parto. Nas classes pre-natais (oferecidas em todos hospitais do Governo, de graca), eles nos recomendam a ficar em casa quanto mais tempo aguentar quando entrar em trabalho de parto, e evitar a viagem p/ o hospital cedo demais, pois isto tende a ‘atrasar’ o parto – o ambiente clinico e nao aconchegante faz com que a mae fique mais nervosa, o que em torno gera o medo – um ingrediente muito perigoso para quem esta prestes a parir! Inclusive, muitos hospitais mandan as gestantes de volta p/ casa se estam com menos de 3cm de dilatacao e pedem p/ voltar mais tarde… Coisa que nenhuma gestante quer fazer -estar pra la e pra ca numa hora tao delicada, entao melhor obedecer mesmo e aguentar em casa! A maioria dos partos aqui sao feitos por parteiras (na minha opniao so mulheres mesmo para entender o corpo de outras mulheres), e o Obstetra so e chamado em casos de complicacoes ou emergencias. Tenho duas amigas que optaram por terem seus bebes em casa (com piscina inflavel e duas parteiras presentes, tudo fornecidos por hospitais do governo). Na 34a semana de gestacao, vc tem que entregar seu ‘plano de parto’ por escrito para sua parteira, que te acompanha durante toda a gravidez, indicando como e que vc deseja que ocorra tudo no dia do nascimento do seu filho, se quer anestesia (epidural), gas (oxido nitroso e oxigenio), parto na agua, etc. E claro que parto de verdade nao se planeja… O bebe vem quando bem quiser e natureza que manda. Meu plano indicava que queria tudo o mais natural possivel e intervencao so se fosse necessario. Minhas primeiras 10 horas de parto foram somente a base de gas. Infelizmente tive que partir para drogas mais fortes pois minhas contracoes so duravam 20 segundos quando deveriam durar uns 40. Depois de umas 30 e poucas horas (!) tivemos a Hannah, super saldavel e muito linda :-). Nao diria que foi o parto ‘dos meus sonhos’ mas o corpo e que manda e devemos sempre confiar nele, sua habilidade e resiliencia. E a respeito de dores e o que tenho lido a respeito das mulheres com medo de dores no parto… Dor nao mata, e se fosse por isso a humanidade estaria em extincao. A vontade de conhecer seu filho/a e trazerles ao mundo e suficiente para superar tudo!

    Espero nao ter ofendido a ninguem com meus comentarios. Busco apenas a trocar informacoes e diferencas culturais a respeito do tema. E agradeco imenso a dona deste blog por postado aqui tao abertamente.

    Abracos!

    • Fico impressionada quando vejo depoimento de pessoas de fora do Brasil e percebo o quanto estamos atrasadas com relação a gestação e parto aqui no Brasil. É muito difícil optar pelo parto normal, e se vc escolhe por ele, como foi meu caso, acaba sofrendo pressão de todos para desistir na última hora. Troquei de obstetra faltando poucos dias para minha filha nascer pois entrei em trabalho de parto e ele queria inibir para esperar o momento certo para a cesariana, acredita! Minha filha nasceu de 36 semanas , parto normal com 3,115kg e 50 cm, perfeita! Mas foi difícil achar um obstetra que entendesse minha decisão de parto normal. Tenho certeza que cada dia mais as mães tem se conscientizando e estamos lutando para mudar esse quadro aqui no Brasil.

      Abraços para todas que leem esse blog!

      • Si

        Thais gostei do seu comentário, mas vejo a questão dos outros países sobre outro foco….será realmente que no Brasil as mulheres estão atrasadas em escolher o tipo de parto..ou será que são a mulheres de outros paises que estão atrasadas…pense bem..não vejo nada de mais em escolher o parto..é sensato.

      • Simone, ri muito com a sua colocação e especialmente com o uso da palavra “sensato”. Infelizmente, não há nada avançado ou sensato no modelo de assistência ao parto no Brasil. Inclusive os números de mortalidade materna no Brasil em comparação a outros países comprovam o nosso atraso. Também há estudos que mostram que a grande maioria das brasileiras opta pelo parto normal, pelo menos no início do pré-natal, antes de serem bombardeadas por todos os lados (médicos, parentes, amigos) com informações equivocadas, mitos e táticas de medo. Outra coisa a se pensar é que o parto é um evento que acontece não só para a mãe, mas para o bebê. E o parto normal é melhor também para o bebê. Ou melhor, a cesariana quando feita sem indicação real e, especialmente, quando realizada fora do trabalho de parto é PREJUDICIAL ao bebê. Quanto ao comentário do “pense bem”, olha, acredita: eu penso muito. E penso bem. Infelizmente, não se pode dizer o mesmo de grande parte da população desse país.

  35. Carol Andrian

    francyborges, preciso da sua ajuda!! EStou procurando um médico assim, que entenda desse assunto que para os outros parece tão surreal…EStou em Maringá e não consigo referência nenhuma de médico a favor do parto humanizado, algum hospital que tenha a infra-estrutura necessária…Precisamos disso com urgência!!!!
    Carols..

  36. Sueli

    Muito legal esse post…estou gravida de 21 semanas e quero ter parto normal sim rs mas não sabia nem onde procurar maiores informações e médicos que pudessem me ajudar com isso, uma vez que como vc disse hj em dia faz -se tudo para que os partos sejam cesaria…ja estou entrando neste momento no site do GAMA e espero conseguir alcançar meu objetivo…daqui a aproximadamente 19 semanas volto para relatar se consegui =]. Um beijão! Deus abençoe!!

  37. Priscilla Bezerra

    Clarissa, estou maravilhada com a sua expressividade: clara, objetiva, sem meias palavras. Amei. Estou grávida de 21 semanas e tenho chorado bastante porque não consigo resolver como vou parir. Quer dizer, resolvido por mim e meu companheiro já está desde antes de eu engravidar, mas encontrar profissionais para isso é que está sendo dose. Eu concordo e quero tudo o que vc cita, porém, infelizmente, há um pequeno detalhe sobre tudo isso que nunca é discutido, a grana, os valores! Parece que só a classe média e a classe média alta tem o direito a um parto humanizado, domiciliar ou hospitalar, pois os valores são absurdos. A rede pública é pouco confiável e onde há indicações acaba por oferecer um atendimento bastante restrito, como a Casa de Parto David Capistrano Filho, em Realengo, que só atende gestantes que residam no entorno da casa. Enfim, tem sido dificílimo para mim, resolver esta pendenga e, sinceramente, não sei mais o que faço, nem a quem recorro, mas estamos aí, vou continuar na batalha e sei que minha frustração será tão grande quanto a minha luta, caso não consiga o que atendimento que quero.

    Abraço.

    • Priscilla, obrigada pelos elogios e parabéns por estar correndo atrás do seu sonho (e seu direito) de ter um parto digno. Quero te ajudar, se possível. Eu te mandei um email. Dá uma olhadinha. Bjo, Clarissa

  38. Priscilla Bezerra

    Ah, achei muito bacana também a sua última dica rs, pois eu já havia dito ao meu companheiro que só iria para o hospital quando estivesse coroando e ele ficou louco comigo (olha que eu ainda não tinha lido nada sobre isso, heim!). No meu caso, gostaria de evitar além da cesárea, a episiotomia.

  39. Tatiana Coelho

    Olá, adorei o texto. Sou mãe! Tive uma filha, hoje com 10 anos, e um menino (com 4 anos) que nasceram de parto normal. Não gosto da ideia de ver o corpo cortado e a mãe não participando do momento de dar a luz. Meus dois partos foram maravilhosos, meus filhos são saudáveis… Agora estou grávida de gêmeos univitelinos e quero mais informações, porque ouço de todo mundo que bebês na mesma bolsa é muito perigoso o parto normal!!! Ainda sim quero ter meu parto normal. Se puder me indicar leituras e informações sobre o parto de gêmeos monoxmono, eu agradeço!!!

  40. PAULA FREITAS

    Olá Clarissa!
    Adorei o texto! Estou com 28 semanas de gestação e na busca de um parto normal humanizado. Aqui em Niterói dei a “sorte” de conhecer uma doula maravilhosa, Cátia Carvalho, que está me auxiliando para concretizar esse desejo/sonho/direito. Suas palavras só legitimaram minha escolha. OBRIGADA!

  41. Edirlainy

    Olá estou grávida de semanas e conversei com meu médico. Espliquei a ele que quero te parto normal, entretanto disse que é a favor também, porém logo veio com umas conversas que são contraditórias a sua posição.
    “Interrompo a gravidez com semanas”
    “O bebe não pode pesar mais que 3 kg”, nem a mãe engordar.
    Ficou fazendo propaganda de uma maternidade aqui de SP que ao meu ponto de vista parece mais um hotel que hospital. Dizia que toda família pode assistir o parto.
    É a sociedade do espetáculo, não quero compartilhar com isso. Se for o caso vou para o SUS.
    Di

    • Edirlainy, obrigada por comentar. Tudo indica que esse seu médico está doido para encontrar uma desculpa para te operar. Eu recomendo fortemente que você procure um grupo de apoio ao parto normal, como o GAMA aí de SP, que tem encontros semanais às quintas. Você vai se sentira acolhida e poderá trocar experiências com outras mulheres sobre profissionais, maternidades, casas de parto… Enfim, só terá a ganhar com isso, prometo. Segue o link: http://www.maternidadeativa.com.br/
      Boa sorte e abraço, Clarissa

  42. Adorei seu post ,seu blog é mesmo muito interessante, passei por isso durante a gestação da minha filha que hoje tem 3 anos, troquei de médico faltando 2 semanas para ela nascer, mas valeu a pena ela nasceu de parto normal na hora que ela decidiu…rsrs…Visita o meu blog tambem: http://minhaprofissaomae.blogspot.com.br/ , faz pouco tempo que abri mas tenho me esforçado para buscar cada vez mais informações sobre partos.
    Um abraço, Thais!!

  43. Patrícia

    Suuper legais as dicas!
    Ainda bem q já sigo todas!
    Estou grávida novamente… só a espera da hora!
    Passei pelas 2 experiências, e apesar da cesárea ser infinitamente mais fácil e indolor, ainda prefiro o natural.
    Juan Marco foi d parto normal. Nasceu com 4,300kg. Hj tem 12 anos…
    Nalú (abreviação d Ana Luísa) infelizmente foi cesárea, pq chegaram 42 semanas e nada… Ela nasceu com 4,350kg. Hj tem 1 ano e 8 meses.
    Será q Bruque (abreviação d Bruno Henrique) nascerá com 4,400kg?! rs
    Tomara q tudo corra bem e eu possa tê-lo naturalmente!
    Torcendo muito, no entanto é chato saber q apesar da preferência da mãe, existem os elementos complicadores q nem sempre tornam possível o parto normal…
    Óbvio q acredito q isso seja para uma minoria d casos… só q infelizmente ninguém está livre d fazer parte dessa minoria…
    Só me resta orar e torcer muito pra q dê certo dessa vez!

  44. Ana

    Desde que comecei a me entender por mulher. Tenho entrado em muito sites que defende isso ou aquilo em relação ao parto, estamos constantemente sendo bombardeados por informações que se dizem ser únicas e donas da verdade. Vejo que a mulher ainda tem um longo caminho a percorrer em busca de sua liberdade de escolha e não ser induzida a fazer algo por que o governo ou alguma entidade do parto “humanizado” preconiza para a mulher contemporânea ….hora “dizem” você não e medico ou entendida no assunto para defender isso ou aquilo sobre parto falam…você não deve pensar, deve somente aceitar sem questionar…qual a máxima da questão: questionar sempre em relação aos dois tipos de parto. Tanto normal como cesária e fazer uma escolha consciente

  45. miriã

    gostei do post….estou de 23 semanas e quero que meu parto seja normal…meu primeiro baby não estou preocupada e nem anciosa com o parto..apesar de ser meu primeiro baby estou bem tranquuila Se Deus quiser ocorrerá tudo certo

    • Querida Miriã, vou torcer para que você consiga seu parto normal, mas, na atual conjuntura, não recomendo que você simplesmente coloque tudo nas mãos de Deus, não. É melhor você contratar a equipe certa (que acredite no parto normal e no protagonismo da mulher) ou buscar uma Casa de Parto da rede pública, localizar um grupo de apoio na sua cidade para conhecer outras grávidas ou mães que já passaram pela experiência e aí sim confiar numa força superior. Não dá para confiar cegamente no médico “bonzinho” do convênio, que só faz cesárea, e depois colocar a culpa no Todo Poderoso. E eu só estou dizendo isso porque conheço várias mulheres que não conseguiram seus partos porque não tiveram coragem nem apoio para sair da zona de conforto, mas que acreditam que “foi como Deus quis” – mas não foi, né? Foi como o médico quis (ou como ela mesma quis mas não foi capaz de assumir). Boa sorte e volte sempre aqui! Beijo, Clarissa

  46. gabriela

    olha e bem assim mesmo , tive meu pn a 3 meses de uma bebe de 4kg e nao me arrependo de nada , a minha medica queria marcar o pc com 37 semanas eu disse NAOOOOOOO , preferi passar com medico plantonista do hospital e tive minha bebe com 40 seemanas , maravilhosooooo, inesplicavel , foi meu 3 pn , e amei tds … se pretendesse ter mais filhos seria normal de novo , eu e minha filha participamos ativamente do parto ….

    • Eu gostaria muito de ter lido esse post antes de parir. Fiquei 30 horas com contrações intensas, não tive dilatação, estouraram minha bolsa, e eu cansada, não tive forças pra negar uma cesárea. E o médico que fez meu pré-natal nem deu sinal de vida…

    • Lidiane

      Olá, Gabriela
      Estou passando por uma situação muito parecida com a que você descreveu…estou com 38 semanas e a médica já marcou a cesárea, mesmo sem meu consentimento e já disse que não quero mas ela cria mil motivos que não existem pra desistir do PN, vou acabar tendo que passar com o médico plantonista, você teve em qual hospital??

  47. Danielle

    Meninas, acabei de ler o post e TODOS os comentários. Desde que me entendo como mulher penso em PN como minha primeira opção para parir. Estou casada a 3 anos e agora vamos finalmente tentar o baby. Tenho acompanhado sites, programas, foruns e conversado com muitos médicos. Numa conversa informal com minha (ex) GO, ela deixou claro que NÃO faz PN (acho que ela deixou escapar! Sou esteticista e estava atendendo ela. Possivelmente esqueceu que eu era sua paciente rsrs). Me disse claramente que “não vai esperar mulher resolver parir”, “não quer sair de madrugada para atender mulher em trabalho de parto”, “o plano paga muuuito menos por PN”.
    Fique CHO-CA-DA!!!! Nesse momento eu decidi mudar e estou buscando indicações de GO favoráveis ao parto normal e quem sabe, ao natural.
    No Brasil qq coisa é motivo para indicação a cesárea: cordão umbilical no pescoço, bebê grande, blá blá blá. Sempre assisto a programas sobre partos (realizados nos EUA ou Inglaterra) e nada disso é impeditivo.
    Acho que todas temos o direito de escolher por PN ou cesárea. Cada caso é um caso e obviamente em alguns casos a cesárea é necessária. Infelizmente hoje não podemos confiar plenamente em qq médico, já que eles preferem fazer a cesárea.
    Outra coisa muito questionável é epsiotomia de rotina. Não sou médica, não sou dona da verdade, mas se há possibilidade de tentar o parto sem essas intervenções, porque fazê-las?
    Enfim, esse assunto dá horas de conversa (e comentários) !
    Estarei sempre por aqui e quem sabe em breve tenho novidades para contar!!!
    Bjus para todas as mamis !

    • Danielle, obrigada pelo comentário lúcido e esperançoso. Acho que você tem tudo para conseguir o seu parto – informação e consciência para buscar uma equipe que te respeitará nesse momento tão delicado e mágico. Estou torcendo por você. Se você tem Facebook, sugiro que você entre no grupo “Cesárea? Não, obrigada!”, onde você poderá falar um pouco sobre você, sua cidade e certamente alguém poderá te passar o caminho das pedras. Boa sorte e espero te ver por lá. Beijo, Clarissa

  48. Danielle

    Obrigada Clarissa! Já solicitei minha participação no Grupo, no Face.
    Apenas corrigindo: “Estou casada HÁ 3 anos” (comi o “H”, rsrs)
    Bjs

  49. jackson&jackellyne

    oi meninas bom eu tenho 2 filhos minha filha mais velha a Sophya tem 2 anos e eu tive ela d parto cezarea por medo do pn mas me arrepend mto pq nao pd cuida dla e sofri orrores na recuperacao fora a dor,ja meu segundo filho vyctor que nasceu dia 02/02 de um parto 100% natural e eu levei apenas 6 pontinhos hj ele ta com 11 dias e meus pontos ja cairam tdos e eu to totalmente recuperada,e cuido dle sozinha,se fosse p mim ter outro bebe eu teria pn

    obs: eu fikei so 3 horas em tp ativo.

  50. Amanda Ortega

    Olá à todas.
    Penso que a as coisas como vem ocorrendo no Brasil (excesso de cesarianas) é um verdadeiro crime, passivo até de uma intervenção dos órgãos de saúde competentes.
    Desde que soube que estava grávida, o parto normal foi tratado por mim como prioridade, nunca cogitei um cesariana. Mas , a médica do convênio foi categórica : meu filho era muito grande , e o parto normal seria muito sofrimento para ambos- menos para o bolso dela, que queria cerca de 4 mil reais para fazer o parto cesárea- além disso, segundo ela, parto normal não se usa mais, é coisa de mulher pobre.Me vi diante de uma comerciante , onde meu parto era o produto desejado.
    Não engoli uma palavra sequer do que esta “médica- comerciante” me disse, e no dia provável do meu parto peguei minha mala e me dirigi à um hospital público,(fui chamada de louca, vejam só) onde ao contrário dos particulares , me garantiram um parto normal e seguro. Tudo correu super bem, fui bem tratada (tive direito até a doula, vejam só!), e pude ter um parto natural e saudável sem complicações. Meu filho nasceu pesando 3,140 kg e 50 cm, pude sair carregando-o no colo, dei seu primeiro banho e o amamentei tranquilamente.
    Infelizmente uma moça que ficou no mesmo quarto que eu , não conseguiu o parto normal (talvez em função da idade) e pude ver que coisa horrível e medonha é a cesariana, como este procedimento judia da mulher.
    E , ao contrário do que pensam muitos homens que proíbem suas mulheres de terem normal, alegando que ficarão largas,, aí vai uma dica: O médico costura tão bem, que voltamos a ser virgens, kkk.Meu marido quase foi agradecer ao médico pelo feito, kkk.
    Mas, brincadeiras à parte, posso dizer que hoje sou uma fiel defensora do parto normal, pois é de fato o melhor para nós mulheres. Pode ser demorado e até dolorido, mas poder sair da maternidade carregando seu filho nos braços, não tem preço.

  51. Andreza

    Quando fiquei grávida li muito sobre parto cesariana e parto normal, assisti cursos de uma enfermeira americana sobre parto normal e decidi que queria parto normal. Conversei com obstetra e me posicionei e perguntei qual a opiniao dele. Ele falou, “sou a favor do parto normal se for normal, se tiver que forçar é melhor não”. Fiquei na dúvida, ele percebeu e disse: “minha esposa tb é obstetra e nossos 3 filhos nasceram de parto normal, sou a favor”. Entao perguntei, quanto partos normais você faz por mês, ele disse:”muito poucos porque as gestantes não querem, tem medo, mesmo as que dizem querer o parto normal na hora H acabam desistindo e me pedindo cesária, eu faço”. Depois disso fiquei muito dererminada em seguir em frente com meu parto normal. Minha bolsa estourou com 36 semanas e depois de 4h entrei em trabalho de parto. Estava tranquila, segura e confiante. 5h horas depois minha filha nasceu de parto normal, sem oxitocina, sem episiotomia! Foi lindo! minha mãe e meu marido puderam ficar na sala e assistir o parto. Mal posso esperar para engravidar de novo e ter meu outro filho também de parto normal. Fala informaçao para as mulheres, elas tem medo pela ignorancia.

    • Minha filha nasceu semana passada dia 05/03/13 de parto totalmente natural, na banheira, e foi a melhor experiencia da minha vida. Eu comecei a sentir contração as 1:30 hs da manhã, esperei meu marido acordar as 7:00 hs, as 9 hs fomos ao médico, que me mandou voltar pra casa que eu não teria bebe naquele dia, minha doula a mesma coisa, me disse pra ir ao shopping, ou fazer as unhas, resolvi desencanar e ir fazer as unhas, ( ah! Importante: a moça que me fez as unhas me contou que seu filho nasceu com a costela e clavícula quebrada por causa de um fórceps) terminei por volta do meio dia, cheguei em casa e deitei pra me descansar, pois não dormi a noite. Quando foi 12:30 hs a bolsa estourou e as contrações começaram a vir de 5 em 5 minutos, ainda fiquei uma hora debaixo do chuveiro, cheguei ao hospital as 13:30 já com contrações de 3 em 3 minutos, e 4 cm de dilatação. As 16: 20 da tarde minha filha nasceu. Em nenhum momento eu fiquei preocupada com cordão, ou com histórias cabulosas que ouvi durante a gravidez horas antes do meu parto. Endosso Andreza o que falta pra mulheres é informação. Infelizmente por falta de informação as mulheres perdem de viver o melhor momento da vida delas. E não é uma dor que dói, a dor da morte como algumas dizem, ao contrario, é a dor da vida, Como disse meu marido: não me preocupei, porque você estava sentindo dor, mas não tava sofrendo. É isso.

      • Que maravilha, Hellen! Obrigada por voltar aqui e compartilhar seu relato. Espero que você inspire muitas mulheres a confiarem em seus corpos e respeitarem a fisiologia do parto com seu exemplo. Abraço, Clarissa.

  52. Adriana Saha

    Fiz quase tudo que está neste post, mas para mim não rolou. 10 cm de dilatação, contrações corretas, mas meu bebê, que veio um mês prematuro, não estava bem encaixado e não desceu. Mesmo assim não me arrependo da minha escolha. Ter entrado em trabalho de parto naturalmente fez uma diferença enorme na minha recuperação. No dia que cheguei em casa do hospital ainda encarei uma faxinha leve em casa. Mais que isso, meu filho mamou no instante que chegou ao quarto porque meu leite já tinha descido

  53. Pingback: Quer Dizer Que Você Quer Parto Normal? | Bibliografia da Doula

  54. Hahaha, não se preocupe se uma leitora tiver o filho no taxi. Minha avó passou por isso no parto do meu pai e deu tudo certo ;)

  55. Ana Luiza Heise

    Olá,
    Acho muito legal incentivar o parto normal, mas duro é quando vc tem dilatação total, uma medica favorável ao tal parto e o bebe tem cpmplicaçao, bradicardia , e a cesariana é indicada de forma emergencial em um stress danado!!!! Por isso te digo, viva a cesaria pq foi a minha opção para a segunda criança, a final tiveram 1 ano e meio de diferença, e não havia outra opção. Mas com certeza se soubesse isso antes não teria em hipótese alguma tentado parto normal!

  56. Fer

    Minha filha de 22 meses nasceu de parto normal, com 37 semanas, porque perdi liquido por 3 dias sem que tomassem uma atitude, mesmo com os meus avisos de aquilo era mesmo liquido. Até hoje não me recuperei do trauma de ter feito a cirurgia. Agora estou gravida de novo, meu filho nascerá 2 anos e 2 meses depois da minha filha. Posso ter parto normal? Qual o risco? Socorro.

    • Claro que pode, Fer! Procure um grupo de apoio ao parto normal em sua cidade! Não é muito fácil encontrar um profissional que faça, porque muitos médicos preferem a cesárea por conveniência e por estarem defasados (acham que “uma vez cesárea, sempre cesárea”- mesmo que as evidências científicas apontem que é seguro sim ter parto normal após cesárea). No grupo de apoio, vc encontrará apoio e informações para conseguir. Veja o link: http://partodoprincipio.blogspot.com.br/2009/11/lista-de-gapps.html
      Boa sorte e conte comigo! Abraço, Clarissa

  57. Paula Regina do Nascimento Vargas

    Poxa, depois de ler muitos comentários aqui, vejo como fui feliz nos meus 3 partos. No parto do meu primeiro filho que nasceu com 33 semanas, eu tinha 21 anos tive perda do tampão e contrações e cheguei ao hospital com dilatação, fiquei internada por 14 dias e fiz uma cerclagem para o bebê não nascer, mas uma hora depois a bolsa rompeu e quando comecei a sentir as contrações, 2 horas depois ele nasceu de parto normal sem anestesia , minha recuperação foi ótima. O meu 2° filho nasceu de 34 semanas (a bolsa também rompeu) e 2 horas depois ele nasceu de parto normal com anestesia, tive reação a anestesia ( nada grave) e recuperação também foi ótima. Meu 3° filho (e mais uma vez a bolsa rompeu, fui para o hospital no dia anterior a eleição presidencial e tive meu filho no dia da eleição) ele nasceu com 31 semanas de cesárea pois apesar da bolsa ter rompido há 24 hs eu não tinha contrações mesmo com minha GO tentando induzi-las (elas eram fracas e não tinham um ritmo), portanto optamos pela cesárea. recuperação? ótima também, algumas horas após os partos eu já estava andando e como todos os três são prematuros nunca tive um resguardo. andava o tempo todo do quarto para uti ou de casa para uti depois de ter tido alta.( eles sempre ficavam no hospital) Portanto cheguei a uma conclusão: o hospital que eles nasceram (o mesmo nos 3 partos) é muito bom, e tive 2 GO maravilhosas (o 1° parto foi com uma e os outros 2 com outra) que desde a primeira consulta levaram em conta a minha opinião e me apoiaram o tempo todo. E nos dois últimos partos eles nasceram no fim de semana! Então nos 3 tipos de parto não tenho o que reclamar. Sempre o que for melhor para a mãe e o bebê, isso pra mim é o parto humanizado, pois nunca poderia ter meus filhos em casa ou sem assistência de médicos para cuidarem dos meus pimpolhos, que hoje estão lindos e fortes. A verdade é procurem profissionais que se importem com vocês e não com eles próprios. beijos.

  58. Ingrit

    Eu quero parto normal… Pq as pessoas me olham como se eu fosse uma monstra quando digo isso? Estou de 40 semanas, acabei de ficar orfã de médica, pq ela não aceitou a minha atitude de esperar até as 42 semanas… “Vc tem plano de saúde, pode fazer cesarea quando quiser!! Deixa de ser burra!!” – ela disse. Fui no hospital particular, onde o índice de cesarea é 90%, cansada, esgotada de enfrentar amigos, familiares que estão me pressionando por fazer a cesarea e aberta a fazer a cirurgia mesmo. Do anestesista, aos 2 médicos de plantão que me examinaram, foram unânimes: não, mãe, vc tem todas as condições de esperar um parto normal. Pensa em vc, na sua recuperação, no seu bebê, vc já tem dilatação, é questão de dias, ou horas!!!! Aguenta firme mãe, vc vai sair daqui com parto normal e nós vamos te ajudar sim!!!
    Explodi de felicidade, encontrar profissionais assim em um ambiente cesarista???? Nem tudo está perdido.
    Eu quero e vou conseguir o meu parto normal.

    • Maria

      Ingrit, você está certa, Parto normal é a melhor opção. Claro que dói e dói muito, mas é uma dor suportável. Eu tive 2 filhos de parto normal.O primeiro foi com forceps de alívio. O segundo foi totalmente normal embora tenha sido um parto difícil, pois tenho uma passagem muito estreita. Insista pelo parto normal, será melhor para você e para o bebê.

  59. Carol

    Bem, nasci de parto normal e não havia absolutamente nenhuma contra-indicação para a realização desse tipo de parto. Mesmo assim tive anoxia neonatal, pois o parto foi demorado. Nasci roxa e não chorei, por pouco não fiquei com sequelas.
    Minha tia trabalha em hospital e conhece diversos casos de crianças que tiveram anoxia, nascidas de parto normal.
    Então não é todo esse “paraíso” que as pessoas afirmam. Sou bastante alérgica, o que me leva a questionar as tais “evidências científicas”. Sinceramente, alguém consegue distinguir, pelas condições de saúde do indivíduo, quem nasceu de PN ou cesárea? Isso não seria um indício de que não faz diferença?
    Pensem nas pesquisas científicas atuais, muitas se contradizem, a ciência não é perfeita, nem a natureza é.
    Mesmo assim ainda prefiro o Parto Normal, quando não há contra indicações, claro.

  60. Marina

    Sinceramente, sou muito nova pra pensar em ter filhos ainda, mas achei muito interessante ver esse outro ponto de vista. Pois eu sempre pensei que a cesária seria algo mais agradável.Depois de ler alguns relatos entendi que o parto normal pode ser realmente uma experiencia incrível. Mas eu ainda acho que não há certo ou errado, cabe a mulher escolher o lhe parece melhor. O psicológico é que manda nessas horas, não ainda ela querer fazer normal mas no fundo estar morrendo de medo ou despreparada. E também percebi que é necessária atenção redobrada pra quem deseja ter o filho de forma natural, pois se não for feito direito pode causar traumas à mãe. Eu não acho que não se deve pensar na saúde do bebê, mas também não acho certo só pensar no bebê em detrimento da mulher.
    Quando eu for mais velha e resolver ter filhos, penso seriamente em fazer parto normal, mas não acho que cesárea é esse bicho de sete cabeças nem ficaria brava, talvez um pouco decepcionada, se não fosse possível fazer de forma natural.
    Queria dizer também que parto normal com anestesia e gás não é tão natural assim..hahahah…mas achei legal, não sabia que era possível. Uma coisa que já ouvi falar é que o ideal seria fazer um parto vertical, pois assim o bebê sai mais fácil, isso é real?
    Gostaria de saber se a vagina volta ao seu tamanho normal depois do parto e se tem alguma maneira de menos dolorosa (sem uso de medicamentos) para a mulher fazer o parto normal. Obrigada!
    Muito interessante sua postagem! Só se lembre que cada um tem sua opinião, não há certo e errado, as pessoas são donas do próprio corpo e direito delas decidir o que acham melhor! Abraços!

  61. Juli

    Gostaria de deixar minha opinião também.
    Antes de mais nada, Clarissa escreve muito bem, parabéns, e suas dicas para quem quer um parto Normal são excepcionais!
    Estou há 2 semanas do meu segundo parto, o primeiro foi menino agora é uma menina que vem por ai…
    Meu medico desde o primeiro bebe é o mesmo, ele sempre está tentando me convencer a fazer o tal parto normal…
    A cada consulta, refaz a pergunta:”- você vai tentar o normal?”, não é porque ele é louco ou porque tem memoria curta… eu sei que ele está me questionando, me pondo a pensar…

    A primeira vez que ele me fez essa pergunta, dei uma resposta de uma garota de 15 anos sem experiencia alguma de vida: “cesária logico, eu que não quero sentir dor”.
    Dai veio toda a explicação medica a respeito do normal e da cesária.
    Depois pesquisei muito na internet.
    Fiz cesárea do primeiro, pois estava no tempo e o bonitinho nada de encaixar, ficou sentado de costas as 2 ultimas semanas… não teve acordo.
    Tenho plena consciência que meu medo, também teve participação nesse processo, a culpa não é do bebe que não encaixou, ou do medico que não quis fazer normal. situações da vida, adversas, estamos todas sujeitas.
    Por isso se tem uma coisa que é a mais certa neste post, é a frase: “Parto normal não é pra qualquer uma.”

    Nesse segundo parto, estou disposta a encarar um parto normal, caso ocorra rompimento da bolsa, etc… mas tenho bem claro na minha mente que SIM eu tenho MEDO. Justamente por causa de historias horrorosas que todas nós já ouvimos pelo menos uma vez na vida.
    Acredito que possa acontecer naturalmente, a minha bebe já está encaixada…
    Mas eu não quero, eu não posso, eu não tenho condições psicológicas de ficar esperando horas e horas para ter um bebe de parto normal… e o problema sou EU, não a saúde publica, ou o convenio, ou o medico, ou o bebe. EU tenho minhas limitações.

    O que eu vejo, quando leio os comentários todos, é que sempre a culpa é de alguém, nunca a culpa é sua…
    vamos olhar mais introspectivamente.
    é a mente que manda no corpo.
    é o destino, ou o acaso, ou o que está escrito nas estrelas, chamem do que quiserem, existem coisas que simplesmente tem que ser.

    Concluo: o melhor parto pra mim é aquele que eu me sinto confortável, que eu me sinto segura, que eu me sinto feliz, que eu me sinto bem.
    o melhor parto pra você é aquele que te faz sentir segura, feliz, confortável.
    O melhor parto para o “ORGAO REGULAMENTADOR BLA” é aquele que de acordo com os estudos que teve menos consequência, seja morte, seja doença, seja sequela. Mas isso não quer dizer que é o melhor pra mim ou pra vc ou pra todo mundo. Quer dizer que a maioria aconteceu assim.
    Mas cada ser humano, e cada MULHER é um individuo, cada individuo é a exceção à regra.

    • Palmas para você, Juli! É isso mesmo: cada história é única e cada opção é única, e tudo começa com o autoconhecimento. Eu só fico triste que uma cirurgia de grande porte esteja sendo usada como primeiro recurso para problemas que poderiam ser resolvidos com terapia, conversa, carinho e compaixão, como é o caso de cesáreas feitas por medo ou ansiedade. No entanto, como você bem disse, cada indivíduo faz as próprias escolhas e assume as consequências das mesmas. Vou torcer muito para que você consiga seu parto – porque eu vejo nas pessoas que conheço que essa experiência, quando respeitosa e positiva, transforma, fortalece, faz renascer. Mas, se for cesárea, que seja uma escolha consciente, bem pensada, e sem sequelas emocionais. Boa hora para ti e volte sempre! Beijo, Clarissa

  62. Pingback: QUER DIZER QUE VOCÊ QUER PARTO NORMAL? | Doula Natalia São Carlos

  63. Renata

    Ao ler o seu post, fico me questionando o porquê de tanta necessidade de luta por parte da mulher para escolher seu parto, desculpe mas é a mais pura verdade. Acho que está cada vez mais sendo travada uma batalha para se provar qual parto é melhor, médicos x pacientes, família contra gestante. Simplesmente não entendo, me sinto compadecida por essas mulheres que precisam lutar contra tudo e todos para conseguirem uma coisa que era para vir de forma tão natural.
    Preciso aqui registrar então meu agradecimento ao meu marido, meu GO e minha genética que me permitiram ter um parto normal mesmo eu estando com pré-eclâmpsia, meu filho estar com duas voltas de cordão no pescoço, e eu estar há dois meses de repouso.
    E mais uma vez, só para alertar, precisamos ficar muito atentas aos sinais do nosso corpo, no trabalho de parto, meu GO me mandou para casa duas vezes, na primeira e fui e voltei, na segunda disse para ele que eu ficaria plantada na porta do hospital, mas para casa não voltaria… meu filho nasceu em menos de duas horas depois.
    Cada parto é um parto, fizemos o curso de gestante, estávamos preparados para todo o processo do trabalho de parto e no final o mesmo não durou mais que 06 horas…
    Enfim, desejo boa sorte para todas, e desejo também, do fundo do meu coração que essa batalha sem sentido acabe logo.
    Abraços, (espero não ser mal interpretada), Renata.

  64. Daniel Nascimento e Silva

    Aqui em Manaus a situação é criminosamente acobertada pelo Conselho Regional de Medicina. E o interessante é que os médicos mais ignorantes, mais desinformados, são os que tentam se mostrar mais especializados. Por isso conseguem enganar quase todos os descuidados e deficientes de raciocínio.

  65. Sandra

    Sou mãe de 8 filhos, todos normais e recomendo que façam o possível para ter seus filhos normal, pois é uma forma maravilhosa, sem traumas para mãe e para o bebê, mas a realidade é essa mesma, ninguém simplesmente “consegue” ter parto normal, só fiz porque o meu médico tem realmente ética e me indicou o melhor e conduziu com muita naturalidade meu 1º parto à 21 anos atrás, o médico faz toda a diferença para conduzir a situação e o parir fica com a gente.
    Um abraço

  66. ERICAZINHA

    ESSA MULHERADA QUE NAO ACREDITA EM PARTO HUMANIZADO…REALMENTE..FICA ATE DIFICIL DIZER ALGUMA COISA…SEMPRE LEMBRANDO QUE PARTO nORMAL TEM GRANDE DIFERENCIA DE PARTO HUMANIZADO…PROCURE SE INFORMAR MELHOR..ATES DE CRITICAR…

  67. Jane Adélia

    Poxa, muito bacana seu texto.
    Para mim o mais marcante foi a frase: “Você acredita que, para ter parto normal, basta querer e torcer para que tudo dê certo?” e ainda completo: Rezar para que tudo dê certo?
    Para mim foi marcante porque passei a minha primeira gravidez ouvindo que queria saber de mais, procurava me informar de mais e que no fundo o que eu queria era ser médica.
    Ainda bem que não me prendi as amarras. Corri atrás e me informei muito; além de ter seguido o passo a passo que você descreveu. Agora estou na 37ª semana de gestação do meu segundo bebê e te afirmo: Estou repetindo seu passo a passo de novo, pois aprendi bem: “O parto acontece é mesmo entre as duas orelhas; não entre as duas pernas.” Forte abraço.
    Obrigada por contribuir para me empoderar ainda mais.

  68. Cinthia Ramos

    Adorei!Todas as gestantes devem ler isso.Estou com minha filha de 9 dias e sofria a pressão da cesariana.Minha família foi totalmente contra pq eu já tenho um menino de parto normal e todos da minha família só tiveram parto normal tbm!Sofri muito pq meu médico marcou a cesariana,mas na manhã do dia que estava marcada senti as primeiras contração e aguentei até quando eu pude.Quando eu cheguei ao hospital o parto quase foi feito na emergência,mas acabamos as pressas na sala de parto.Eu chorava tando de felicidade e tive minha filha em 10 minutos..na primeira força que eu fiz ela nasceu..foi maravilhoso!Meu média só chegou assim que ela tinha nascido e eu falei pra ele “eu não disse que eu ia conseguir?”

  69. Claudia

    Parto normal ou cesárea, …, tanto faz! O importante é ser do modo que a gestante espera, que ela quer. Eu tive parto normal, porque quis e por ter sido muito rápido, 8 cm de dilatação em 30 minutos. Quase foi natural. Mas porque eu tinha decidido que seria normal. Conheci um caso de perto que o médico “fez a cabeça” da grávida para ter cesárea, e ela acabou acatando, ficou com medo do parto normal, de perder o médico próximo do parto e do convênio não cobrir. Só quem está decidida mesmo, consegue ter o parto normal e super recomendo. Apesar de minha filha ter nascido prematura e ter passado por uns perrengues, o próximo com certeza será normal. É maravilhoso!

  70. Rafaela

    Obrigada pela resposta, Clarissa! Ficarei aguardando seu post, pretendo engravidar em breve e descobri que seu blog ajuda bastante. Já o estou acompanhando, abraço.

  71. marília

    Esse grupo Ishtar não tem em Teresina? Gente, aqui dominam as cesáreas, as mulheres em geral têm pavor de parto normal…só é incentivado pela rede pública, mas o tratamento é daquele jeito…
    Tem um grupo humanizadona maternidade pública, mas atende a meia dúzia de gestantes…

    • Marília, infelizmente, ainda não tem um grupo de apoio ao parto normal (como o Ishtar) em Teresina. Se eu souber de algo surgindo por aí, eu te falo. Quem sabe você não junta um grupo você mesma? ;) Abraço, Clarissa

  72. Graziella Picilli

    Clarissa, você já deve ter cansado de ler isso aqui, ainda sim insisto: Parabéns pelo post.
    Nasci e cresci num ambiente de incentivo ao parto normal, já que somos 4 irmãos, todos de parto normal.
    Mas acontece que hoje a regra é o parto cesário… Porém, como o próprio nome diz, o normal, é o parto normal.
    Uma vez li uma matéria muito interessante sobre partos e lá explicava que a cesária vinha da época de César, onde abria-se a barriga das mulheres grávidas em que o feto morria, para salvar a mãe. E isso nunca saiu da minha cabeça.
    O grande problema é hoje em dia é caro você planejar uma parto normal, principalmente o natural, que é minha escolha para meus futuros filhos. Esses médicos, geralmente, só atendem particular e algumas pessoas que não podem investir esse dinheiro, acabam por desistir desse sonho e parte pra , então hoje, convencional cesária.
    Li aqui um comentário de uma leitora que nunca viu uma cesária com complicações. O que ela pecisa ver é que, talvez, não tenha visto as complicações no parto. Mas nos casos de agendamento das cesárias, a criança sofre muito com essa decisão precipitada e comoda da mãe.
    Como por exemplo, em agendar o parto de domingo, para o pai tirar a semana inteira de folga do trabalho (os 5 dias).
    Acontece que 1 semana na formação do bebe, pode implicar em pulmões não totalmente formados, por exemplo. E por vezes um capricho da mãe, será enfrentado pelo filho o resto da vida.
    Nossa geração está cada vez mais egoísta e nossos filhos carregarão isso pro resto da vida.
    Não quero aqui enfurecer mulheres, entendam que não estou generalizando. Mas infelizmente isso se torna mais comum a cada dia.

  73. Nádia Corsi

    Amei esse post, não estou gravida ainda, porem estou tentando e quero SIM, ter um parto normal, tenho plano de saúde e creio que meu GO faça normal, pois os partos da minha mãe ele fez, e engraçado você citar isso, mas tenho sérios problemas com horarios com ele, por esse fato, ja fiquei 4hrs esperando ele voltar para me atender em consulta! Porem se eu estiver enganada e no meu caso ele não quiser faze-lo, sinto muito mas procurarei outro!

    BjOz

  74. Thaís

    Muito bom!
    Parabéns pelo texto! Estou com 39s + 3d e já perdi as contas de quantas vezes me questionaram o pq de não “fazer logo a cesárea”… Haja paciência e determinação! Beijos

  75. Pingback: 5 dicas essenciais para grávidas | Nosso Primeiro Bebê

  76. Érica

    Boa tarde….

    Já sou mãe, meu filho nasceu de cesárea…. Até hoje, não me conformo com a desculpa que o meu médico deu para que o meu bebê não fosse parti normal…m

    Comecei ter as contrações às 7:10 da manhã e o meu médico foi fazer a cesárea às 1:35 da tarde….não tive aquelas contrações fortes, mas tive dez dedos de dilatação, o médico disse, que o bebê não estava fazendo força para nascer, e que ele era muito grande e ía judiar de mim, ele pesou 4,565 kg….tenho dúvidas, por que eu era inexperiente e não sei se a questão era esperar mais ou se realmente o bebê não se posicionou para nascer e nem fez força…. O que vc acha ?

  77. cristiney (marido)

    Olá, estava na net procurando informações confiáveis para minimizar minha angústia, porque minha esposa esta com 40 semanas e o bebê está com uma circular. Minha esposa está querendo ter de parto normal, mas quando fizemos a usg soubemos da circular e o médico nos disse que poderia ser ruim e que mais indicado era o parto cirúrgico. Graças a Deus encontrei esse blog, que esclareceu minhas dúvidas e agora vamos esperar para termos nossa filha de parto normal, pois já sabemos todas as vantagens de parir da mulher. Quase caíamos no conto da cirurgia, mas se Deus quiser, não vai ser dessa vez. Ótimo seu blog. Em bteve retorno

  78. cristiney (marido)

    Ótimas dicas depois dessas com certeza será parto normal.

  79. AW

    A Dica numero Sete , Vou fazer isso com certeza …… Tenho pavor de todas as intervencoes .
    Eu falo para meu marido que so vou para o hospital quando der pra ver os cabelinhos do bebe……hahahaha ( Brincadeirinha )

  80. Luciana

    Olá estou no Rio de Janeiro, tive meus dois filhos de parto normal, o primeiro foi maravilhoso com uma médica que era adepta ao normal, mas ela saiu do pais, o segundo foi com o plantão do hospital, e tivemos que ameaçar processar o hospital porque queriam forçar uma cezaria, estou na minha 3 gravidez e estou com medo porque não consegui médicos que façam normal, e estou çom medo do plantão do hospital…alguém conhece algum médico que aceite o plano Amil, no. Rio que poderia fazer parto normal???

    • Luciana, parabéns pelos partos normais, tão difíceis de conseguir hoje em dia – ainda mais com plano de saúde! O primeiro parto foi com uma médica do plano? Você teria como ir a um encontro do Ishtar – Grupo de Apoio ao Parto? Lá você conhecerá várias pessoas que podem trocar suas experiências e ouvir indicações confiáveis. Com quantas semanas você está? Abraço, Clarissa

  81. Daniela

    Eu sou parte das suas palavras. Mudei de médico 2 vezes, depois fui para o serviço público ao final da gestação. Contratei uma doula, e (pasme… ou não!) cheguei ao hospital com 8 cm de dilatação! Valeu a pena, porque a minha vida mudou completamente com o meu parto. Eu era cética, achava que se não desse conta, “podia cortar” a barriga, e também acreditava que era preciso episiotomia. Isso mudou, li, me informei, isso foi importante. Acredito no parto natural. Pretendo ter meu próximo filho em casa. Um abraço, Daniela

  82. Ester

    tive tres partos normais,sendo que o primeiro tive uma complicação,pois quando fui para a maternidade não havia vaga então fui transferida para uma outra maternidade com cerca de meia hora de distancia,chegando la quando romperam a minha bolsa a medica de plantão levou um susto pois o meu bebe estava sentado e disse que não tinha um anestesista para fazer uma cazaria de emegencia,mas me tranquilizou dizendo que eu tinha uma ótima bacia para ter parto normal e o meu bebe era pequeno,nao foi fácil mas deu tudo certo,ele nasceu muito bem,tive bastante pontos a recuperação foi um pouco mais demorada que o normal,mas mesmo assim acho que o parto normal e a melhor opção,claro que quando a mulher tem plena condição para isso,ja os outros partos foram maravilhosos,rapidos e já esta chegando outro bebe,estou de 34 semanas e se Deus quiser também sera um parto normal,beijos!!!!!Ester

  83. Ana Paula

    oieee, gostei muito do seu post, quer dizer amei….Parabens…
    Mais tenho uma duvida se puder me responder agradeco, aqui na minha cidade naum existe doulas e apenas tres medicos que eram os mais aptos a se fazer um parto normal 100%, so que dai um naum cheguei nem a procurar pq ele opta por fazer parto notmal mesmo so que de 10 pascientes que tiveram parto com ele nos ultimos anos so 4 sobreviveram ninguem entende o que ele faz ja esta com varios processos contra ele ai acabei comecando com outra que era a favor do parto so que a duas semanas atras ela veio com a historia de que se eu quisesse fazer parto normal ela teria que optar por fazer o tal corte para ajudar o nenem a sair com mais facilidade, na hora fiquei com raiva e logo corri para minha ultima opcao que teria com uma outra doutora e tal qual me fala depois de uma consulta que tambem opta pelo corte, ai agora estou perdida e desolada estou de 32 semanas, ja passei por uma cesarea desnecessária na minha primeira gestacao pq naum tinha muitas informacoes, ai agora que havia escolhido ja que naum tem outra opcao pelo menos o parto normal hospitalar acontece isso ai gostaria de uma opniao mesmo passando pelo parto normal mais com corte ele se tornaria menos invasivo que uma cesarea ?? Agradeco se puder me ajudar estou muito aflita…

    • Ana Paula, entendo sua aflição! Desculpe a demora – tive uma viagem a trabalho- mas quero muito te ajudar! Qual é a sua cidade? Será que não existe um grupo de apoio ao parto normal aí, ou em algum cidade próxima? Estarei esperando sua resposta. Abraço, Clarissa

      • Ana Paula

        Oieee, nada naum magina, ja me informei e naum tem nada aki, a cidade e Medianeira as maiores mais proximas sao Cascavel que ate pesquisei e existe um grupos la mais levo 1:30 pra chegar la e Foz do iguacu que levo 50 minutos ….Obrigada

      • Ana Paula

        Parana….

  84. Tati

    Quer parto normal se encaminha ao SUS, eles fazem mesmo sem precisar… O parto normal muitas vezes não é a melhor opção!

    • Não é bem assim, Tati… Em primeiro lugar, o SUS tem altos índices de cesárea. Mais importante do que isso é o tipo de atendimento que pode-se esperar do SUS (com raríssimas exceções): práticas que deveriam estar obsoletas (uso rotineiro de ocitocina, episio, kristeller etc.), falta de respeito e carinho por parte de enfermeiros e médicos, descumprimento da lei do acompanhante, violência obstétrica, falta de leitos e por aí vai. Quanto ao parto normal não ser a melhor opção, você está trocando as bolas: é a cesárea que, muitas vezes, não é a melhor opção. A cesariana é uma cirurgia abdominal que implica em riscos aumentados tanto para a mãe quanto para o bebê (não faltam evidências para isso). O problema é achar que o oposto de cesárea é o parto violento, frio e mal conduzido que a gente vê por aí. Precisamos mudar a nossa cultura machista, inebriada pela tecnologia e enojada dos processos fisiológicos, para que o parto normal volte a ser algo natural no Brasil, conduzido com respeito às evidências e às parturiente. O parto normal pode ser muito mais do que “somente” uma forma de passar da gravidez até a maternidade. Agradeço o comentário e espero que essa resposta inspire reflexão.

  85. Luciana

    Achei muito bom o texto sobre querer um parto normal… sempre foi meu desejo. Hoje estou grávida de 8 semanas e meia de gêmeos bivitelinos e ainda assim quero um parto normal e humanizado. Porém é difícil achar obstetras que sejam a favor do parto normal em gravidez gemelar. Isso é frustrante, pois gera uma insegurança a respeito da conduta do médico que está nos assistindo.
    Você sabe dizer se é seguro ter um parto domiciliar numa gravidez gemelar dicoriônica e diamniótica?

    • oi Luciana, bem-vinda ao blog e parabéns pela gestação! É realmente uma luta encontrar quem acompanhe um parto gemelar, mas é possível, viu? Acho que domiciliar vai ser fora de cogitação, já que gestação gemelar tem riscos envolvidos, incluindo prematuridade. Em que cidade você está? Há algum grupo de apoio ao parto na sua cidade? Geralmente as pessoas que frequentam esses grupos têm indicações de equipe. O grupo de Facebook “Cesárea? Não, obrigada!” também é um bom começo. Estou torcendo para você conseguir. Duas amigas minhas tiveram parto normal de gêmeos e tenho muito orgulho delas! Grande abraço

  86. Carol

    Um dos melhores posts que ja li sobre o assunto! Parabens!

  87. Tathiana Fagundes P Freitas

    Oi, Clarissa!! Primeiramente quero parabenizá-la pelo blog que “caiu como uma luva para mim” neste momento da minha vida. Hoje estou com 9 semanas da 2ª gestação e estou numa busca implacável por um obstetra que faça parto normal. E como está difícil!! Minha 1ª gestação foi uma bênçao, sempre quis parto normal mas dizia para a obstetra que a minha natureza era quem iria decidir, ou seja, estava aberta para uma cesárea caso fosse necessário. Li muito sobre o parto normal e também sobre cesárea e cheguei a conclusão que é o corpo quem toma essa decisão. Com 28 semanas fui parar num PS com 4cm de dilatação, fiquei internada e passei o restante da gestação em repouso absoluto com medicamento para contenção do parto. Já não tinha como procurar outra obstetra, e aí se eu tivesse lido seu post (que ainda não existia), teria percebido desde o início que ela não faria meu parto porque só faz cesárea e NUNCA havia deixado claro nas consultas de pré-natal. Foi me enrolando… Enfim, no dia do parto cheguei a maternidade após rompimento da bolsa, já com 8cm de dilatação!! Fiquei insegura e, assim como a Mara, optei pela epidural mesmo sem ainda ter sentido muito as dores da contração!! Digo que “amarelei”!! Acho que deveria ter esperado mais!! Acabei não tendo a “sensação do parto normal”, pois não sentia nada abaixo da barriga e também não tive força para empurrar o bebê durante o parto!! Mas graças a Deus deu tudo certo!! A minha filhinha e eu ficamos perfeitamente bem!! Não senti absolutamente NADA!! Nem antes, nem durante e nem depois!! Bem…. agora busco um obstetra que faça o parto normal pois apesar da gravidez e partos serem diferentes um do outro, caso seja parecido com o anterior, já estou mais bem amparada!! Beijos… Obrigada pela troca de experiências que nos proporciona com o seu blog!!

    • Oi Tathiana, que bom que está aqui e obrigada por compartilhar sua história conosco. Em primeiro lugar, onde você mora? Se quiser, posso te dar o caminho das pedras para correr atrás do seu parto :) Boa sorte e volte sempre! Beijo, Clarissa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s